Fabiana Silbor

Fabiana Silbor

Bem-vindo.
Bem-vinda!
Talvez o nada, seja de fato o que há.
Todavia, relatos ao longo da história afirmam que a lei do retorno é gloriosa.
E, caso o tudo, seja de fato o que há e… tendo liberdade para optar…
Salve! Uma ode às escolhas nobres.
Porque nobreza é feita de valores éticos, honestos e transparentes.
Tem um tanto de parceria, humildade e gentileza.
Tem muito de respeito, entendimento, consideração e bem pouco de inveja.
Quem tenta derrubar deve relembrar que o limite é o chão.
E quando se levanta, e sim, ergue-se, novamente, mais experiente, o revés pode ser mais do que indignação.
Por isso, para entrar numa disputa saiba quais são as suas disposições.
O seu inimigo pode parecer torpe, mas diante da queda pode encontrar outra destinação.
Há lugar para todas as pessoas. E, sim, talvez no fundo do poço entre um de cada vez, ou no pódio, só tenha lugar para o primeiro, dentre todos os campeões, mas nunca se esqueça que esses locais são ambientes de revezamento. Assim se um dia é da caça e o outro é do caçador, toda essa baboseira pode ser deposta com um simples argumento: mais amor, menos dor! Nunca haverá vitória em guerras. Mas o nosso lado bicho, quando ferido, pode transformar tudo em um ringue. Nutrido por abates que deixarão marcas nos ‘existires’. Diante de tantas possibilidades, às quais todos estamos condicionados ou fermentados, há só uma pergunta: Que tipo de gente você quer ser?

Adeus outubro
Que antipatia da hipocrisia de quem mal cuida da vida e quer apontar cenários para outras pessoas. Os mal sucedidos, que lotam de mazelas suas argumentações tentam se segurar acirrando conchavos, que sempre farão parte dos obscuros posicionamentos de quem abdicou da competência se mantendo como lambe botas.

Boletos corruptos
É preciso ter uma estima muito falsificada e um índice de psicopatia elevado para acreditar na própria insanidade. A elevada promiscuidade intelectual contribui para que essas criaturas tenham atestados fraudulentos a favor das bizarrices. É um povo bactéria, que passa informações para aqueles do mesmo tipo, infeccionando as relações com suas decadências. Apesar da aparente riqueza estão contaminando com podridão, motivando relações sórdidas abençoadas por uma sociedade, que se vende fiado.

Refém da própria insanidade
As pessoas de bem estão exaustas com tanto detalhamento de maldade, porque os omissos que querem, apenas, ostentar deixam prevalecer os perturbados. A eterna valorização da aparência faz tudo ser raso e traz uma severa consequência. O tempo dos desencontrados: fazer uma coisa, falar outra, pensar diferente do discurso e da ação e transformar a vida numa vivaz contradição. Vidas reais mentirosas aclamando existências virtuais enganosas. E o tempo, soberano, implacável, se esgotando diante do desperdício de quem abdica de ser pensando que, para sempre, o ter suportará o sacrifício. Parece bem fácil, mas a verdade é que é difícil.

Mudar é preciso
Carência e insegurança são ciladas violentas. Além de transformar o próprio cotidiano em armadilhas, integram mentiras criadas como se verdade fossem e minam relações verdadeiras transformando o que poderia ser tesouro em ouro de tolo. Além do desgosto, da frustração e da desistência dos sentimentos nobres, quem insiste nesses propósitos faz do melhor um amargor decepcionante. E todos os sonhos, crenças, planos morrem despedaçados por um embargo nutrido pela falta de consciência e de atitude para a evolução.

O que é seu merecimento ninguém tira
O tempo é rei. Espere, vai chegar a lei. Uma que seja impossível de fraudar. Aquela que o universo vai respaldar. Siga confiante sua seara. Seja generoso e ético. Respire e recupere sua coragem a cada traição e renove seu destino fortalecido pela sua obstinação. Se aqui se faz e aqui se paga não espere pelo troco. Vai fazendo o seu e deixe o que está destinado encontrar destinatário. Deseje aos inimigos vida longa porque o sucesso de quem está blindado por Deus é eterno.

Reflexão para traidores de plantão
Erva daninha, também, cresce. E deve pensar que tem utilidade. É um tipo que pensa ter o direito de destruir a plantação. Crescem rápido, se adaptam com facilidade, produzem muito e tudo isso causa uma falsa impressão. Mas, não passa de uma praga destinada a proliferar entre os que ela nunca será. Quem nasceu para ser mato, nunca terá de fato condição para ser safra. Mantenha em sua lavoura as sementes do bem e continue. O de todo mundo está guardado. Faça por merecer.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Fechar