PMU
Coluna

Lawrence Borges

Bastidores

Bastidores

BastidoresBastidores por Lawrence Borges

20/08/2019 06h00Atualizado há 1 semana
Por: Redação

PEDIU PARA SAIR

O secretário de Governo de Minas, Custódio Mattos (PSDB), confirmou na sexta-feira (16) que está deixando a pasta na administração de Romeu Zema (Novo). Essa é a segunda troca no secretariado no Governo de Minas. 

 

MOTIVO

Custódio enfrentou críticas na Assembleia Legislativa pela forma como vinha conduzindo a articulação com os deputados. A principal reclamação, coro engrossado pelos deputados do partido do governador, o Novo, é que os parlamentares tucanos têm sido privilegiados nas articulações.

 

SUBSTITUTO

O deputado federal Bilac Pinto (DEM) em conversa com a reportagem disse que chegou a ser consultado pelo governador Romeu Zema para assumir o posto deixado por Mattos, mas, afirmou que ainda não definiu se deixará a Câmara.

 

3º SALÁRIO DA SEGURANÇA

Para pressionar o Governo de Minas Gerais a pagar o 13º salário deste ano e melhorar a escala de pagamento, os profissionais da segurança pública vão fazer uma manifestação na quinta-feira na Cidade Administrativa. O ato já vinha sendo programado e foi mantido mesmo após uma reunião na manhã desta segunda-feira com membros do Executivo, em que a gestão sinalizou a escala de pagamento do benefício.

 

JATINHOS NO BNDES

Carlos Bolsonaro usou a sua conta no Twitter para publicar uma lista dos 10 jatinhos mais caros financiados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A lista é liderada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que pretende disputar a Presidência da República em 2022. A relação segue com algumas empresas como JBS, Neo Táxi Aéreo, Construtora Estrutural, lojas Riachuelo, Eurofarma Laboratórios, entre outras. 

 

RECEITA FEDERAL X GOVERNO FEDERAL

Auditores fiscais de alto escalão ameaçam entregar seus cargos caso sejam efetivadas indicações políticas na superintendência do Rio de Janeiro e em outros postos chaves do órgão. O órgão se encontra em crise, pressionado pelo Executivo, Legislativo e Judiciário para mudanças em sua estrutura e na forma de atuação.

 

MUDANÇAS

Nos bastidores da Receita, comenta-se de que o secretário especial da Receita, Marcos Cintra, teria solicitado ao superintendente do órgão no Estado, Mário Dehon, a mudança do delegado da alfândega do Porto de Itaguaí (RJ), José Alex Nóbrega de Oliveira, e da delegada chefe da Delegacia da Receita Federal no Rio de Janeiro II, na Barra da Tijuca.

 

ESTRATÉGICA

A Delegacia da Alfândega da Receita Federal no Porto de Itaguaí é estratégica no combate a ilícitos praticados por milícias e pelo narcotráfico em operações no porto, que incluem contrabando, pirataria e subvaloração de produtos.

 

DONOS DO PEDAÇO

Na última quinta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro foi questionado sobre a intenção de substituição na Receita Federal no Rio e declarou que poderia trocar postos em que pessoas se julgavam “donos do pedaço”.

 

ESTRANHEZA

Falando em indicações, com a nomeação do reitor da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Luiz Fernando Resende dos Santos Anjo, veio no pacote um capitão de Fragata, que já atuou na Marinha, no Ministério da Defesa e na Administração Pública Federal nos setores de salvamento, aviação, ensino, logística e gestão estratégica. Sua indicação tem causado estranheza pelos corredores da UFTM.

 

PRIVATIZAÇÃO DA ELETROBRAS

Medida Provisória que trata de aporte bilionário para a Eletrobrás empresa perde validade no dia 21, e governo deve apresentar um novo projeto de lei com esse tema. O projeto de lei de privatização da Eletrobrás do governo Bolsonaro se assemelha muito ao apresentado no governo Michel Temer (MDB), que previa um aumento de capital, por meio do qual a União reduziria sua participação na estatal, atualmente em 60%, para algo inferior a 50%.

 

PASSANDO A BOLA

A privatização da Eletrobrás deve ser encaminhada ao Congresso, pelo governo federal, nesta semana. A proposta deve contemplar os mesmos itens que compunham a Medida Provisória 879, não votada pela Câmara e que perderá validade na próxima quarta (21).

 

COBRINDO DÍVIDAS

O principal ponto é o aporte de até R$ 3,5 bilhões da União à companhia, previsto para ocorrer até 2021. Esses recursos serão usados para cobrir dívidas das seis distribuidoras vendidas em 2018. Os débitos haviam sido assumidos pela estatal.

 

SENADO RESISTE AO 03

Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo explica a cautela com que o presidente Jair Bolsonaro tem tratado a indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil em Washington. Hoje, ele não teria o mínimo de 41 votos no plenário do Senado para ser aprovado para o comando da representação diplomática mais importante do País no exterior. Dos 81 senadores, 30 responderam que pretendem votar contra o nome do “filho 03” do presidente, ante 15 que disseram ser a favor.

 

JÁ EXISTE

A divulgação da lista de espera de casas e terrenos junto a Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra) foi aprovada ontem, no Plenário da Câmara. O projeto, de iniciativa do vereador Thiago Mariscal (MDB) determina que a lista atualizada seja publicada em página eletrônica oficial da prefeitura.  Na verdade, isso tudo já está disponibilizado no site da Cohagra, que é a primeira companhia a utilizar esta prática e transparência. Também importante ressaltar que isso já é uma determinação do Ministério das Cidades.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias