Bolsonaro

Bolsonaro inaugura hospital de campanha em Goiás e leva tombo após chegar de helicóptero

A unidade foi a primeira a ser construída pelo governo federal e repassada para a administração estadual

06/06/2020 05h00
Por: Redação
Presidente Jair Bolsonaro cai ao tropeçar em mangueira durante inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás - Foto: Reprodução/TV Globo
Presidente Jair Bolsonaro cai ao tropeçar em mangueira durante inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás - Foto: Reprodução/TV Globo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou da inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, ontem. Ele não usava máscara e, ao se dirigir ao local da cerimônia, escorregou e caiu.

A unidade foi a primeira a ser construída pelo governo federal e repassada para a administração estadual. O governo goiano equipou os leitos, que vão atender moradores da região com coronavírus.

O hospital tem capacidade para 200 leitos, mas começará a funcionar com 60 vagas, sendo 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Apenas pacientes encaminhados por outras unidades de saúde poderão dar entrada.

Inicialmente, a previsão era que o hospital começasse a receber os pacientes ainda nesta sexta-feira. Entretanto, após a inauguração, o secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, informou que ainda é necessário fazer uma limpeza e desinfecção para que a unidade inicie o atendimento. O recebimento dos primeiros pacientes também dependerá do encaminhamento feito pela Central de Regulação.

O Entorno do Distrito Federal tem, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, 1.145 casos confirmados e 39 mortos por Covid-19, até esta sexta-feira.

 

Cerimônia - O presidente chegou de helicóptero às 8h45, acompanhado dos ministros general Eduardo Pazuello, general Braga Netto e Marcos Pontes. Também participaram da inauguração o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e o secretário Estadual de Saúde.

"Muito obrigado pelo convite, por essa oportunidade de inaugurar esse hospital e, do fundo do coração, a gente torce que pouca gente venha pra cá, porque é sinal que não precisa de atendimento", disse Bolsonaro durante a inauguração.

Caiado agradeceu o apoio do governo federal na construção de hospitais no estado e destacou que isso possibilitou que outras regiões tivessem um atendimento intensivo. “Nós tínhamos UTIs apenas em Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia. Essa região tem 1,2 milhão de habitantes e nenhum leito de UTI. Nunca foi feita uma visão no sentido de dar saúde pública à população que vive no interior do estado. Vossa excelência, presidente, nos deu o apoio”, disse.

Por fim, o governador disse que as estruturas que estão sendo montadas vão poder atender a população, no futuro, de maneira permanente. "Isso aqui não será uma obra temporária. Todas essas áreas serão definitivas e continuarão depois da pandemia", afirmou.

O prefeito da cidade, Hildo do Candango (PTB), disse que já existem pacientes à espera da liberação do hospital para serem transferidos. “Hoje, a gente já tem no Hospital Bom Jesus cinco pacientes internados, esperando na fila para vir para essa estrutura. Assim que for feita a desinfecção, regularemos esses pacientes para o Hospital de Campanha de Águas Lindas”, disse.

Após a solenidade, o presidente cumprimentou apoiadores que estavam próximo ao hospital. Ele embarcou no helicóptero e deixou o local às 10h05.

Além do Hcamp de Águas Lindas de Goiás, o Entorno do DF conta com leitos de UTI no Hospital Regional de Luziânia, inaugurado em 21 de maio. A unidade de saúde estava em construção há 7 anos e custou mais de R$ 8 milhões. Por causa da pandemia, por enquanto, o hospital está restrito ao atendimento de pessoas com sintomas de coronavírus ou com confirmação da Covid-19.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários