Artigo

Cultura

Guido Bilharinho

Guido Bilharinho

Guido BilharinhoAdvogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, estudos brasileiros, História do Brasil e regional.

25/09/2020 05h00
Por: Redação

LEITURA DE LIVRO ELETRÔNICO

 

Consta que Marx afirmou que o ser humano não se impõe problemas que não pode resolver. À semelhança de tantos outros fatos, é o que vem ocorrendo com o suporte de papel para materialização do processo mental livresco.

Diante disso, o impasse cada vez maior gerado pela extraordinária produção livresca em papel (custos, armazenamento, dificuldades de distribuição e difusão, etc.), encontrou viabilização e solução com o advento do espaço eletrônico, que resolve todos os problemas e supera todos os limites e dificuldades gerados pela produção e acumulação cada vez maior (e insuportável) de livros de papel: custos (em blogs, sites ou portais praticamente inexistentes); espaço (se não infinito, pelo menos ilimitado); distribuição e difusão (instantâneas, planetárias e permanentes); tradução (por meio de aplicativos eletrônicos específicos); reprodução (dvds, pen-drives, nuvem e até mesmo impressão); leitura (instrumentos próprios).

À evidência, que as gerações mais antigas têm dificuldades de aceitação e utilização de toda essa modernidade e, paradoxalmente, facilidade.

Não as gerações que lhes sucederão.

Contudo, esse novo e surpreendente suporte virtual do livro (elaboração mental de conteúdo/forma), inimaginável até há poucas décadas, exige manejo especial para sua fruição, que não deve ser efetuada, como muitos julgam e teimam em fazer, diretamente no monitor do computador.

À semelhança do livro de papel, que requer formato próprio para sua utilização, o livro eletrônico também o demanda para maior comodidade do leitor.

Se a leitura ou consulta rápida de textos se viabilizam perfeita e diretamente no monitor do computador, a leitura demorada de longos textos e da produção mental livresca impõe meios ou suportes exclusivos para sua plena e confortável fruição, materializados em instrumentos adredemente idealizados e construídos justamente para atingir essa finalidade: os tablets de modo geral, entre eles, o Kindle da Amazon.

 

Guido Bilharinho - Advogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema, fotografia, estudos brasileiros, História do Brasil e regional editados em papel e, desde setembro/2017, um livro por mês no blog https://guidobilharinho.blogspot.com.br/

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários