Coluna

Lawrence Borges

Bastidores

04/06/2020 05h00
Por: Redação

 DE CABEÇA ERGUIDA

Os secretários municipais de Finanças e Serviços Urbanos, Wellington Fontes e Antônio Sebastião solicitaram a desincompatibilização dos cargos. Fontes e Toninho com mais de cinco décadas de trabalho e honradez, tiveram seus nomes jogados na lama, por um circo montando por denúncias que carecem de apuração.

 

DA FORMA REALIZADA

A condução midiática das operações serve condenar as pessoas sem oportunizar a ampla defesa e o contraditório, abalam o psicológico, a família, e todos os entes queridos, para daqui a 5 ou 10 anos, serem inocentados e sem qualquer reparação sobre os danos causados.

 

DEDICAÇÃO

Segundo as notas distribuídas à imprensa, os ex-secretários municipais, vão dedicar a dar apoio a família, e apresentar os esclarecimentos devidos as autoridades e comprovar a ilegalidade das acusações.

 

FUNDO DE CENA

Segundo articuladores políticos o pedido de desincompatibilização de Toninho Oliveira, justamente no último dia do prazo para quem quer ser candidato nas próximas eleições, seria um fundo de cena, confissões à coluna BASTIDORES dão conta que ele poderá ser candidato a prefeito.

 

JOGOU A TOALHA

A secretária municipal de Educação Silvana Elias decidiu também permanecer no cargo até o final da gestão, desistindo da pretensão de disputar a indicação para candidata a prefeita pelo MDB.

 

IRACI FICA

O secretário Iraci Neto, cotado para participar do processo eleitoral de 2020 pelo PSD, atendeu apelo do prefeito Paulo Piau e irá permanecer no cargo de secretário de Saúde. O secretário, que junto com o prefeito, está à frente das ações de enfrentamento da Covid-19, tinha seu nome cogitado para compor na eleição majoritária.

 

MOMENTO DE ATITUDE

Segundo Iraci Neto, após uma conversa com o prefeito Paulo Piau, decidiu permanecer no cargo, pois entende que o momento requer esta atitude. “Estamos em um momento delicado no que tange a Saúde Pública com esta pandemia e o pedido do prefeito para minha permanência será atendido. Estaremos juntos nesta batalha contra o coronavírus, defendendo a cidade de Uberaba. Nesta decisão também pesa a excelente equipe que tenho na secretaria. Estamos empenhados nesta luta e ficaremos juntos até o fim”, disse.

 

FALTAM 2

Depois da saída do ex-deputado Tony Carlos do MDB para o PTB, a desistência de José Renato Gomes e Silvana Elias, continuam no páreo para indicação para sucessão do prefeito Paulo Piau, o vereador Luiz Humberto Dutra e o ex-presidente da Cohagra Marcos Jammal.

 

ESCOLHA DE SOFIA

O deputado estadual Heli Andrade (PSL) tem decisão difícil para os próximos dias, disputar a eleição para prefeito e correr o risco de perder e enfraquecer seu mandato como deputado estadual, da mesma forma, que Fahim e Lerin, ou ser eleito e deixar Uberaba sem representação.

 

COMBATE AO CÂNCER

O Senado aprovou ontem um Projeto de Lei (PL) 6.330/2019, que obriga os planos de saúde a cobrirem tratamentos domiciliares com medicamentos neoplásicos. Medicamentos neoplásicos são aqueles usados para combater células cancerígenas. O projeto segue para apreciação da Câmara dos Deputados.

 

VETO DO BOLSONARO

O presidente Jair Bolsonaro vetou o repasse de R$ 8,6 bilhões de um fundo extinto para o combate à pandemia do novo Coronavírus. Com o veto, os recursos poderão ser usados apenas para o pagamento à dívida pública, como constava do texto original da Medida Provisória 909, editada em dezembro e aprovada em maio pela Câmara e pelo Senado.

 

PRISÃO DOMICILIAR

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu terça-feira (2), por unanimidade, que todos os presos dos regimes aberto e semiaberto no sistema penitenciário de Minas devem passar a cumprir a pena em casa, em razão da pandemia do novo coronavírus.

 

FUNDEB AMEAÇADO

Com pandemia, queda de repasses do Fundeb ameaça custeio da educação nas cidades. Municípios relataram queda de aproximadamente 20% dos recursos em abril e temem dificuldades para pagar professores

 

TRF DA 6ª REGIÃO

O clima na Câmara dos Deputados é de que o projeto que cria o Tribunal Regional Federal da 6ª Região (TRF-6) em Minas Gerais não vai ser votado na Casa em julho, como foi prometido pelo presidente do Legislativo, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e não deve vir à tona tão cedo. A bancada mineira tentou articular a apreciação do texto no último mês, mas decidiu retirar de pauta por conta da visão de uma derrota iminente no Parlamento. A leitura feita nos bastidores é de que os mineiros estão longe de conseguir o apoio dos colegas.

 

JULGAMENTO DE BOLSONARO

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, incluiu na pauta do plenário do TSE da próxima terça-feira o julgamento de duas ações que pedem a cassação da chapa presidencial Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão nas eleições de 2018 por supostos ataques cibernéticos em grupo de Facebook para beneficiá-los, informou a assessoria de imprensa do órgão.

 

CRISE NA FUNDAÇÃO PALMARES

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, classificou o movimento negro como "escória maldita", que abriga "vagabundos", e chamou Zumbi de "filho da puta que escravizava pretos". A portas fechadas, Camargo também manifestou desprezo pela agenda da "Consciência Negra" e prometeu botar na rua diretores da autarquia que não tiverem como "meta" a demissão de um "esquerdista.

 

PROPAGANDA NO PT

O relatório da CPI das Fake News que identificou mais de 2 milhões de anúncios do governo federal em páginas de conteúdo inadequado também mostrou que até mesmo um canal do YouTube do deputado Paulo Pimenta (PT-RS) recebeu verba pública. Segundo o documento, a publicidade veiculada foi da campanha em defesa da reforma Previdência. O parlamentar militou contra a mudança nas regras de aposentadoria, aprovada no ano passado no Congresso.

1comentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários