Geral

Estelionatários fazem três vítimas por hora em MG

Pelo menos três mineiros são vítimas de estelionatários por hora. Só de janeiro a maio deste ano, 14.054 queixas foram registradas na polícia. O mais novo golpe mira clientes de TV por assinatura. Com acesso às informações de quem pede a mudança de operadora, criminosos usam o nome da empresa para obter dados pessoais e conseguir vantagens financeiras.
Os casos são investigados pela Polícia Civil. Segundo relatos, o consumidor, ao solicitar o serviço e agendar o horário de instalação na residência, recebe a ligação de um suposto funcionário cancelando o atendimento.
Horas depois, novo contato é feito para solicitar dados como o número e a bandeira do cartão de crédito do cliente. A alegação é que a habilitação da TV a cabo será feita sem a necessidade de um técnico ir até a casa. Ao menos 31 pessoas em Minas Gerais denunciaram o crime à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em 2018. Em todo o país já são 292 casos.
Chefe da Divisão Estadual de Investigação de Fraudes, o delegado Rodrigo Bustamante não descarta a participação de funcionários das próprias operadoras no esquema. “Eles detêm essas informações (pedidos feitos pelos clientes)”, frisa.

Responsabilidade – Ainda de acordo com o delegado Rodrigo Bustamante, a operadora também pode ser responsabilizada pelo ato criminoso. “É dever dela manter em segredo os dados do cliente”, pontuou. A Anatel reforça que as empresas devem assegurar a privacidade dessas informações, conforme prevê a lei.

Furto de sinal – Além de usar os dados dos consumidores para compras e outros tipos de fraudes, os bandidos podem usar a estratégia para desviar o sinal da TV a cabo, destaca Bustamante. Nessa situação, a vítima depara com valores mais altos sendo cobrados na conta. Em caso de ter sido alvo dos falsários, a Anatel orienta o cliente a registrar reclamação na própria operadora. Se a demanda não tiver sido resolvida, a agência pode ser acionada.

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios