Coluna

Cidade

Guido Bilharinho

Guido Bilharinho

Guido BilharinhoAdvogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, estudos brasileiros, História do Brasil e regional.

15/07/2020 05h00
Por: Redação

ENSAIOS TÉCNICOS UBERABENSES 

(VII, Conclusão)

 

IMIGRAÇÃO

Uberaba e região beneficiaram-se enormemente, desde a década de 1870, principalmente da imigração portuguesa, italiana e espanhola, e, nas primeiras décadas do século XX, da imigração sírio-libanesa e japonesa.

*

Em 2015 foi editado pela Academia de Letras do Triângulo Mineiro e Bolsa de Publicações de Município de Uberaba o livro “Representação e Vestígios da (Des)Vinculação do Triângulo Mineiro: Um Estudo da Imigração Italiana em Uberaba, Sacramento e Conquista – 1890/1920”, de HELADIR JOSEFINA SARAIVA E SILVA, ao que se sabe a primeira – e notável – obra sobre o assunto, instruída com quadros, anexos e inúmeras ilustrações.

 

FOTOGRAFIA

A arte fotográfica, bastante praticada em Uberaba desde o último quartel do século XIX, apresenta pelo menos três livros, todos de sofisticada feitura gráfica e esplêndidas fotos.

*

Em 2008 foi lançado o livro “Uberaba – História, Tradição, Desenvolvimento e Cultura” com magnificas e multicoloridas fotos de CLÁUDIO AROUCA e precisos textos de MARIA ANTONIETA BORGES LOPES, abordando, entre tantos outros temas, a evolução política e administrativa da cidade, seu desenvolvimento comercial e cultural do século XIX e os tempos do zebu.

*

No ano seguinte, o jornalista e editor FRANCISCO MARCOS REIS publicou “Uberaba – 100 Anos de Olhares e Memórias”, álbum de fotos da cidade em edição primorosa, apresentando dezenas de fotos vinculadas ao evolver do tempo, tanto de grupos de pessoas, como o time do Uberaba Sport de 1917, imigrantes italianos de Uberaba em 1928, terno de congada Minas-Brasil, banda do 4º BPM em 1936, jogadores do Independente Atlético Clube em 1943, grupo de combatentes uberabenses da 2ª Guerra Mundial em 1944 e time do Nacional Futebol Clube de 1950.

*

Não obstante tenha Uberaba grandes fotógrafos desde o último quartel do século XIX, apenas sobre um deles, ao que se sabe, justamente o primeiro ou um dos primeiros (e dos mais importantes do país), José Severino Soares, foi organizado não apenas um livro, porém, o esplêndido “O Álbum de Jorge Henrique”, idealizado e esboçado por seu bisneto JORGE HENRIQUE PRATA SOARES, cujo teor foi organizado e editado pelo tio deste último, JOSÉ EXPEDITO PRATA, em 2014, contendo informações biográficas, profissionais e artísticas de José Severino Soares, além de dezenas e dezenas de suas fotografias, não só de Uberaba como de diversas outras localidades.

 

DINOSSAUROS

Os estudos sobre os fósseis encontrados na área de Peirópolis, antiga estação ferroviária da Companhia Mojiana de Estradas de Ferro, remontam à segunda metade da década de 1940, procedidos pelo cientista Llewellyn Ivor Price.

Neste interregno de mais de sete décadas, possivelmente algum ou alguns livros podem ter sido publicados sobre o assunto, aos quais, contudo, não se teve acesso.

*

Porém, em 2017, conforme a respectiva ficha catalográfica, ou 2018, segundo consta do colofão, foi publicada a obra “Peirópolis – O Vale dos Dinossauros Brasileiro”, de autoria de CARLOS EDUARDO CHEREM, em edição sofisticada e belíssima, farta e coloridamente ilustrada, remontando o texto aos princípios do surgimento do mundo e à destruição provocada pelo que se supõe ter sido o choque de gigantesco asteroide, originando verdadeiro cemitério de dinossauros, bem como focalizando as descobertas das preciosidades fósseis encontradas em Peirópolis.

 

TEMAS DIVERSOS

Tais são a produtividade e a riqueza da reflexão e da elaboração intelectual em Uberaba, que inúmeros livros foram e estão sendo publicados sobre assuntos os mais diversos, não enquadráveis ou classificáveis nos mais de vinte e cinco temas previstos no presente levantamento, registrando-se, pois, além de todos os ensaios referidos e ligeiramente comentados, mais os livros que se seguem.

*

Editado em São Paulo, em 1994, o livro “Cotidiano e Sobrevivência – A Vida do Trabalhador Pobre na Cidade de São Paulo (1890-1914)”, da uberabense MARIA INÊS MACHADO BORGES, focaliza, em cinco substanciosos capítulos, priorização e política imigrantista, escassez e instabilidade do emprego fixo, trabalho informal e temporário, pobreza e formas marginais de sobrevivência e ritmo de vida e lazer.

*

Em “Rádio Comunitária – Democratização da Comunicação Social”, de 2001, o advogado GLEIBE TERRA defende e discorre sobre as rádios comunitárias sob, entre outros, os aspectos constitucionais e legais, exercício da cidadania, direito à informação e interesse público.

*

Em 2003 foi lançado “O Acesso ao Medicamento – A Gestão da Política Pública Entre 1997 e 2002”, do médico PLATÃO PÜHLER, em que o Autor discorre sobre as providências e práticas promovidas no período em que exerceu funções diretivas no Ministério da Saúde, incluindo textos sobre genéricos, programa de monitoramento de preços do mercado farmacêutico e planos de saúde.

*

A partir de 2004, ZECA CAMARGO (José Carlos Brito de Ávila Camargo) vem publicando livros, principalmente de relatos de viagens, a exemplo de “A Fantástica Volta ao Mundo” (2004), “1000 Lugares Fantásticos do Brasil” (2006), “Isso Aqui é Seu: A Volta ao Mundo Por Patrimônio da Humanidade” (2009), “Eu Ando Pelo Mundo: Paris” (2016) e “Índia: Amores e Sensações” (2018). Além disso, vem incursionando por outros temas e gêneros, como na obra “Novos Olhares” (2007), no qual discorre sobre estudos de autores estrangeiros que abordam temas do cotidiano contemporâneo, e em “De A-ha a U2 – Os Bastidores das Entrevistas do Mundo da Música” (2006) e “Medida Certa – Como Chegamos Lá” (2011), escrito em parceria com Marco Atalla e de Renata Ceribelli, aquele sobre tema explicitado no título e, este, sobre o quadro televisivo “Medida Certa”.

*

O livro “Cotidianos Culturais e Outras Histórias – A Cidade Sob Novos Aspectos”, do professor ANDRÉ AZEVEDO DA FONSECA, divide-se em “Escombros da Memória Coletiva”, no que considera abandono do patrimônio cultural, no caso restrito a imóveis, e em “Cotidianos Culturais”, onde focaliza inúmeros e diversificados aspectos, fatos e pessoas da cidade.

*

JOÃO EURÍPEDES SABINO, em 2005, lançou “O Andarilho - Quem é Ele?”, possivelmente o primeiro livro sobre o assunto publicado no país, no qual discorre, em dezoito capítulos, sobre as questões que envolvem o andarilho em sua perene peregrinação, enfrentando os rigores e as mutações do ambiente e as agruras dos despossuídos e desamparados, enfocando ainda as causas que o expeliram do seio da família e de seu lugar na sociedade.

*

Em 2007, AHYGO AZEVEDO DE OLIVEIRA e UIARA DE OLIVEIRA AZEVEDO publicaram a 2ª edição do livro “Aigo – A Arte de Comunicação – Língua de Sinais”, no qual, após breve introdução, expõem, em forma de desenhos, os sinais e sua significação em diversas áreas da atividade humana.

*

ELIETE RODRIGUES PEREIRA, versada na temática da sexualidade, prevenção às drogas e terapias holísticas, publicou, em 2008, o livro “O Poder do Sexo”, no qual, em quatro partes distintas, discorre sobre o tema-título sob os prismas ‘Sexualidade e Sexo’, ‘Sexo é Pecado?’, ‘O Prazer Sexual’ e ‘O Poder, Domina ou é Dominado?’.

*

Nesse mesmo ano de 2008, HUGO PRATA lançou “Das Minas às Gerais – História, Cultura e Costumes de Um Povo Brasileiro”, em que aborda, em significativos capítulos, aspectos da formação brasileira e mineira, além do que denomina “caminhos da fala mineira”, listando inúmeros vocábulos oriundos do tupi e de línguas e dialetos africanos que enriqueceram a língua portuguesa no país.

*

No ano seguinte, 2009, os professores IRMA BEATRIZ ARAÚJO KAPPEL e RODRIGO SANTOS DE CASTRO editaram o livro que organizaram com artigos e textos de diversos colaboradores, sob o título “Resgate Cultural: Por Entre os Labirintos da Memória”, no qual Irma, em expressiva dedicatória em nosso exemplar, informa que no “livro estão alguns registros da memória de pessoas comuns que, em suas tramas vividas, deixam traços culturais da comunidade a que pertencem”.

*

No mesmo ano de 2009, foi lançada a obra “Memória e Cultura – Entre o Presente e o Passado”, organizada por FRANCISCO MARIANI CASADORE, HELIANA CASTRO ALVES, IRMA BEATRIZ ARAÚJO KAPPEL e LÍVIA MARIA ZOCCA, composta de texto dos organizadores e de vários outros autores, dividida em três partes atinentes ao despertar do imaginário e da memória, por uma cultura de memórias e, finalmente, recontando a memória ouvida.

*

Em “5 Crimes Perfeitos”, subintitulado “A História do Assassinato de 5 Ex-Presidentes do Brasil”, editado em 2011, o Autor, VICENTE ARAÚJO NETO, adverte, desde a capa, com duas indagações correlatas: “Verdade que parece ficção? Ou ficção que parece verdade?”, para enfocar as mortes de Getúlio, Castelo Branco, Juscelino, João Goulart e Tancredo Neves, além dos falecimentos de Ulisses Guimarães e Severo Gomes.

*

Ainda em 2011, VICENTE ARAÚJO NETO lançou “Mudando Conceitos”, em que discorre sobre mercado, aquecimento global e série de outras questões momentosas, como a cura do câncer e as origens das gripes aviária e suína.

*

Em 2012, LUCAS B. CARRICONDE lançou o livro “Humano, Obsoleto Humano”, de antropologia filosófica, em que aborda intricadas questões, como transumamismo, pós-humanismo, potencialidades supra-humanas numa perspectiva futurista. 

 

__________________

Guido Bilharinho é advogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, fotografia, estudos brasileiros, História do Brasil e regional editados em papel e, desde setembro/2017, um livro por mês no blog https://guidobilharinho.blogspot.com.br/

 

 

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários