Agronegócio

Emater-MG lança cartilha com orientações de prevenção ao coronavírus durante a colheita do café

O estado é responsável pela metade da produção nacional e deverá colher mais de 30 milhões de sacas

06/05/2020 05h00
Por: Redação

A colheita do café está começando e Minas

Gerais deverá ter uma das maiores safras da história. O estado é

responsável pela metade da produção nacional e deverá  colher mais

de 30 milhões de sacas (60kg), segundo a Companhia Nacional de

Abastecimento (Conab). Se a previsão se confirmar, será a terceira vez

que os cafeicultores mineiros ultrapassarão esta marca. A colheita do

café gera um grande movimento de trabalhadores rurais, em mais de 460

municípios do estado, até o mês de setembro.

 

Neste ano, além dos cuidados usuais durante a colheita para garantir a

qualidade do café, os produtores deverão redobrar a atenção por

causa da pandemia do novo coronavírus.  A Emater-MG, vinculada à

Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa),

preparou uma cartilha alertando sobre os cuidados que devem ser tomados

como prevenção à Covid-19, para evitar a contaminação de

cafeicultores e trabalhadores rurais durante as atividades nas

propriedades.

 

A cartilha está disponível no site da Emater-MG e será distribuída

eletronicamente pelos técnicos da empresa para os produtores. Ela

também vai ser usada para auxiliar as prefeituras municipais na tomada

de decisão sobre medidas de prevenção à Covid-19 no período da

colheita do café.  

 

“Estamos orientando sobre vários cuidados básicos neste momento da

colheita, principalmente em relação ao coronavírus. É importante

salientar, que alguns municípios têm seus decretos  específicos, que

regulamentam as medidas de controle da doença, e que precisam ser

observados pelo cafeicultor”, afirma o coordenador estadual de

Cafeicultura da Emater-MG, Julian Carvalho.

 

A cartilha orienta o cafeicultor desde o momento da contratação da

mão de obra e do transporte dos trabalhadores até as ações de

prevenção no dia a dia da colheita. Seguindo as recomendações das

autoridades de saúde,  a Emater-MG lembra que pessoas com mais de 60

anos e aquelas portadoras de doenças como diabetes, doenças cardíacas

e respiratórias devem permanecer em casa, pois fazem parte do grupo de

risco.

 

Caso seja necessário providenciar veículo de transporte para

trabalhadores até a propriedade, devem ser observados cuidados como uso

de máscaras por passageiros e condutores, manutenção da distância de

aproximadamente dois metros entre as pessoas e desinfecção do veículo

antes e depois de cada viagem.

 

Nas fazendas onde há alojamento para os trabalhadores, a Emater-MG

orienta, entre outras coisas, que o ambiente seja higienizado

diariamente, que as camas sejam mantidas a uma distância de pelos menos

dois metros entre elas, que no dormitório seja disponibilizado álcool

em gel, além de água e sabão, para higienização das mãos.

 

A disponibilidade de água, sabão e álcool em gel também vale para os

refeitórios. A orientação é estabelecer horários diferentes para

que pequenos grupos de trabalhadores utilizem o local, posicionando as

mesas com uma distância mínima de segurança. Copos, talheres, pratos

e toalhas não devem ser compartilhados. E, quando possível, as

refeições devem ser servidas individualmente em marmitas, também

conhecidas como “quentinhas”.

 

A cartilha da Emater-MG orienta que os equipamentos utilizados durante a

colheita por cada trabalhador (peneira, rastelo, sacarias) sejam de uso

individual, sem compartilhamento. Outra recomendação é que cada

pessoa fique responsável por colher em uma fileira específica da

lavoura, evitando proximidade com outros trabalhadores. Durante o

trabalho de colheita, produtores e trabalhadores rurais precisam usar

máscaras.

 

Se possível, todas as pessoas envolvidas na colheita devem ser

submetidas à verificação de estado febril, com uso de termômetro

digital de testa. A aferição deve ocorrer,  preferencialmente, antes

do embarque nos ônibus ou no início diário das atividades. Aquelas

pessoas com febre e outros sintomas como tosse, dificuldade de respirar

e coriza, devem seguir as orientações médicas e ser afastadas do

trabalho.

 

FOCO NA QUALIDADE

Além dos cuidados de prevenção à Covid-19, a Emater-MG reforça a

necessidade de não deixar de lado o foco nas boas práticas de

colheita. “Esta fase é muito importante para obter um produto de

qualidade”, observa Julian Carvalho.

 

Entre os pontos de atenção, o coordenador da Emater-MG lembra que é

necessário iniciar a colheita, sempre que possível, no ponto ideal de

maturação dos frutos. Equipamentos como lavadores e secadores devem

ser limpos e revisados com antecedência.

 

Após colhido, o café precisa ser levado para o terreiro de secagem no

mesmo dia e esparramado em camadas finas. Durante o período que fica no

terreiro, é importante que o café seja movimentado constantemente para

evitar fermentações indesejáveis.  Além disso, é importante não

misturar lotes de cafés com umidades e qualidades diferentes. E o

cafeicultor precisa acompanhar o teor de umidade final do produto para o

armazenamento.

 

Principais recomendações

 

  Transporte

* Limpar bem o interior do veículo.

* Disponibilizar álcool em gel 70% para higienização das mãos dos

trabalhadores.

* As janelas dos veículos devem ser mantidas abertas e deve ser

respeitada a distância mínima de dois metros entre os passageiros.

 

Alojamentos

* As camas do alojamento devem ficar a uma distância mínima de dois

metros entre elas.

* Não compartilhar armários, toalhas e roupas de cama.

* Além da água e sabão, disponibilizar álcool em gel 70% para a

higienização das mãos.

 

Refeitórios

* Disponibilizar álcool em gel 70%, sabão e água.

* Propriedades que fornecem refeições devem servi-las no sistema de

marmitas ou “quentinhas” individuais.

* Evitar a aglomeração de pessoas no refeitório e definir horários

de alimentação diferentes para grupos pequenos. A distância mínima

entre as pessoas deve ser de dois metros.

 

Lavoura

* Manter distância mínima de dois metros entre os trabalhadores

durante a colheita.

* Não compartilhar as ferramentas e equipamentos.

* Realizar a higienização das mãos, máquinas e equipamentos antes e

após o uso.

* Utilizar máscaras de proteção durante dos trabalhos.

 

A cartilha completa pode ser acessada no site da Emater-MG:

www.emater.mg.gov.br

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários