Estado de Minas

Média de óbitos reforça tendência de estabilização da covid-19 em Minas

De acordo com as projeções, a fase de platô poderá seguir até agosto, sem tendência de aumento dos números

31/07/2020 05h00
Por: Redação

Durante a coletiva virtual realizada nesta quarta-feira (29/7), o

secretário de Estado de Saúde [1] de Minas Gerais, Carlos Eduardo

Amaral, apresentou análises gráficas do número de óbitos por

covid-19 e da taxa de ocupação de leitos no estado. Segundo o

secretário, os dados reforçam a ideia de que Minas Gerais se encontra

na fase de platô, período que poderá durar até meados de agosto.

 

"O acompanhamento realizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas

Gerais (SES-MG) mostra que, embora haja uma aglomeração de óbitos

desde o dia 2 de julho, não há uma tendência nítida de aumento. De

acordo com as projeções, há uma indicação de horizontalização,

que caracteriza o chamado platô", explicou Amaral.

 

Os gráficos apresentados pelo secretário destacam uma comparação

entre os seguintes recortes: número de óbitos relativos à data de

ocorrência e número de óbitos relativos à data de confirmação pela

SES (inserção da informação no boletim epidemiológico).

 

"De acordo com a média móvel de óbitos nos últimos três dias,

comparando esses dois recortes, é possível perceber a ocorrência de

atraso da confirmação no boletim em relação à data em que o óbito

de fato aconteceu. Além disso, também é possível observar uma

redução no número de óbitos", explica o secretário.

 

Apesar das projeções, Amaral pontua que, embora ainda seja cedo para

se falar em queda da curva, tudo indica que não haverá uma alta

considerável nos números da covid-19 em Minas. "É muito provável que

ainda estejamos no platô. Mas, possivelmente não teremos um aumento

muito significativo de óbitos diários em relação ao que temos hoje".

 

Taxa de ocupação

 

Em relação aos leitos de UTI, o secretário de Saúde afirmou que, no

momento, a ocupação está menor, se comparada a meados de julho, o que

demonstra uma certa estabilização do cenário. "Isso pode demonstrar

que, ao que tudo indica, paramos de ter a demanda por ocupação de UTI.

Tal sinalização é muito importante, já que os níveis da ocupação

antecedem aos óbitos em cerca de dez dias", disse Amaral. Hoje, a taxa

de ocupação geral de leitos de UTI no estado está em 67,44% e de

leitos de enfermaria em 59,02%.

 

Ainda de acordo com o secretário de Saúde, todos os dados coletados e

análises realizadas são fundamentais para o enfrentamento e controle

da covid-19 em Minas. "A partir desse trabalho é possível apresentar

um direcionamento quanto às orientações necessárias para evitar um

desequilíbrio na assistência à saúde da população", explicou.

 

Minas Consciente

 

Também como forma de aperfeiçoar o controle da pandemia, o secretário

de Estado adjunto da SES-MG, Marcelo Cabral, informou que nesta

quarta-feira (29/7) será apresentada a nova versão do plano Minas

Consciente [2], após contribuições realizadas por meio de consulta

pública. A divulgação será feita hoje, às 16h30, pelo governador

Romeu Zema, em uma live nas redes sociais.

 

O plano Minas Consciente, que orienta a retomada segura das atividades

econômicas nos municípios mineiros a partir de critérios técnicos e

epidemiológicos, tem a adesão de 302 cidades até o momento, o que

representa um impacto em 7 milhões de pessoas.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários