Banner prefeitura Covid
Artigo

O LIVRO E SEUS SUPORTES DE PAPEL

Guido Bilharinho

Reflexões

ReflexõesArtigos diários

16/09/2020 16h15
Por: Redação

A produção literária, dramática e filosófica se materializou por meio de argila, pedra, metais, papiros e pergaminhos, isto desde os tempos primitivos e de sua trajetória pelo período áureo da cultura helênica (e de toda a humanidade), pela comédia, poesia e estudos jurídicos romanos e pela tarefa (controvertida) dos monjes copistas da Idade Média.

         Esses os suportes do livro (entendido como elaboração intelectual) até os meados da década de 1.430 de nossa era, quando da invenção da imprensa por Gutenberg, revolucionando a materialização física do livro por meio do papel, invenção milenar chinesa.

         Não se deve confundir, pois, livro (teor, conteúdo/forma elaborados) com seus diversos suportes físicos. Aquele, o livro, como produto mental do ser humano, nunca vai acabar, pelo menos enquanto existir vida humana na terra, fator não mais garantido desde o advento dos artefatos nucleares. Este, o suporte físico da produção mental, vem sendo submetido, conforme acima indicado, a permanente aperfeiçoamento até desaguar, desde há poucos anos, no imensurável espaço eletrônico, que veio para ficar, se expandir e substituir inteiramente o suporte de papel, tal qual este fez com os antiquados (mas importantes e fundamentais) processos materiais anteriores.

         Tal procedimento evolutivo não é aleatório e gratuito, já que sempre representou, em suas diversas etapas, superação de dificuldades, limitações e esgotamento das possibilidades da materialização livresca.

         Na época que passa, o suporte de papel vem constituindo crescente e intransponível obstáculo para veiculação física da produção mental denominada livro, dados seus altos custos, exigência de cada vez mais amplos espaços de armazenamento (estantes, bibliotecas, arquivos, livrarias) face à sua extraordinária expansão produtiva, além das dificuldades de distribuição e difusão cada vez mais dispendiosas.

 

Guido Bilharinho - Advogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, fotografia, estudos brasileiros, História do Brasil e regional editados em papel e, desde setembro/2017, um livro por mês no blog https://guidobilharinho.blogspot.com.br/

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários