Banner prefeitura Covid
Coluna

Cultura

Luiz Hozumi

Luiz Hozumi

Luiz HozumiProdutor cultural, publicitário, especialista em gestão e políticas culturais. [email protected]

18/06/2020 05h00
Por: Redação

POR QUE A CULTURA?

A Lei Emergencial da Cultura ainda não foi sancionada pelo presidente da república, a data limite é dia 1º de julho. Fiz uma pequena pesquisa, lançada na semana passada nesta página e tive algumas respostas sobre o que as pessoas têm pensado sobre a lei. Claro que dentro da minha bolha acredito que quem respondeu, obviamente são pessoas mais interessadas com a cultura, principalmente as que, de forma resistente, ainda leem uma página específica para o assunto. Muitas apoiam a criação da lei e entendem sua necessidade emergente, visto que, os profissionais da área e as empresas ligadas ao setor, foram as primeiras impactadas com a crise e, notadamente, não têm previsão nenhuma de retorno às suas atividades.

A criatividade tem feito o trabalho cultural ser encarado através de outros prismas, mas nem tudo pode ou deve ser adaptado. Ainda assim, uma resposta me fez refletir por mais tempo. Uma pessoa ligada à cultura exclamou que os artistas querem um tratamento especial e que nenhum outro setor fez este tipo de cobrança. Sim, acredito que os profissionais da cultura querem um tratamento especial, da mesma forma que sempre foram tratados.

Exemplifico: no auxílio emergencial geral os artistas não foram considerados trabalhadores, dessa forma tiveram o auxílio negado, um caso óbvio de tratamento especial; ao buscar crédito nas instituições financeiras, as empresas do setor ou recebem um “não” como resposta, ou aceitam os maiores juros do mercado (nenhum banco acredita que poderão honrar seus compromissos, sendo um outro tratamento especial); os editais da área privilegiam os grandes centros, mas é só mais um tratamento especial para o restante do país, da mesma forma que os incentivos via dedução fiscal (nada de novo), além de especialidade na forma de ver o mercado, mesmo que pesquisas comprovem que a cada 1 real investido, o retorno é de 1,6 reais; a maioria dos espaços independentes não recebem nenhuma verba pública, nenhuma isenção de impostos, nenhum perdão de dívidas, pois não são vistos como bons negócios, um tratamento mais que especial. É necessário refletir sobre a especialidade da cultura e dos profissionais do setor, mas não apenas no período de pandemia. A verdade é que o tratamento especial aos profissionais precisa ser revisto e, acredito que tudo que não queremos, é este tipo de tratamento. Valorizar a cultura não é colocá-la em um pedestal imaginário, mas tirar de lá os reais privilegiados para que então todos sejam tratados da mesma forma. 

 

MEMORIAL CHICO XAVIER PREPARA MATERIAL COM PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO

Com o objetivo de resgatar histórias e recordações de Chico Xavier, o Memorial que leva o nome do médium em Uberaba lança o projeto "Sua história com Chico". O intuito é incentivar pessoas a relatarem momentos especiais que vivenciaram com o líder espírita, seja a partir de experiência concreta ou até mesmo por meio da inspiração em seus livros, legado e exemplo. Para participar, os interessados devem encaminhar vídeo ou foto relatando sua história. O material será recebido pelo e-mail [email protected] e pelo WhatsApp institucional (34) 3338-3091. Os vídeos e fotos recebidos serão divulgados nas redes sociais da Fundação Cultural de Uberaba e inseridos no acervo do Memorial Chico Xavier, podendo futuramente fazer parte das exposições do local. O envio de registros funciona com o consentimento para publicações tanto nas redes sociais quanto em eventos e exposições realizadas no Memorial.

 

SARAU VIRTUAL REÚNE LEITORES E LIVROS 

Acontece nesta quinta, dia 18 de junho, Sarau Virtual que reunirá livros e leitores. O evento é uma iniciativa do Sebo da Jozi, que completa quatro anos de atividades em Uberaba. Às 20h pelo Instagram @sebodajozi_ o encontro das palavras é uma celebração que tem como tema o livro sempre presente. 

 

LANÇADO DOCUMENTÁRIO "OURO NEGRO" QUE CONTA A VIDA DO PROFESSOR ANTÔNIO CARLOS MARQUES

Com direção e roteiro de Diandra Tomaz o videodocumentário 'Ouro Negro' reconstrói a história de vida e contribuição cultural do professor Antonio Carlos Marques, presidente da Fundação Cultural de Uberaba entre 2016 e 2019. A obra foi lançada na última segunda, dia 15 de junho, aniversário de um ano da morte do professor. 'Ouro Negro' foi produzido no segundo semestre de 2019 e é resultado de um trabalho dos alunos do 7º período de Jornalismo da Universidade de Uberaba. O documentário tem narração de Eustáquio Rocha e traz depoimentos de pessoas que fizeram parte da vida de Antonio Carlos, entre elas, Cairo Damasceno (rapper Toi), professor Décio Bragança, Elisabete Cardoso, historiadora Maria Aparecida Manzan, cantor e compositor Nei Lopes, a esposa Élita Ribela e a filha Thaynara Ribela. O filme está disponível no canal youtube.com/FundacaoCultural e no site oficial https://docantoniocarlos.wixsite.com/ouronegro

 

BDMG CULTURAL LANÇA EDITAIS DO PROGRAMA LAB CULTURAL 

Até o dia 7 de julho, o BDMG Cultural recebe inscrições para três editais do programa Lab Cultural. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas exclusivamente pelo site www.bdmgcultural.mg.gov.br. Criado em 2020, o Lab Cultural é um programa de valorização e incentivo à pesquisa e desenvolvimento de processos artísticos e culturais em Minas Gerais e lança este ano três editais de bolsas – nas áreas de Artes Cênicas, Artes Visuais e Música e Experimentação Sonora – respeitando a segurança sanitária necessária para a realização das atividades e todas as indicações científicas para isso. Ao todo, serão selecionados 30 projetos artísticos. Cada área – Artes Cênicas, Artes Visuais e Música e Experimentação Sonora – terá 10 projetos aprovados a serem desenvolvidos em quatro meses de pesquisa. Cada proposta selecionada receberá uma bolsa de R$ 6 mil a ser dividida nos quatro meses de pesquisa sob tutoria. Cada selecionado receberá também o valor de até R$ 1.500,00 exclusivamente para a produção dos projetos descritos e mediante reembolso. Poderão se inscrever artistas comprovadamente residentes em Minas Gerais há no mínimo dois anos.

 

PRÊMIO FUNARTE RESPIRARTE

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) publicou na última na terça-feira, dia 16 de junho o edital Prêmio Funarte RespirArte destinado aos diversos segmentos atendidos pela Fundação, com o objetivo de selecionar atrações online em vídeos e promover arte de diferentes vertentes culturais em todas as regiões do país. As inscrições são gratuitas e já podem ser realizadas. O Prêmio Funarte RespirArte incentivará 1.600 produções artísticas inéditas em vídeo, realizadas em plataformas digitais, com premiações de R$ 2,5 mil para cada contemplado (deduzidos os tributos). As áreas atendidas são: circo, artes visuais, música, dança, teatro e artes integradas. A Funarte concederá 270 prêmios para cada uma das linguagens específicas e 250 para artes integradas, totalizando um investimento de R$ 4.072.000,00 (R$ 4 milhões para os projetos e R$ 72 mil para custos administrativos). Para mais informações basta enviar e-mail para: [email protected] 

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários