PMU
RN Saúde e Hapvida

RN Saúde e Hapvida aguardam aprovação dos órgãos competentes para finalizar transação

Maria das Graças Salvador

22/08/2019 06h00Atualizado há 3 semanas
Por: Redação
Sócio fundador da RN, Leomar Naves, diz que aceitou venda por beneficiar usuários
Sócio fundador da RN, Leomar Naves, diz que aceitou venda por beneficiar usuários

A concretização da aquisição dos 75% das cotas representativas do capital social da RN Saúde pelo grupo Hapvida ainda aguarda a aprovação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A informação é do sócio fundador da RN, Leomar Naves, que detém 25% das ações.

“Os processos foram enviados para a ANS e o Cade e aguardamos a aprovação e autorização destes órgãos para a finalização do negócio. As informações técnicas por parte da Hapvida ainda são precárias. São informações prévias porque ainda não está oficializado, mas a expectativa e boa”, afirma Naves, observando que os protocolos foram feitos a cerca de um mês e acredita que de 30 a 90 dias receberão uma resposta. 

O sócio-fundador diz acreditar que as mudanças serão melhores para os usuários e colaboradores da RN. “Vamos sair de uma operadora regional e passar para a maior do país. A Hapvida é uma empresa robusta, competitiva e com laço nacionalizada. Isso irá reduzir os custos e melhorar os serviços”, afirma Naves, explicando que na empresa Nacional os serviços são credenciados, enquanto na nacionalizada os serviços são verticalizados fazendo com que os custos fiquem mais baixos. 

Questionado se os clientes poderão ter acesso à rede nacional de atendimento, Naves observa que estes detalhes serão discutidos após a aprovação pelam ANS e Cade, entretanto diz imaginar que sim. 

Ainda segundo ele, na próxima semana irá acontecer um processo de integração entre equipes da RN e Hapvida para começar a conversar. 

Sobre a venda da RN, lembra que como sócio tinha de dar seu aval. “Várias empresas sempre procuraram a RN e como sócio fundador eu exercia o direito de preferência, e nada se concretizava. Quando vi a proposta da Hapvida, de que iria de melhoria para usuários e colaboradores aprovei a venda e pretendo ficar junto com o grupo.

Vale lembrar que o grupo Hapvida, terceiro no ranking de operadoras da ANS, com 2,39 milhões de beneficiários - atrás apenas de Amil e da Bradesco - adquiriu por R$ 53 milhões, 75% das cotas da RN Saúde, em meados de julho, que tem 50 mil usuários e receita líquida de R$ 123 milhões, em 2018. 

Hapvida, que nasceu em Fortaleza, no Ceará, e tem forte presença no Nordeste e no Norte do país, disse na época, que a  aquisição corrobora com a sua “estratégia de expansão geográfica, por meio da utilização de plataforma de crescimento na região do Triângulo Mineiro, uma região com cerca de 620 mil beneficiários de planos de saúde privado e cerca de 2,4 milhões habitantes”. A meta do grupo é consolidar sua atuação nacional e se tornar o primeiro no ranking nacional de operadoras de saúde.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias