ColunasReflexões

Cautela com cartão de crédito é chave para um ano novo sem stress

Dora Ramos

Com as festas de fim de ano se aproximando, o trabalhador brasileiro se depara com uma de suas maiores felicidades: o 13º salário. Com ele, chegam também muitos gastos que, às vezes, são inevitáveis: confraternizações com a galera do trabalho, amigos secretos, a ceia natalina, presentes para os familiares e viagens para curtir o réveillon. Todos nós queremos curtir a virada de ano, mimar nossos filhos com as maiores novidades do mercado e tomar aquela cervejinha na festa do colega, e o parcelamento destes custos no cartão de crédito pode parecer uma grande solução a curto prazo. Há, porém, a necessidade de tomar muito cuidado. É preciso lembrar que comemorações no final do ano são sempre sucedidas por ocasiões menos festivas, como o pagamento do IPVA, IPTU, matrícula escolar e muitos outros.
Não há nada pior do que já começar o ano endividado. E o cartão de crédito, logo ele que por tantas vezes é um forte aliado, pode se virar contra nós. Pequenas e suaves parcelas rapidamente se tornam uma grande, incontrolável dívida. Então, a palavra-chave é a cautela. Mantenha suas responsabilidades financeiras em mente. Se necessário, coloque-as na ponta do lápis. Lembre-se que duzentos reais gastos agora podem significar uma quantia que fará falta em 2019. Mais que isso: pense que uma dívida acumulada no início do ano tende apenas a crescer e criar proporções catastróficas ao longo dos 12 meses. Então, o foco do planejamento deve ser passar o ano zerado em termos de dívidas.
O que fazer, então, com o 13º salário? Primeiramente, pense em quitar quaisquer dívidas pendentes. Depois, se certifique que você consegue cumprir com os gastos já descritos aqui: IPVA, IPTU, etc. Tente, se possível, guardar algo extra, por menor que seja, para dias mais complicados de 2019. E, só então, comece a usufruir dele para viagens, presentes e comemorações. Evite, porém, parcelas muito longas. Será que vale a pena pagar o divertimento de dezembro até outubro do ano que vem?
Ter o pé no chão no fim de ano é, sim, complicado. Afinal, são muitas as oportunidades para satisfações pessoais. É importante, então, lembrar que a passagem do 31 de dezembro para o 1º do janeiro é apenas mais um dia. O sentimento de renovação é prazeroso, mas permanece dentro de você. Suas dívidas e responsabilidades financeiras não desaparecem junto com os fogos e nem te deixam de lado para pular ondinhas. Comemore o fim de 2018, suas conquistas e realizações, sim, mas lembrando sempre que 2019 trará outros 365 dias.

Dora Ramos – É contadora, orientadora financeira e diretora responsável pela Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.