Política

Convocados pela Justiça Eleitoral São isentos de taxas de concursos

A Câmara Municipal aprovou um Projeto de Lei Complementar, de autoria do vereador Alan Carlos da Silva (Patri), que autoriza a isenção de pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos realizados no âmbito dos Poderes Executivo e Legislativo do Município. Serão beneficiados eleitores convocados e nomeados pela Justiça Eleitoral de Minas Gerais, que prestarem serviços em eleições oficiais, plebiscitos ou referendos.
A convite do autor do projeto, o chefe de cartório da 347ª Zona Eleitoral, Alexandre Barbosa Petermann, acompanhou a votação. Segundo Alan Carlos, o projeto pretende compensar o trabalho cívico, prestado sem remuneração, valorizando estes cidadãos. Ele comentou que a cidade de Uberaba conta com pouco mais de 221 mil eleitores, 91 locais de votação e 843 seções eleitorais, sendo que 75% das pessoas que trabalham nas eleições podem ser atingidas pela referida Lei.
Em defesa da proposta, o vereador comentou que até o Supremo Tribunal Federal (STF) já considerou constitucional lei semelhante, resultante de iniciativa parlamentar. “É uma demanda que vem com a necessidade de recompor para aqueles que vão voluntariamente e que são convocados pela justiça”, afirmou Alan Carlos.
O vereador Rubério dos Santos (MDB) considerou a proposta justa, pois muitas pessoas que trabalham para a Justiça Eleitoral são de baixa renda e precisam de ajuda.
Para o vereador Fernando Mendes (PTB), os convocados pela Justiça Eleitoral realizam um trabalho cívico para a população. Ele lembrou que nas últimas eleições muitos mesários foram desrespeitados e se mostraram insatisfeitos para continuarem realizando o serviço, que não é remunerado. Ele acredita que a medida pode incentivar as pessoas a participarem como voluntários, o que diminuiria até mesmo o número de faltosos.
O vereador Ronaldo Amâncio (PTB) sugeriu uma emenda para especificar um prazo de dois anos após o último trabalho realizado nas eleições, a qual foi acatada pelo autor do projeto. A aprovação aconteceu sem votos contrários.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.