Turismo

O Guarujá tem praias isoladas e semidesertas? Tem, sim, senhor!

O Guarujá tem praias isoladas e semidesertas? Tem, sim, senhor!

12/11/2020 04h00
Por: Redação

  As praias Branca, Preta e Camburi são acessadas apenas por trilha
ou pelo mar e, nos dias de semana, praticamente não têm
frequentadores,
o que vem bem a calhar nestes tempos de distanciamento social

                 _Praia Preta, uma das faixas de areia do Guarujá aonde se chega
apenas por trilha ou pelo mar e que, sobretudo durante a semana, quase
não recebe visitantes (Crédito: Guarujá Convention & Visitors
Bureau/Divulgação)_

  Com a proximidade do verão e das férias de fim de ano, é inegável
que tudo o que os turistas mais querem quando planejam uma ida ao
litoral é curtir a dobradinha sol e praia. E, em tempos em que viajar
rima com se proteger (leia-se usar máscara facial e álcool gel nas
mãos, incansavelmente) e manter o distanciamento social, é uma boa
saber que o Guarujá, a apenas cerca de
85 quilômetros da capital São Paulo e um dos balneários mais
procurados pelos visitantes na costa paulista, ainda conta com faixas de
areia isoladas. É o caso das praias Branca, Preta e Camburi, aonde se
chega apenas por trilha ou pelo mar e que, nos dias de semana,
praticamente não
têm frequentadores.

  A Praia Branca, também conhecida como Prainha e que tem esse nome por
conta do tom claro da areia, é acessada por uma trilha bem sinalizada e
tranquila de percorrer, na divisa de Guarujá com Bertioga - e é um
pequeno tesouro do litoral sul paulista, onde a natureza dá o tom.

  Cercada por um mar azul claro e pela vegetação da Serra do Guararu,
em um dos trechos mais preservados da mata atlântica, a Praia Branca
tem ondas que quebram forte do lado esquerdo, por isso é um _point_ de
surfistas. Já no canto direito, o mar é calmo, o que é muito
bem-vindo para quem está com crianças, que também fazem uma festa
danada num riacho que deságua no mar dessa praia. O lugar abriga ainda
uma antiga vila caiçara, endereço de algumas poucas centenas de
moradores, que mantêm o clima rústico e a simplicidade e recebem os
visitantes com alguns bares, restaurantes e, claro, barracas de
artesanato.

  Cerca de 800 metros separam a Praia Branca da Preta, num percurso de
nível moderado e que, entre as frestas de plantas e troncos de
árvores, descortina um belo panorama do mar. Ali na Preta, o visual é
outro: a areia é mais escura e a praia, menor, e o bônus de quem
estende a canga no pedaço é desfrutar de um litoral semideserto, se
refestelando ao sol tendo por companhia quase que apenas o som das
ondas, do vento e dos pássaros.

  Com os pés na trilha novamente (a qual é um pouco mais longa do que a
que liga as praias Branca e Preta), chega-se à terceira e última faixa
de areia do roteiro sem muvuca: Camburi, que, além de mergulho no mar e
prática de surfe, já que ostenta ondas "bravas", também convida ao
_relax_ por meio de um banho de rio ou cachoeira.

  Esse é um passeio que, para ser bem aproveitado, precisa começar
cedo. E leva o dia todo. Sendo assim, é natural os turistas voltarem
cansados e com fome, o que não será um problema para aqueles que
ficarem no charmoso Delphin Hotel Guarujá, de frente para a Praia da
Enseada. Além dos quartos espaçosos e confortáveis, perfeitos para
ajudar os hóspedes a se recomporem depois de um dia de andanças, o
empreendimento abriga o tradicional restaurante Dona Eva, cujas
moquecas, _paellas_ e demais receitas com pescados e frutos do mar são
um baita combustível para "reenergizar" os visitantes e ajudar a
desenvolver as conversas sobre as aventuras praianas.

  Outro hotel recomendado na vizinhança é o Ibis Styles Guarujá.
Aberto há apenas três anos e com a temática do surfe dominando a
decoração, das áreas comuns aos quartos, o lugar une localização
privilegiada, a uma quadra da Praia da Enseada, a uma hospedagem
confortável, com comodidades como ar-condicionado em todos as
acomodações, _wi-fi _e estacionamento gratuitos e serviço de bar.
Tudo envolto por uma _vibe_ despojada e com tarifas com ótimo
custo-benefício para a alta temporada, que logo se iniciará.

  Lembrando que tanto o Delphin Hotel Guarujá como o Ibis Styles
Guarujá estão funcionando em total consonância com as normas de
biossegurança exigidas pela prefeitura da cidade, tendo implementado
todos os padrões de segurança e protocolos de limpeza necessários
para preservar a saúde dos hóspedes e funcionários e promover o
distanciamento social adequado.

  SERVIÇO

  Delphin Hotel Guarujá
  Avenida Miguel Stéfano, 1.295, de frente para a Praia da Enseada.
  Em novembro de 2020, as tarifas para duas pessoas, com café da manhã
e cortesia para uma criança de até 12 anos, custam, entre domingo e
quinta-feira, a partir de R$ 297,00 por dia. Já a diária de fim de
semana (sexta e sábado) custa desde R$ 448,00, em apartamento
_standard_. 
  Informações e reservas: (13) 3797-6000; www.delphinhotel.com.br
[1]. 

  Hotel Ibis Styles Guarujá 
  Rua Maria Martha Arruda R. Stefno, 149, Jardim Três Marias, a uma
quadra da Praia da Enseada. 
  Em novembro de 2020, as diárias para duas pessoas, com café da manhã
e taxas, custam
R$ 256,47 de segunda a quinta-feira e também aos domingos. Às sextas e
sábados, cada diária sai por R$ 307,97. Esses preços não são
válidos em feriados.
  Informações e reservas: (13)
3500-2500; https://all.accor.com/hotel/9658/index.pt-br.shtml.  

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Uberabaonline1
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas