Cidade

Comandantes participam de reunião na 5ª Região Integrada

Os comandantes de Uberaba, Iturama, Frutal e Araxá se reuniram na manhã de ontem, na sede da 5ª Região Integrada de Segurança Pública, para discutir o desempenho operacional nas mais de 30 cidades que pertencem à 5ª Região de Polícia Militar (5ª RPM).
Esse ano, para fortalecer as ações, a Polícia Militar (PM) na região vai apostar em tecnologia.
“Apostamos muito na tecnologia; tanto o OCR, que é o leitor ótico de caracteres e a tecnologia embarcada nas viaturas. E também trabalhar na questão da comunicação. Hoje, já temos Uberaba digitalizada e o objetivo é digitalizar todo o Triângulo e Alto Paranaíba”, disse o comandante da 5ª RPM em Uberaba, o coronel Lupércio Peres.
Ainda segundo o comando da 5ª RPM, o recurso de R$ 15 milhões está garantido pelo Governo Federal. Agora, o que falta é dar continuidade ao processo licitatório para digitalização do sistema da PM no restante do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.
“É um trabalho burocrático para poder colocar isso em prática. Mas estamos avançados e fizemos todo o estudo do projeto, que já está praticamente pronto. Estamos buscando fazer essa instalação para que, num curto prazo, a gente consiga efetivar e dar mais uma ferramenta para que os policiais militares possam prestar o seu serviço com melhor qualidade”, afirmou Peres.
O comandante do 37º Batalhão da PM de Araxá, o tenente-coronel Fernando Reis, afirmou que o desafio é diminuir o número de crimes violentos que ocorre em áreas próximas às rodovias.
“Para que isso seja potencializado e realizado, nós temos buscado as parcerias. Operações conjuntas como outros órgãos, como, por exemplo, a Polícia Rodoviária Federal; operações envolvendo a Polícia Rodoviária Estadual, envolvendo a Polícia Militar de Meio Ambiente. Tudo isso para a gente poder controlar os crimes que se manifestam nessas localidades”, ressaltou Reis.
Há três anos consecutivos, Iturama e as outras quatro cidades que fazem parte do comando apresentam resultados positivos na redução da criminalidade, conforme apresentado durante a reunião. Em 2015, foram registrados 208 crimes violentos; em 2016, foram 193; em 2017, o número baixou para 166; e, em 2018, foram 113 registros. “A gente sabe que, muitas vezes, a marginalidade não tem fronteiras. Então, vem indivíduos do estado de São Paulo para Minas e vice-versa; Mato Grosso do Sul e Goiás. E realmente é importante essa troca de informações para que possamos estabelecer padrões e trabalhar em cima com as nossas ações e operações, buscando a redução da criminalidade – o que já ocorre há três anos”, disse o major Magno Cipriano, comandante da 3º Companhia de Polícia Militar Independente de Iturama.
Em Frutal, o comando pretende integrar o trabalho com as polícias de cidades vizinhas para reforçar a fiscalização de fronteiras. “Nessa divisa, onde o maior problema são as quadrilhas, que geralmente são de São Paulo, que vem atacar as nossas cidades. Inclusive, no ano passado, mais precisamente no dia 8 de novembro, uma quadrilha de Franca (SP) entrou em Frutal para tentar explodir caixas eletrônicos e a Polícia Militar teve êxito com a prisão de algumas pessoas e dois meliantes faleceram na troca de tiros. Além dessas nossas dificuldades com as quadrilhas de São Paulo, temos também, por Frutal, a principal rota do tráfico de drogas que vem do Mato Grosso e do Paraguai. Então, diante disso, há muitas operações realizadas e por isso temos essas reuniões para que possamos nos organizar estrategicamente para combater a criminalidade na nossa região”, comentou o major Ivanildo Gomes, comandante da 4ª Companhia de Polícia Militar Independente de Frutal.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.