Cidade

HC-UFTM instala usina de energia solar pioneira

Na área de 2,8 mil m² foram dispostas 1,4 mil placas, com potencial de suprir 15% do consumo de energia do Hospital

04/07/2020 05h00
Por: Redação
HC-UFTM instala usina de energia solar pioneira entre os hospitais universitários - Foto: Setor de Infraestrutura Física HC-UFTM
HC-UFTM instala usina de energia solar pioneira entre os hospitais universitários - Foto: Setor de Infraestrutura Física HC-UFTM

 

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro concluiu, na primeira semana de julho, a instalação da usina de energia fotovoltaica situada sobre a cobertura do complexo hospitalar.

Na área de 2,8 mil m² foram dispostas 1,4 mil placas, com potencial de suprir 15% do consumo de energia do Hospital. É prevista uma economia anual de R$ 300 mil na conta de eletricidade da instituição.

Como a maior capacidade de geração coincide com os períodos de uso mais intenso dos aparelhos de ar-condicionado, o sistema ameniza os picos de consumo. A novidade apresenta como benefício indireto, ainda, a redução da temperatura nos setores localizados abaixo dos locais de instalação.

 

Sustentabilidade - Para a gerente administrativa do HC, Heloisa Shih, esse é um investimento de médio prazo, com estimativa de retorno em cinco anos, por meio da redução das despesas fixas da instituição. As placas têm 25 anos de garantia, já os disjuntores, que fornecem segurança contra sobrecargas, são garantidos por 10 anos.

O chefe da Divisão de Logística e Infraestrutura Hospitalar, Luiz Humberto Camilo, contextualiza que a licitação foi realizada em 2019 e a instalação iniciada em fevereiro de 2020. "Trata-se de uma das ações tomadas pelo Hospital de Clínicas para reduzir custos operacionais, de forma alinhada ao princípio da eficiência na administração pública", Camilo informa.

Já o engenheiro eletricista Wesley Amâncio de Melo ressalta que o projeto utiliza a tecnologia mais moderna de geração fotovoltaica existente no mercado. "Os painéis têm capacidade de funcionamento individual, garantindo um potencial até 25% maior, por serem menos vulneráveis a áreas de sombra. Outra vantagem é a redução dos gastos com manutenção", pontua.

Considerando a tecnologia e a dimensão, a iniciativa se torna pioneira em Uberaba e entre os hospitais universitários brasileiros. Foi investido R$ 1,7 milhão, recurso oriundo do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - Rehuf -, gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - Ebserh.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários