Coluna

Nacional

Cláudio Humberto

Cláudio Humberto

Cláudio HumbertoCláudio Humberto Rosa e Silva é um jornalista brasileiro, colunista e editor-chefe do Diário do Poder, responsável pela ascensão de Fernando Collor de Mello no cenário político nacional. Sua coluna é reproduzida em jornais de todo o Brasil.

04/10/2020 05h00
Por: Redação

“É o jogo econômico”

Presidente Jair Bolsonaro, na sua “live” semanal, sobre as críticas estrangeiras às ações ambientais do Brasil

 

PSDB tira mulheres da gestão de cota no fundão

O PSDB decidiu dar uma pedalada nas obrigações eleitorais e excluiu as mulheres da gestão de 90% dos recursos que devem ser destinados às candidaturas femininas nas eleições deste ano. O partido terá direito a cerca de R$130 milhões e deveria repassar 30% desse valor, cerca de R$39 milhões, para as candidatas a prefeita, vice ou vereadoras, mas a Executiva Nacional tucana destinou só R$4 milhões ao “secretariado da mulher”, irritando importantes lideranças femininas do partido.

 

Nas mãos dos caciques

Os R$35 milhões restantes serão aplicados ao bel prazer de presidentes estaduais e municipais do PSDB. O passado mostrou que não funciona.

 

Passada para trás

Informações de bastidores revelam que a presidente do PSDB-Mulher Nacional e ex-governadora do RS, Yeda Crusius, é das mais indignadas.

 

Excluídas da gestão

O PSDB jura que os 30% obrigatórios irão para candidaturas femininas. O partido só não explicou por que excluiu mulheres da gestão da verba.

 

Homens vão decidir

A decisão será da Comissão Nacional e membros do Congresso, onde o partido tem 38 parlamentares, mas apenas 10 são mulheres.

 

Huck se inspira em Trump: da TV à Presidência

Quem aposta que o apresentador de TV Luciano Huck siga o exemplo de Sílvio Santos na década de 1990, e desista da ideia de ser candidato a presidente após enfrentar “a política como ela é”, esquece do exemplo de Donald Trump, a única celebridade de TV eleita presidente de uma grande economia sem qualquer experiência política, ou nas urnas. Após poucos anos de encontros políticos, congressos, presença intensa nas redes sociais e na mídia, Trump venceu em 2016. Huck segue a cartilha.

 

Largada queimada

Trump formou “grupo exploratório” para analisar seu potencial eleitoral em 2000. Era mínimo. Em 2012, voltou à cena com críticas a Obama.

 

Não envelheceu bem

Em 2014, Huck promoveu reunião de apoio a Aécio Neves, em sua casa, “denunciada” pelo ator Paulo Betti. Uma Lava Lato depois, voltou à cena.

 

Donald Huck

Huck anunciou “participação” da política em 2018, mas desistiu. Desde então não perde eventos, festa de boneca etc. e vive nas redes sociais.

 

Pedido de socorro

Deputados estaduais oficiaram Augusto Aras (PGR) pedindo intervenção no MP-AM, que se nega a investigar denúncias contra o governo Wilson Lima. Segundo Wilker Barreto e Dermilson Chagas, tudo para na gaveta.

 

Em dólar é pouco

O governo brasileiro “busca” R$15 bilhões pelos Correios, estatal inchada e quebrada, segundo noticiou a Bloomberg. Em dólar, o valor não passa dos US$2,7 bilhões, uma ninharia para a trilionária Amazon.

 

Fichas-suja no páreo

O TSE previu receber 630 mil pedidos de registro de candidaturas para as eleições deste ano. O número seria menor, mas graças à Corte eleitoral, candidatos ficha-suja conseguiram brecha para concorrer.

 

Culpados por sobreviver

Muitos exploraram os 140 mil mortos pelo coronavírus desde o início da pandemia no Brasil, mas ignoraram os 4,1 milhões de vitoriosos. Em vez de celebrados, são coagidos a não comemorar as próprias vidas.

 

Perspectiva é importante

Este domingo ficará marcado na História pelo registro do primeiro milhão de mortes pelo novo coronavírus no mundo. A boa notícia é que a taxa de recuperação é de mais de 96%; quase 25 milhões de pessoas.

 

Destituíram Trump

A imprensa nos EUA, de maioria democrata, incluindo correspondentes brasileiros, acha que Donald Trump deveria abrir mão de escolher quem vai substituir Ruth Ginsburg. Com isso, permaneceriam “equilibradas” as indicações de presidentes democratas e republicados à Suprema Corte.

 

Misturou tudo

Com os advogados da família Lula e da família Bolsonaro acusados de lavagem de dinheiro, o MP tem a chance de mostrar na prática o real significado da expressão “farinha do mesmo saco”.

 

Solução ‘criativa’

Debates entre postulantes ao cargo de prefeito de todo o país vão ser no mínimo “criativos”, neste ano de pandemia. Em Porto Alegre, por exemplo, já está marcado um debate “em formato drive-in”.

 

Pensando bem...

... o Rio de Janeiro continua lindo, já os políticos cariocas...

 

PODER SEM PUDOR

Elegância presidencial

O vaidoso Juscelino Kubitschek jamais negligenciava a elegância. Certa vez, num vôo do Rio para o canteiro de obras de Brasília, foi despertado em meio a forte turbulência pelo aflito ajudante de ordens: “Senhor Presidente, estamos em pane e o problema é grave.” JK trocou de roupa com calma, vestindo seu terno. Ajeitava o nó da gravata quando viu a cara de incredulidade do jovem capitão. O presidente sorriu: “O avião pode cair. Não fica bem o corpo do presidente ser encontrado de pijama.”

___

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários