Estado de Minas

Gestores de Cultura são empossados pelo vice-governador Paulo Brant

Os gestores foram selecionados por sua ampla experiência no setor cultural mineiro e brasileiro

A equipe de dirigentes que compõem o Sistema Estadual de Cultura de Minas Gerais tomou posse na noite de quinta-feira (4), em cerimônia no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. O vice-governador, Paulo Brant, empossou o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte; a subsecretária de Cultura, Solanda Steckelberg; a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras; a presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, Michele Arroyo; o presidente da Rádio Inconfidência, Ronan Scoralick; o presidente da TV Minas, Kiko Ferreira; e a presidente da Fundação de Arte de Ouro Preto, Júlia Mitraud.
Os gestores foram selecionados por sua ampla experiência no setor cultural mineiro e brasileiro e vão dirigir as instituições que compõem o Sistema Estadual de Cultura, sob o comando da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo. Após a cerimônia de posse, foi realizada apresentação do Coral Lírico de Minas Gerais, que este ano foi declarado Patrimônio Histórico e Cultural do Estado.
O vice-governador Paulo Brant, que representou o governador Romeu Zema no evento, destacou em seu discurso a qualidade técnica e a experiência dos novos gestores, que vão contribuir nas políticas públicas de desenvolvimento cultural e econômico mineiro. “É com muita alegria que compareço aqui para ver o relançamento da secretaria de Cultura forte, vigorosa, e com uma equipe de peso, de gente talentosa, idônea, com espírito público e que, certamente, serão referências não só na política cultural, mas, nós temos convicção, vão iluminar, inspirar e permear todas as políticas do governo. É assim que nós temos que ver a cultura, não apenas a cultura em si, mas a influência que ela tem em todas as áreas da política pública”, afirmou.
Brant ainda ressaltou que a junção das pastas de Cultura e Turismo no Estado vai fortalecer o trabalho para atrair novos investimentos para as áreas. “Temos uma oportunidade enorme com a vinda do Turismo para a Cultura, que ressalta e reforça a dimensão econômica da cultura, da economia criativa. Nós precisamos desenvolver formas alternativas de financiamento da cultura. Temos o compromisso com as leis de incentivo, mas é preciso mais, encontrar maneiras alternativas para que a gente possa reforçar as fontes de financiamento da área cultural. Tenho convicção que a política cultural do governo vai inspirar a encontrar caminhos para recolocar o estado no lugar que ele merece”, finalizou.

Prioridades – Em seu discurso, o secretário de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, enfatizou o trabalho da nova gestão em priorizar e valorizar as instituições públicas do setor cultural de Minas. “Gostaria de reafirmar que não participaremos, em nenhuma hipótese, de qualquer projeto que pretenda extinguir a Rádio Inconfidência, a Rede Minas, a Orquestra Filarmônica ou a Fundação Clóvis Salgado. Entendemos o valor e a importância dessas relevantes instituições e temos lutado, nessas últimas cinco semanas, desde que assumi, para recuperar seus orçamentos, equipamentos sucateados e pagar dívidas vencidas”, disse o secretário.
Matte ainda lembrou algumas das ações já desenvolvidas pelo governo nesse sentido. “Já conseguimos reaver o orçamento de custeio da Rádio Inconfidência e a verba para recuperar o ar-condicionado e a central elétrica do Palácio das Artes. Criamos um escritório de projetos, em parceria com outras secretarias, e já temos dez propostas estruturantes das áreas de cultura e turismo, visando a geração de empregos, renda, oportunidades, a indução do crescimento econômico de Minas Gerais. Entendemos a economia criativa como o eixo central e a melhor alternativa para a recuperação econômica do Estado. Valorizar e empoderar a diversidade cultural é valorizar as pessoas”, pontuou.
A nova presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras, também destacou o trabalho da entidade e o movimento de valorização da cultura no Estado. “São espaços que devem ser o lugar do encontro, da troca, da diversidade cultural e da convivência, da igualdade de oportunidades para as diversas expressões artísticas e culturais. A fundação é ativa para a execução das políticas públicas e cultura e suas diretrizes. Somos instrumento nesse grande movimento do desenvolvimento cultural da sociedade mineira. A cultura é estratégica para o desenvolvimento humano e social”, disse.
Também participaram da cerimônia secretários de Estado, deputados estaduais, lideranças municipais, representantes de órgãos e entidades ligadas ao setor, artistas e produtores culturais.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.