DestaqueEstado de Minas

Governo de Minas evita bloqueio de R$ 136 milhões nas contas do Estado

O Supremo Tribunal Federal (STF) acatou pedido do Governo de Minas para que não fossem bloqueados R$ 136 milhões em recursos do Tesouro Estadual, importante atuação da Advocacia-Geral do Estado (AGE). A iniciativa dos procuradores do Estado se deu após a União informar que bloquearia, unilateralmente, a pedido do Banco do Brasil, repasses constitucionais destinados a Minas, em virtude do vencimento de parcelas de financiamentos.
O bloqueio dos recursos seria um agravante diante da situação crítica em que se encontram as finanças do Estado, que enfrenta o déficit bilionário deixado pelo governo anterior. Na decisão do STF prevaleceu o entendimento de que os contratos entre o banco e o Estado ainda são objeto de discussão judicial. Além disso, cabe destacar que, se consideradas as perdas advindas da Lei Kandir, a própria União seria devedora do Governo de Minas Gerais.
Para o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa de Paula Castro, além dos argumentos apresentados pela AGE, “soma-se ainda o fato de o Estado manter tratativas avançadas de adesão ao Plano de Recuperação previsto na Lei Complementar 159, pela qual há um pacto federativo de auxílio e solidariedade entre União e Estados”. A renegociação das dívidas de Minas está entre as metas estabelecidas pelo governador Romeu Zema, que no último dia 16 reuniu-se em Brasília com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir a situação financeira de Minas.
A decisão do STF, que atende ao pedido apresentado pela AGE, foi proferida em caráter liminar, no último dia 7, pelo ministro Celso de Mello. O presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Minas Gerais (Apeminas), Ivan Luduvice Cunha, destacou a importância da atuação dos procuradores estaduais “em prol da sociedade mineira e em defesa do Estado, de modo a não prejudicar ou até evitar a interrupção de serviços fundamentais à população”.

Nova vitória – A decisão favorável a Minas é a segunda importante vitória obtida pela AGE neste ano. Em 4 de janeiro o governo mineiro já havia recorrido ao Supremo para solicitar o desbloqueio de R$ 443,3 milhões, referentes a contratos de empréstimo entre o Estado e o Banco do Brasil para realização de programas nas áreas de desenvolvimento econômico e de infraestrutura rodoviária. O desbloqueio pedido pela Advocacia-Geral do Estado foi decidido pelo próprio presidente do STF, ministro Dias Toffoli.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.