Banner prefeitura Covid
Estado de Minas

BDMG anuncia R$ 68 milhões adicionais em crédito para micro e pequenas empresas

União ampliou de R$ 203 mi para R$ 271 mi o limite de recursos para o banco operar nesta 2ª fase do Pronampe

15/09/2020 04h00
Por: Redação

 As micro e pequenas empresas mineiras terão à disposição mais R$
68 milhões em recursos operados pelo Banco de Desenvolvimento de Minas
Gerais (BDMG) [1], por meio do Pronampe - Programa Nacional de Apoio às
Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.

O limite de recursos anterior - disponibilizado ao banco pelo governo
federal, nesta atual 2ª fase do programa, era de R$ 203 milhões. Com o
aditivo, o novo limite passará para R$ 271 milhões.

Na 1ª fase da oferta do Pronampe, ocorrida em junho e julho, o BDMG
havia liberado 100% do limite de R$ 215 milhões que lhe foi garantido.
"Este novo limite demonstra que o BDMG tem alocado com eficiência seus
recursos e representa mais um fluxo de liquidez para os pequenos
empreendedores reestruturarem seus negócios e planejarem o futuro",
afirma o presidente do banco, Sergio Gusmão.

Crédito no BDMG

Como diferencial na operação da linha, o BDMG não exige a
contratação de outros produtos para ter acesso ao crédito, como
ocorre em muitos bancos comerciais, nem a necessidade de abertura de
conta bancária. A contratação pode ser feita on-line, no site do
banco [1], ou por meio de seus correspondentes bancários.

O Pronampe opera com juros de apenas 1,25% ao ano + Selic, com prazo
total de 36 meses para pagar, sendo oito meses de carência. O crédito
pode ser aplicado em capital de giro ou em investimentos. Já o limite
para solicitação é de 30% da receita bruta da empresa em 2019, sendo
o valor máximo, estabelecido pela União, de R$ 100 mil por empresa.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários