Estado de Minas

História viva da Fucam

O presidente Gildázio explica que a opção da Fucam fechada em si mesma não ajudava a fortalecê-la, razão pela qual houve construção de uma abertura para os anseios das comunidades locais nos territórios onde as unidades estão inseridas. “A nossa história está muito ligada ao São Francisco e ao que se produz no entorno do rio. A criação do Museu das Culturas não será apenas para guardar objetos antigos, mas torná-lo um espaço vivo que dissemina conhecimento, dialoga com a literatura de Guimarães Rosa e se abre para a história das comunidades ribeirinhas, os geraizeiros e os vazanteiros”, argumenta Gildázio.
Restauração do prédio – Com a parceria do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), a Fucam já tem pré-projeto das necessidades de restauração do prédio de Buritizeiro, destacando as mais imediatas como o telhado, as instalações elétricas e hidráulicas. Houve mobilização da comunidade da região e conseguiu-se a inserção de uma emenda popular de R$2 milhões no orçamento de 2019, destinados ao começo da restauração do Museu das Culturas.
“O telhado é o mais urgente. No segundo andar o piso é de madeira e não podemos colocar pessoas para nenhuma atividade, pois todas correriam risco. Assim estamos obedecendo às recomendações do Corpo de Bombeiros para que consigamos esperar os recursos”, disse Gildázio.

Estrutura da Fucam em Buritizeiro – O número total de servidores entre efetivos, designados e terceirizados chega a 30 para realização de todas as atividades oferecidas. O presidente relata que existe um polo de educação integral em funcionamento com atendimento a mais de 300 estudantes de escolas estaduais.
O trabalho é realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE) que designa 18 servidores para atender os alunos em atividades complementares no Centro Educacional. São oferecidos reforço escolar, iniciação musical, cursos de agroecologia e hortas.
Outra parceria também se dá entre a Fucam e a Prefeitura de Buritizeiro beneficiando 100 alunos com atividades complementares depois das aulas regulares. Para isso, três servidores municipais são deslocados para o Centro Educacional de Buritizeiro.
O presidente Gildázio ratifica que a Fucam é uma instituição aberta também às famílias dos alunos com curso diversos, numa parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). São oferecidos cursos de culinária, panificação, práticas ambientais e higienização. A expectativa, segundo ele, com o Museu das Culturas é abrir ainda mais a Fucam.

Mostre mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.