Covid-19

Com a chegada do coronavírus a higiene ganha ainda mais importância no dia a dia

"Na sociedade atual, nossas vidas tornaram-se desafiantes e é possível ser organizado e limpar a casa de uma maneira fácil, rápida e sem sofrimento”, explica a professora Anny Rosa

21/06/2020 05h00
Por: Redação
Higienista professora Anny Rosa cria escola de limpeza para formar profissionais e destaca a importância de cuidar bem do nosso corpo, dos alimentos e das rotinas domésticas para se proteger e promover a saúde - Fotos: Divulgação
Higienista professora Anny Rosa cria escola de limpeza para formar profissionais e destaca a importância de cuidar bem do nosso corpo, dos alimentos e das rotinas domésticas para se proteger e promover a saúde - Fotos: Divulgação

 

Fabiana Silbor

Especial para o JU

A expertise adquirida em mais de 20 anos de vendas, supervisão, gerenciamento, e treinamento de equipes despertou na professora Anny Rosa a decisão de contribuir formando profissionais e palestrando sobre diversos assuntos relativos à higienização.

Há tempo vem se dedicando às palestras, à educação continuada e à formação de equipes profissionais, que atuam nos mais diversos ambientes industriais e empresariais. Com a chegada do coronavírus - Covid-19, a educadora tem sido, ainda, mais requisitada e feito palestras com dinâmicas motivadoras para reforçar a importância da limpeza e da higienização. Apesar do foco da especialista ser no segmento profissional, nessa entrevista ela colabora com conhecimento, também, sobre as rotinas domésticas. 

“Tudo na vida evoluiu e a limpeza doméstica não é exceção. Na sociedade atual, nossas vidas tornaram-se desafiantes e é possível ser organizado e limpar a casa de uma maneira fácil, rápida e sem sofrimento”, explica a professora Anny Rosa. 

Formada em Segurança do Trabalho e Tecnologia de Gestão Ambiental, a especialista em Vigilância Sanitária, desenvolve consultorias para elaboração, implantação e gerenciamento de todas as exigências da Anvisa, normas regulamentadoras, acreditação e demais obrigatoriedades. Com tanto conhecimento ela decidiu compartilhar. Criou a “Escola de Limpeza” com cursos como introdução à higiene alimentar, princípios de governança hospitalar, entre outros. 

Segundo ela, por causa da pandemia, algumas medidas de prevenção são importantes como evitar contato com pessoas que apresente sintomas suspeitos, manter o distanciamento social, lavar adequadamente as mãos com água e sabão. Quando não houver a possiblidade de lavar, utilizar álcool em gel 70%. É importante o uso de máscaras, manter os ambientes higienizados, ventilados, e que o distanciamento de dois metros entre as pessoas seja respeito.

Apesar das informações já serem de conhecimento da maioria, muitos, ainda, estão indiferentes à nova rotina, exigida, inclusive no Decreto Municipal 5555. Por isso, repetir os protocolos básicos, como a etiqueta da tosse, por exemplo, é fundamental para consolidar a cultura de promoção da saúde.

Anny Rosa explica que empresas comerciais, também, devem aprimorar continuamente os cuidados com a higienização. Instituições como academias, bancos, restaurantes, hotéis, motéis e todos os setores que necessitem de limpeza e higienização profissional devem assumir esse compromisso social para o cuidado coletivo. “Importante, ainda, destacar que a importância da qualificação. “O profissional de higienização precisa ter postura para superar as adversidades, compreender o trabalho em equipe, e a humanização. Esses aspectos somam capacidade desenvolvida em treinamentos, para a segurança de pacientes, usuários e do próprio trabalhador”, entre outros temas, fazem parte do portfólio de assuntos abordados.

Obs. Importante destacar a observação de que as fotos são antecedentes por causa da falta de máscaras e da medida de afastamento.

 

Cuidados a serem tomados em casa

Organize a faxina e use produtos, que “trabalhem” por você, pois é preciso deixar o produto agir, dê um tempo, passe para outro local e depois finalize

 

Segundo a professora em ambientes domésticos, de baixos recursos, limpe a casa com água e sabão. Pode passar desinfetante com um pano úmido. Faça com rapidez e cuidado. Limpe os móveis de cima para baixo. Organize a faxina. Use produtos, que “trabalhem” por você. Ao higienizar é preciso deixar o produto agir, dê um tempo, passe para outro local e depois finalize. É sempre bom lembrar que lugar cheiroso nem sempre é sinônimo de limpeza. 

Lavar roupas, também, é uma rotina, que precisa ser adequada. Meia hora de molho, em seis partes de água para uma parte de hipoclorito de sódio 1% ajuda a desinfetar. Água, sabão e detergente apropriados devem ser utilizados para a limpeza das roupas. Importante que se houver alguém em casa com sinais de Coronavírus o ideal é separar as vestimentas na hora de lavar. O ideal é lavar as roupas usadas diariamente. 

Os sapatos devem ser limpos. O ideal é usar luvas na desinfecção. Tire o calçado antes de entrar na residência. Deixe um par de chinelos para calçar exclusivamente dentro de casa. Use um tapete, do tipo “capacho” que pode ser lavado toda semana. Três dicas interessantes dos especialistas: Borrife desinfetante nos sapatos, limpe as solas. “Devemos cuidar da limpeza da casa e de todos os cantinhos aos quais não damos atenção”.

Esponjas: antes de tudo, não compre esponjas muito caras com a intenção de que durem várias semanas. Este elemento, que fica permanentemente úmido, é um potencial gerador de uma grande quantidade de germes. Portanto, o ideal é que você descarte o antigo e use um novo com frequência.

Cortinas de chuveiro: a frequência ideal para limpar esse elemento é a cada 15 dias. Como pode ser um trabalho tedioso, é melhor colocá-las na máquina de lavar com água morna e algumas toalhas.

Vaso sanitário: você pode não acreditar, mas o seu computador e outros aparelhos podem estar mais contaminados do que o seu vaso sanitário. Isso não significa que ele não deva ser limpo a cada sete dias, no mínimo. Uma dica: abaixe a tampa ao dar a descarga para que a sujeira fique do lado de dentro e não espirre, contaminando outras áreas do banheiro.

Toalhas: para saber se você está limpando corretamente todos os objetos da sua casa, pergunte-se com que frequência você lava as toalhas. Assim como as roupas e os lençóis, as células mortas se aderem a elas, o que significa um campo fértil para bactérias e germes. Portanto, é melhor não deixá-las em uso por mais de três dias.

Outros objetos do banheiro: certamente não será um exagero esclarecer que, no banheiro, você deve manter a limpeza de todos os componentes. Começando com os azulejos, se você os secar toda vez que tomar banho, o acúmulo de sujeira será menor. Além disso, você deve lavar a saboneteira, os vidros e os espelhos e, em geral, todas as superfícies.

Lençóis: mesmo que você tome banho todos os dias, não use os lençóis por mais de uma semana. A pele elimina células mortas todas as noites e, embora eles possam ser aspirados todos os dias, colocá-los com água morna e sabão na máquina de lavar garante uma limpeza adequada.

Pisos: a limpeza do chão é relativa. Há cômodos da casa com mais ou menos circulação de pessoas, existem ou não animais de estimação que soltam pelos, há dias de chuva e umidade que deixam os pisos mais sujos, etc. Nas áreas comuns, uma limpeza profunda deve ser feita pelo menos uma vez por semana.

Maçanetas e chaves: não temos nem ideia da quantidade de bactérias que se acumulam nesses objetos da casa. Se você não os estiver limpando corretamente, garantimos que existem várias colônias de germes instaladas nesses lugares. Um desinfetante poderoso é o álcool 70%.

Interruptores: logo que chegamos em casa, a primeira coisa que fazemos é acender a luz. Nessa ação tão simples, estamos deixando uma grande quantidade de sujeira no interruptor. Dessa forma, o mesmo álcool que você usa para as chaves e a maçaneta da porta pode ser usado nesses objetos.

Computador, mouse, controle remoto, telefone celular: a essa altura, certamente você já percebeu que seus dedos podem deixar bactérias, germes ou fungos ou, o que seria pior, recebê-los. Nesse caso, também recomendamos uma limpeza com álcool pelo menos uma vez por semana.

Para terminar, lembre-se de que móveis, tapetes e estofados também precisam do aspirador de pó com frequência para eliminar a poeira e a proliferação de germes e bactérias. Embora seja um excesso limpar todos os dias, se você não estiver fazendo isso corretamente, abrirá a porta para a entrada desses “intrusos” no seu lar. (FS)

 

Oportunidades surgem no mercado de trabalho

Palestras da professora Anny Rosa antes da infecção por coronavírus já que hoje as atividades são virtuais

 

Sobre o mercado de trabalho a professora Anny Rosa destaca que novas oportunidades surgem todos os dias. A pandemia abriu uma nova frente de empregabilidade e consolidou a importância do profissional que investiga, alerta e orienta sobre os cuidados higiênicos e sanitários adequados para evitar problemas de saúde. “O Educador Sanitário ou Educador em Saúde atua desde a prevenção até o controle de grandes epidemias”.

A respeito das diversas polêmicas sobre o uso de máscaras, a especialista explica que foi aprovada a venda de máscaras de proteção de uso não profissional (máscaras de tecido) em farmácias e drogarias. A medida visava facilitar o acesso da população ao produto, reforçando o enfrentamento da pandemia provocada pelo novo Coronavírus

“As máscaras de uso não profissional não são enquadradas como produtos para saúde para fins regulatórios. A Agência enquadra nessa categoria equipamentos de proteção individual destinados a profissionais de saúde, como máscaras cirúrgicas, luvas e aventais cirúrgicos. Entretanto, as máscaras de tecido atuam como barreiras físicas, contribuindo para a saúde pública com a redução da propagação do novo coronavírus. Podem colaborar, ainda, para a redução do risco de infecções no contexto da pandemia. A Anvisa reforça que o uso de máscaras de tecido deve ser adotado juntamente com outras medidas, especialmente a redução do contato social, a higienização das mãos e a proteção do nariz e da boca ao tossir e espirrar”.

Outro tema interessante destaco por ela são os cuidados com as crianças. “O ambiente doméstico é o principal local em que ocorrem as intoxicações, que geralmente não são intencionais. Para evitá-las, a melhor medida é a prevenção, de modo a criar um ambiente seguro para as crianças”. (FS)

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários