DestaqueEstado de Minas

Cemig fortalece atuação no mercado de geração distribuída

A geração distribuída é um dos ramos de negócio do setor elétrico que mais crescem em todo o país, especialmente em Minas Gerais. Para se posicionar de forma mais relevante nesse mercado, a Cemig criou a Cemig Geração Distribuída S. A. (Cemig GD), uma nova subsidiária da companhia.
Minas Gerais já lidera o mercado de geração distribuída, com 7.100 instalações e uma potência de 112.175 kW, o que representa 20% das instalações e 26% da potência total do Brasil.
“A geração distribuída está crescendo a um ritmo maior do que aquele que se previa ao final de 2017, particularmente em Minas Gerais. É um sinal de que a concorrência está bastante acirrada para aproveitar as melhores oportunidades que o estado oferece”, afirma o diretor presidente da Cemig GD, Tarcísio Andrade Neves.
De acordo com Neves, a Cemig GD vai atuar em parceria com a iniciativa privada. A meta é implantar, nos próximos dois anos, 250.000 kW em geração distribuída, assumindo uma posição relevante no novo negócio.
Impactos – Como a utilização dessa fonte de geração de energia é muito recente, ainda não é possível mensurar, de forma consistente, quais serão os impactos da geração distribuída no setor elétrico.
“Algumas variáveis importantes estão sendo avaliadas, como o impacto da geração distribuída no planejamento da expansão da geração de outras fontes, a redução do mercado da distribuidora, os reflexos nas perdas elétricas do sistema das distribuidoras e da rede básica, entre outras”, destaca o presidente da Cemig GD.
“As distribuidoras terão de rever seus procedimentos operativos para se adequar às características desta nova tecnologia. Os planos de expansão do sistema elétrico também deverão ser revistos para atender às novas solicitações de conexão dessa geração, principalmente nas áreas com alto índice de irradiação solar”, completa Neves.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.