DestaquePolítica

Com cenário incerto, MG tem seis candidatos ao governo

Terminadas as convenções estaduais, que tiveram mais tumulto e reviravolta no fim de semana, o governo de Minas Gerais tem sete candidatos ao Palácio da Liberdade, sendo que um deles – o ex-prefeito Marcio Lacerda (PSB) – dependerá de decisão Judicial.
Até a tarde de ontem, eram sete candidatos, mas esse número mudou. Um dia depois de ter o nome aprovado em convenção para disputar o governo de Minas Gerais, o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) desistiu do cargo e concorrerá ao Senado.
O assunto foi tratado na tarde desta segunda-feira com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), e o senador Antonio Anastasia (PSDB), candidato a governador.
Dessa forma, compõem o quadro de candidatos o governador Fernando Pimentel (PT), o senador Antonio Anastasia (PSDB), o ex-secretário de Educação João Batista Mares Guia (Rede), a professora Dirlene Marques (Psol), e o empresário Romeu Zema (Novo), além do ex-prefeito Marcio Lacerda, cujo caso está na Justiça Eleitoral.
O PT tem como candidato à reeleição o governador Fernando Pimentel, que teve a candidatura confirmada no domingo em convenção, na qual a ex-presidente Dilma Rousseff também teve o nome aprovado para concorrer ao Senado.
A legenda deixou em aberto a vaga de vice, que será definida até o fim do dia de hoje. No páreo está a deputada federal Jô Moraes (PCdoB), que concorreu a vice-prefeita com o candidato do PT à Prefeitura em 2018, Reginaldo Lopes.
Primeiro entre os maiores partidos a aprovar a candidatura, o senador Antonio Anastasia (PSDB) definiu o deputado federal Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba como vice, mas também aguarda as movimentações partidárias para anunciar os nomes que vão concorrer ao Senado. Até então, são eles o do ex-deputado estadual Dinis Pinheiro (SD) e o do jornalista Carlos Viana (PHS).
Após várias especulações de que abandonaria a disputa, o deputado federal Rodrigo Pacheco também confirmou a candidatura nesse domingo pelo DEM. Ele terá a ex-secretária Ana Paula Junqueira, mulher do prefeito de Uberlândia Odelmo Leão, como vice. Por enquanto, foi definido o deputado federal Renzo Braz na disputa pelo Senado.
O caso mais complicado é do ex-prefeito Marcio Lacerda (PSB), que teve confirmado o nome pelo partido no estado em convenção no sábado. A decisão está amparada por liminar concedida na sexta-feira pelo juiz do Tribunal Regional Eleitoral Nicolau Lupianhes. Ocorre que o PSB nacional entrou com um agravo. Como o juiz de plantão entendeu que não caberia a ele decidir, o magistrado vai optar por fazer um novo julgamento ou remeter a questão ao colegiado do TRE.
O diretório nacional também consta com uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral favorável à dissolução do diretório estadual que aprovou o nome de Lacerda e a questão segue na Justiça.
Em situações mais tranquilas, os candidatos da Rede, João Batista Mares Guia, do Psol, Dirlene Marques, e do Partido Novo, Romeu Zema, também tiveram os nomes confirmados pelos partidos.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.