Política

Cohagra denuncia à PF venda ilegal de imóveis do MCMV

O presidente da Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra) Marcos Jammal protocolou, nesta terça-feira (27), duas informações de crime junto à Polícia Federal envolvendo pessoas que venderam casas obtidas via financiamento pelo Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). Segundo Jammal, a venda foi constatada pela equipe de fiscalização da Cohagra, que obteve documentos e comprovaram as irregularidades. “Vão ser instaurados os procedimentos para verificar essas denúncias da Cohagra. Informamos também o Ministério Público Federal, que está ciente e atuará na denúncia para que essas pessoas sejam responsabilizadas criminalmente, pois estão desrespeitando a legislação relativa”, explica o presidente.
Ceder os imóveis em troca de vantagem financeira configura Crime Contra o Sistema Financeiro Nacional nos termos do Art. 20 da Lei nº. 7.492/86, por “aplicar, em finalidade diversa da prevista em lei ou contrato, recursos provenientes de financiamento concedido por instituição financeira oficial ou por instituição credenciada para repassá-lo”. Já o inciso III do § 5o da Lei Nº 11.977, de 07 de julho de 2009, que dispõe sobre o PMCMV, deixa claro que “não se admite transferência inter vivos de imóveis sem a respectiva quitação”, enquanto o § 6º declara que as cessões de direitos, promessas de cessões de direitos ou procurações que tenham por objeto a compra e venda, promessa de compra e venda ou cessão de imóveis adquiridos sob as regras do PMCMV, quando em desacordo com o inciso III do § 5o, serão consideradas nulas.
De acordo com Marcelo Leonardo Xavier, delegado da Polícia Federal e chefe da delegacia da PF de Uberaba, após a apresentação e protocolização no setor específico, as notícias de crime serão distribuídas a um dos delegados para análise dos fatos. “A partir daí, iniciará as investigações com o fim de verificar se de fato estes imóveis que foram cedidos pela Cohagra estão sendo utilizadas por pessoas indevidas. Com a documentação apresentada, há indícios de crime, tendo em vista que a legislação proíbe que esses imóveis sejam passados para terceiros”, esclarece o delegado.
O presidente da Cohagra pede às pessoas que tiverem conhecimento de algum caso de irregularidade, para informarem ao Ministério Público Federal ou à Companhia. A informação pode ser feita anonimamente. “O trabalho de fiscalização da Cohagra segue e as casas que estão sendo vistoriadas podem ser acompanhadas por meio de publicação no Diário Oficial do Município, Porta Voz”, finaliza Jammal.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.