Política

G-70 reforça demandas da região aos eleitos

Prefeito Paulo Piau informou que grupo deve se reunir ainda no primeiro semestre, sendo que eleitos serão convidados a participar do encontro

Todos os eleitos por Minas Gerais (governador, dois senadores, 53 deputados federais e 77 deputados estaduais) nas últimas eleições, assim como o presidente Jair Bolsonaro, estão recebendo ofício do G-70, com itens de demandas regionais.
Antes do início do processo eleitoral de 2018, os 70 prefeitos da região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba se reuniram na organização do G-70 e definiram agenda de demandas, visando ao desenvolvimento regional. Na condição de candidatos todos já receberam o relatório. Agora, os pleitos da região são reafirmados aos eleitos.
Segundo o prefeito de Uberaba, Paulo Piau, um dos idealizadores do G-70, ainda neste primeiro semestre, o G70 se reunirá em local ainda não definido e convidara os eleitos a participar de discussão acerca do desenvolvimento regional. Na ocasião, tomarão também ciência da implantação da Agência Regional de Desenvolvimento Econômico, que tem a chancela do Sebrae.
Reivindicações – O rol inclui 42 tópicos divididos em caráter geral (oito demandas); caráter regional (nove pedidos) e infraestrutura regional (25 pontos). O primeiro traz assuntos macro como segurança jurídica, desburocratização, reformas, pacto federativo e fontes de energia alternativas. O segundo pede apoio para a Agência Regional que surge com foco no desenvolvimento; a construção do gasoduto, a retomada do projeto da fábrica de amônia e maior atenção a setores como educação, saúde, segurança e turismo. Já o maior tópico, que trata de infraestrutura passa pela viabilização do Aeroporto Internacional na região; pela duplicação de rodovias (entre elas a 262), melhorias na malha rodoviária, bem como concessões à iniciativa privada, e vai até o pedido para que se avance no projeto da Hidrovia via rios Paranaíba, Grande, Tietê e Paraná.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.