Coluna

Julio Franco

Professor universitário e escritor

Reflexões

ReflexõesArtigos diários

14/07/2020 05h00
Por: Redação

 

Ser ou não ser, Franca a questão

Agradeço imensamente o jornal e seu fluminense editor. Com respeito ao uso, com todo o respeito, com toda a modéstia que é devida, e ainda, muito apropriada com o momento, porque tanta ignorância exposta, porque tanta ganância pelo poder. Se o Estado Democrático de Direito, está em seu curso com a Democracia mais viva que nunca, porque, estão buscando de toda forma assolar aquilo que é correto, certo e justo. Não divirjo que possamos ter uma canelada aqui ou acolá do governo, mas o ativismo medíocre de tantas categorias, e.g. mídia falida e sepulcral, ou feministas que mal sabem o que buscam, são desguarnecidas de minimamente 10% de neurônios, quiçá de história ou da história.

Agora, sendo muito pontual, quem sobrevive a patrulhamento 24h por dia, 7 dias por semana e 365 dias ao mês, sendo alvo de tudo. No caso desta pandemia, vejamos que fomos totalmente mal informados pela OMS, uma organização que a meu ver, deixou muito a desejar, seja pela falta de protocolo, seja pela falta de preparo, seja pela falha de comunicação, seja por receber bilhões de dólares a anos e nada, repito, nada ter a oferecer contra um vírus da China que tem sido tratado com medicamentos antigos. Partindo desta imensa e incomensurável organização que atuou toscamente, beirando o amadorismo, temos uma mídia global, em especial local, que é tendenciosa, que é maléfica, danosa, abjeta e “quando paga, até diz a verdade”, e assim caminha a humanidade.

Agora, diante disto, um congresso, que demora com mais de 500 dias para pautar temas relevantes ao país, no entanto, para postergação de uma eleição, submete-se a aprovar em tempo recorde, demonstrando que aquilo que lhe interessa sim, é tratado como tal e de forma célere. Temos no Brasil um governo que não apresentou nenhum caso de corrupção, nenhum desvio de verba, nenhuma rusga de dúvidas sobre as suas contas, ao contrário, um governo que iniciou e algumas concluiu em menos de 18 meses de governo, e.g. transposição do velho Chico. Aqui parênteses, obra iniciada a quase 15 anos e gastaram recursos que poderia ter concretizado-a a muito tempo.

Mas, disto não se fala, falamos aqui de uma pseudo moral política e ética, ensaiada por imbecis úteis que são manipuláveis e ignorantes em todas as letras, porque, acreditar em papai Noel, tudo bem, em Saci-pererê, também, em Cuca do Sítio, sem problemas, agora confiar em uma ala progressista, desqualificada, despreparada, corrupta, mal intencionada e ainda pensar que estes esquerdistas com patologias diversas para o mal, possam ser minimamente confiáveis, é um absurdo. Entender que a esquerda seja uma condição de melhoria, não tem aceitação nenhuma, até porque, é composta por corruptos de toda a grandeza, desde ex-presidentes até prefeitos. Mesmo diante de uma pandemia originada por falha, e conduzida com desorganização maestral da entidade que deveria ter tomado as medidas apropriadas, é possível encontrar em território nacional, uns espertalhões que impõem o curso de narrativas antifas, racistas, ou seja, aqueles que somente diante do caos podem ter alguma coisa a ganhar, mesmo que seja espaço midiático. Ah, não podemos esquecer também dos correligionários que perderam as suas mamatas, daqueles que se encontram no governo, por um cargo que não pode ser demitido, graças a bendita estabilidade, outros tantos que adoram ganhar bolsas isso ou aquilo, e o pior, muitos formadores de opinião, que por certo nada formam, salvo a defesa dos interesses próprios.

Neste cenário complexo e avesso a realidade que precisamos para sair da pandemia, deparamo-nos com os intelectuais inócuos, seres repugnantes que se auto-intitulam os donos da verdade, porque conhecem de meio ambiente, leis, costumes, religião, enfim, são conhecedores de tudo sem nunca terem sentado em uma sala de aula como alunos de universidade, e.g. Olavo de Carvalho. Por fim e não menos importante, o nosso querido Bill (apelido para William), diria, ser ou não ser vazio, porque, pior que ser vazio mas possuir oxigênio no seu interior, é possuir gás carbônico, ou outro gás que seja imperfeito para a vida das células. Pensando na vida, na mudança, no bom e no melhor para o amanhã, jamais a reeleição, jamais dar chance ao político velho, mande estes para alguma lojinha comprar um pijama, e nas próximas eleições, gente nova, elegante e sincera, e porque não, livres da abdução esquerdiana da galáxia terrorista e populista de uma ala progressista e devastadora, são os verdadeiros gafanhotos da vida, do mundo e para as pragas, nada melhor que uma boa dose de conservadorismo, de amor, de respeito, de religião, de ética e família acima de tudo.

 

Julio Franco - Professor universitário, escritor, comentarista político e Uberabense com orgulho e Brasileiro, tudo com letras maiúsculas.

 

 

 

 

 

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários