Coluna

Cultura

Luiz Hozumi

Luiz Hozumi

Luiz HozumiProdutor cultural, publicitário, especialista em gestão e políticas culturais. [email protected]

22/11/2020 04h00
Por: Redação
FOTO 01 - GEOSSÍTIO
FOTO 01 - GEOSSÍTIO

Cultura por Luiz Hozumi - Produtor cultural, publicitário, especialista em gestão e políticas culturais.

 

Envie suas sugestões para o colunista,

agenda, informações importantes,

notícias sobre cultura e arte:

E-mail:  [email protected]

Whatsapp: 34 991784875

 

QUANDO SERÁ?

Não foi desta vez! Nem desta e nem de tantas outras vezes. A cultura realmente não tem vez no legislativo de Uberaba, nenhum eleito teve a cultura como bandeira, ou prioridade.  Alguns poucos, um ou dois, dos 21 vereadores para o próximo mandato colocam em pauta o setor cultural, seus profissionais, suas histórias, seus patrimônios, sua força econômica, seu poder transformador para o desenvolvimento da cidade. E isso mostra como a cultura sempre foi tratada na cidade, sem valorização, sem representatividade, mas principalmente, sem união dos próprios agentes envolvidos na vida cultural. Profissionais da arte, técnicos, produtores, gestores, artistas, educadores e tantos outros ainda não conseguem se organizar para que sejam representados. Com isso continuamos sem políticas públicas definidas para o setor, sem fortalecimento dos projetos já iniciados, sem força para o debate. Ficamos a margem das discussões e do que poderia ser estruturante para a cultura. Ficamos até partirmos, pois muitos desistem e se vão. Longe das lutas cotidianas pelo mínimo, pois o máximo nunca encontrou terreno fértil onde só brotam bois e coronéis. E não nos cabe nem esperança no segundo turno do executivo, pois as propostas se tornam promessas nunca cumpridas, mesmo que o milagre já tenha acontecido. Assim permanecemos nas emergências que Aldir nos trouxe, além da pandemia, haverá ainda alguma lei que nos salve? Quando será nossa vez?

 

 

INAUGURAÇÃO DO GEOSSÍTIO SANTA RITA EM UBERABA APROXIMA A CIDADE A SER UM NOVO GEOPARQUE DA UNESCO

Geoparque é o termo criado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), para conservar e aumentar o valor de uma área com um rico patrimônio geológico. Somado a importância histórica, cultural, paisagística, paleontológica e científica, um Geoparque traz a população local desenvolvimento econômico por meio do turismo sustentável.

Existem 126 geoparques no mundo e um no Brasil em Ararípe, CE que trazem, além de turistas do mundo inteiro, pesquisadores, científicos, famílias e pessoas que estão atrás de experiências ecológico-culturais estruturadas.

Uberaba é um dos melhores candidatos brasileiros da UNESCO para se tornar um geoparque. Rico em seu subsolo fossilífero, a cidade tem o maior número de espécies de dinossauros descobertas do país e continua fazendo achados históricos notáveis. É uma referência internacional em paleontologia, pesquisa científica sobre dinossauros. Além desta riqueza paleontológica, Uberaba é uma cidade histórica e cultural que já tem sítios turísticos estruturados e consolidados e tem trabalhado para a melhoria dos múltiplos critérios avaliados pela UNESCO para conseguir a chancela para seu geoparque. Um trabalho que tem sido realizado em conjunto entre UFTM, SEBRAE, ABCZ, Prefeitura Municipal e COMTUR Conselho Municipal de Turismo e conta também com o apoio de várias instituições no fortalecimento da cidade como polo turístico.

O Geopark Uberaba – Terra de Gigantes envolve toda a extensão do município. Integra espaços chamados de sítios e geossítios, que dispersos pela cidade retratam as riquezas geológicas, a herança histórica e a cultura local.

Idealizado em três pilares: Dinossauros, Gado Zebu e Chico Xavier, fortalecemos nossa identidade territorial, ganhamos destaque no cenário mundial e confirmamos que Uberaba é Terra de Gigantes.

O patrimônio geológico de Uberaba tem destaque com os especiais achados paleontológicos de nossa região. E por isso no primeiro pilar somos representados pelos Dinossauros reconhecidos pelo mundo, que abrem as portas para o turismo ecológico e de aventuras.

Nos sítios históricos e culturais, apoiamos o segundo pilar na relevância do gado Zebu que chegando a nossa cidade desenvolveu parte da economia e de nossa cultura. O Zebu, marca a potência de Uberaba no agronegócio no Mundo, simboliza o turismo de eventos, cultural e de negócios.

No terceiro pilar temos a força, a diversidade e significância da religiosidade na cidade. Suntuosas igrejas, festas afro-brasileiras e a força do espiritismo convivem em harmonia. Representados pelo ícone Chico Xavier, grande médium reconhecido no Brasil e mundo, a vertente do turismo religioso ganha a magnitude merecida.

 

O Geossítio Santa Rita

Localizado no centro histórico de Uberaba, o Geossítio Santa Rita será inaugurado no dia 27/11, próxima quinta às 17h na Rua Alaor Prata, 287. Uma estrutura arquitetônica ousada ao lado da Biblioteca Municipal “Bernardo Guimarães”, no local foi encontrado em 2014 um fragmento de fóssil de 80 milhões de anos (Período Cretáceo), encrustado numa rocha “mãe”.

O fóssil se encontra no centro de um triângulo turístico interessante: a 200 metros, a igreja Santa Rita, único monumento da cidade tombado pelo IPHAN, foi construída em 1857 e abriga hoje o museu de arte sacra. Em frente à igreja, o Mercado Municipal oferece uma parada inevitável para os turistas com seus famosos doces, queijos e produtos do artesanato local, o monumento ainda vinculará a rua da Igreja Santa Rita e do Mercado à Igreja São Domingos, igreja centenária e sede de diversos eventos turísticos.

Em uma área verde fronteiriça à Biblioteca municipal, o projeto foi desenvolvido para atender um requisito de geoconservação e permitir a divulgação da paleontologia e a organização de eventos culturais e educacionais aproveitando da infraestrutura pública da Biblioteca: café cultura, acessibilidade e banheiros públicos.

Assim o Geossítio Santa Rita será um elo do turismo religioso, além dos geossítios do Zebu, Museu Chico Xavier e o Paleontológico, tornando se um “portal” de convite ao Geossítio Peirópolis, centro de excelência internacional em pesquisa paleontológica, que em conjunto a outros 12 Sítios Paleontológicos, faz de Uberaba a Terra dos Dinossauros do Brasil.

O monumento também participará da revitalização do Centro histórico e da divulgação da vocação paleontológica da cidade.

No local deverá ser colocada uma estátua do paleoartista uberabense Rodolfo Nogueira. Além desse gigante, também serão instaladas outras duas réplicas de dinossauros, uma em cada patamar do complexo, todas com total acessibilidade e iluminadas por energia solar. Ainda três outras réplicas de filhotes de dinossauros serão instaladas na Praça Manoel Terra, em frente à Igreja Santa Rita, uma na Praça Comendador Quintino e outra na Praça Rui Barbosa. Funcionará também no complexo Geossítio Santa Rita o CAT (Centro de Atendimento ao Turista), uma Geoloja com artesanato local voltado ao Geoparque com os chamados Geoprodutos e ainda uma bela cafeteria que está com edital de concorrência de sua exploração aberto, incluindo a Geoloja, o edital pode ser acessado no site da Prefeitura.

  • Cultura
  • Cultura
  • Cultura
  • Cultura
  • Cultura
  • Cultura
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Uberabaonline1
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas