Banner prefeitura Covid
Artigo

Arahilda Gomes Alves

Cadeira 33 ALTM; membro Academia Poetas Portugueses e Academia Letras e Artes Portugal

Reflexões

ReflexõesArtigos diários

07/06/2020 05h00
Por: Redação

  As emoções do circo

No tempo dos imperadores romanos, chegamos aos nossos dias, na mostra das reconstruções arquitetônicas das ruinas de Roma sendo cartão postal, o Coliseu Inaugurado por Tito nos anos 80 D.C.com capacidade para 50 mil espectadores. Sua arena servia para lutas entre gladiadores recrutados em meio aos criminosos. Ao perdedor era decidido entre a plateia, se ao sinal de erguer ou abaixar o polegar, era ele entregue aos leões famintos, no abrir dos muitos corredores.  Um grande velário protegia do sol e da chuva os assistentes nobres, que ocupavam a parte baixa do grande anfiteatro reservando ao povo, as últimas arquibancadas. Era um verdadeiro pão e circo alegrando a todos evitando-se revoltas.

 Não se pode estabelecer em nossos dias, que o circo tenha sentido pejorativo como sinônimo de confusão.

O CIRCO com letras maiúsculas remonta-nos à fase ditosa da infância, quando a TV não existia. O espetáculo circense aglomerava apresentações variadas, da alegria, ao suspense: malabaristas, equilibristas, palhaços que balançavam a lona em gargalhadas sonoramente ecoantes.

Estamos em estado de graça na presença em tempos de corona vírus com o Circo Chronos enfeitando a paisagem uberabense. Chegou e se quedou após raras apresentações, nos espaços da ABCZ até que, vencido o prazo de contrato, não tinha como continuar o espetáculo. Mas os livros, sempre digo que têm asas. Entrou porta adentro dialogando com mensageiros especiais- as crianças, famintas de alimentos e de arte. Atravessou avenidas e estacionou no casarão da ALTM. Atentos em seu secular templo de benesses, cutucou sem alarde, o irriquieto presidente Dr João Sabino. Balançou alicerces sacudindo corações. E deixando a burocracia de lado, foi aos “finalmente” com rapidez de quem demove obstáculos.

O Circo foi para outras aragens respirar arte a céu aberto. A população acompanhou toda a nova estratégia. Em festa, ao ar livre, ostenta um palco aberto e coroando a nova estrutura, carros em círculo completam a lotação. Sua reinauguração trouxe o reconhecimento de público do proprietário Luciano Rangel, secretária-mor Brenda Costa Vasconcelos e toda sua “troupe”. No discurso solene, em meio a businaço diferenciado de espectadores, nas dezenas de carros formando grande círculo, o que trouxe novo alento aos artistas, a gratidão ao nosso visionário Dr. João Sabino, confessando-se ter o coração disparado a mil. A nobreza de nosso Presidente da ALTM o faz distribuir esse reconhecimento ao apoio de seus pares.

A manifestação se agiganta em gestos carinhosos de moradores em prédios circundantes aplaudindo em movimentos de apagar e acender das luzes. Grande marco histórico, o mérito de quem traz a primeira luz, estrela maior compondo a Via Láctea de uma constelação!

 

 

1comentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários