Coluna

O que não se deve fazer ao tomar vinho

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

30/08/2019 06h00Atualizado há 1 mês
Por: Redação

 

Hoje a pedidos, vou dar algumas dicas de coisas que não devemos fazer ao tomar um vinho. São pequenos deslizes que cometemos e que podem comprometer a qualidade e prazer ao verter uma taça de vinho. São regrinhas ou  simples atitudes que visam apenas descomplicar este mundo e aproveitar ao máximo tudo o que o vinho possa nos proporcionar! Aqui vai algumas poucas dicas , mas se quiser aprofundar , tem muitos blogs, de renomados sommeliers e especialista  no Google ou mesmo em livros que tratam com propriedade deste tema.

Vamos a elas!

 

1. NÃO ENCHER A TAÇA

Nem ao beber uma cerveja, se enche o copo até à borda, sempre deixamos um espaço para espuma. Não é verdade? E no vinho, muito menos. Pois não é porque cabe uma quantidade generosa em sua taça que você precisa enchê-la até a boca.  Para degustar corretamente o vinho, você precisa girar o copo, permitindo que o líquido libereos  aromas. Imagina se o copo estiver cheio?Você vai derramar o vinho com mais facilidade, passará uma má impressão na frente de outras pessoas., sem contar a sujeira que vai fazer. Por isso, ao beber um vinho, não vá com pressa, aprecie e tire de uma taça de vinho toda riqueza de sabores e sensações que ela oferece. 

 

2.  NÃO SEGURE A TAÇA DE VINHO PELO BOJO

A haste de uma taça de vinho já sinaliza que ela tem uma utilidade e que é nela que se deve segurar. A não ser que você queira consumir a bebida quente! Poisa forma correta de segurar o recipiente é pela haste e não pelo bojo. Com isso, você não transmite o seu calor para a bebida e não altera rapidamente a temperatura do vinho. Lembrando que para cada estilo de vinho e dependendo do grau alcóolico,  há uma temperatura correta, pois a mesma, ajuda na melhor liberação de todas propriedades do vinho.

 

3. NÃO COMPRE SÓ PELO RÓTULO

Não compre vinho por causa de uma garrafa ou um rótulo bonito. Pois ,de nada adianta uma etiqueta moderna e atraente se o líquido de dentro não for realmente bom. 

 

4. NÃO FIQUE REFÉM DE UM SÓ RÓTULO 

Só no Brasil, estima-se que há mais de 50 mil rótulos de vinho , uma infinidade de uvas, tipos de envelhecimentos e de diferentes terroir’s para experimentar. Portanto, porque ficar refém de um só rótulo ou uva. Se você gosta de um tinto, não tenha medo de experimentar um vinho branco ou rose. Te dê este direito e experimente, com certeza vai   se surpreender!

 

5. VINHO É MAIS QUE PREÇO E PONTUAÇÃO

 Uma das coisas que impedem a popularização do vinho é a elitização do mesmo. Isso, porque ainda tem um público que ainda acha que preço alto é sinônimo de qualidade. O que é um grande engano. Se você compra rótulos só pela pontuação que ele recebeu ou pelo preço de prateleira, nunca vai saber qual é a garrafa e o tipo de uva que realmente te agrada. Ao invés de usar os filtros preços e pontuação, lembre-se das suas experiências com a bebida e peça ajuda a um especialista.

 

6. HARMONIZAR É BOM,  MAS DEIXE SUA CRIATIVIDADE AGIR

Harmonização de vinho com comida é sempre uma dor de cabeça, mas existem algumas regras, ou  diretrizes, que bem observadas podem agradar o seu paladar. A mais clássica, por exemplo, é a premissa de que  a combinação de vinho tinto tem que ser  com carne vermelha e o vinho branco com frutos do mar. É uma regra, mas não absoluta. Afinal gosto e paladar é muito pessoal.O importante é experimentar  tipos diferentes de uvas com pratos e ir descobrindo os sabores que te agradam mais. Um bom sommelier pode te ajudar muito, aliás ele possui conhecimento para isso. Mas é você, quem definitivamente, vai gostar ou não.

 

7. NEM ÁGUA DEVE-SE BEBER MUITO RÁPIDO 

Comer rápido, beber rápido como se estivesse em um fast food e com hora marcada para um compromisso. Definitivamente, ao apreciar um vinho esta condição, nem se cogita! Este é um grande erro e imperdoável com qualquer comida ou bebida, mas com vinho é mais ainda. Afinal, o vinho é uma forma prazerosa de aguçar todos os sentidos e senti-los  um a um. Bebendo lentamente, é uma oportunidade de você aprender sobre aquilo que está consumindo – O que te agrada e não agrada? Quais as sensações que aquilo passa a você? – é você aprender a apreciar de uma maneira mais lenta. Se você simplesmente empurrar o líquido do copo goela a baixo, não vai saber se o rótulo te agradou ou não. Além disso, vai ajudar a construir um conhecimento sobre a bebida, levando até a se tornar um entendedor.  

 

8. NÃO CONHECER O TESTE DO VINHO 

Sabe aquele ritual que o garçom ou sommelier executam na frentedo cliente, colocando só um pouquinho de vinho na taça, entregando a rolha para o cliente cheirar , fazendo o líquido girar dentro  da taça e depois entregando para o cliente provar? Então, não é frescura não. É o ‘preview’ que serve  para a pessoa ver se o vinho está adequado e em perfeitas condições de consumo (falha no rótulo, problemas com rolha ou defeito na fabricação, como oxidação). Com o cheiro, você já pode decifrar alguns desses problemas, como quando o vinho estáestragado, vítimado  chamado “Bouchoné”, um fungo que ataca rolhas de cortiça e fica com gosto  ruim e bem desagradável, ou ainda aquele gosto de vinagre, resultado de um vinho mal acondicionado ou com validade vencida, entre outros.

 

9. ASSUMIR QUE GOSTA DE VINHO SUAVE E DETESTA O SECO

  Vinho suave é um termo usado no mercado brasileiro para definir vinhos de mesa produzido a partir de uvas americanas e que possuem adição de açúcar ( o vinho Pergola, por exemplo). Assim, suave não é um adjetivo válido para definir um estilo de vinho. Vinhos secos são vinhos finos (feitos a partir de uvas europeias) e que não temadição açúcar, apenas a natural, da própria uva. Quando você assume que não gosta de vinho fino, assume que prefere um rótulo com o açúcar mascarando os sabores da uva (ou tornando-as com menos tanino). A melhor coisa é falar que não gosta de vinhos encorpados, com taninos (a sensação de amarrar na boca) e muito amadeirado. Se você gosta de vinhos mais leves (mas não quer perder a qualidade), experimente os feitos com uvas PinotNoir, Merlot.

 

10. TER PRECONCEITO QUANTO AO VINHO BRASILEIRO 

A falta de conhecimento sobre o vinho brasileiro , levam os consumidores a achar que os vinhos daqui não são bons , é comum em rodas de degustação,  alguém dizer que nossos vinhos são tuins, não tem qualidade, por isso , prefere os importados. Isso é um erro gravíssimo e um grande preconceito. Temos sim, vinhos de altíssima qualidade, alta tecnologia de vinificação, excelentes enólogos e terroir’s distintos e exclusivos que produzem com qualidade, as mais conhecidas e emblemáticas variedades de uvas existentes no mundo. Sem contar os milhares de prêmios conquistados mundo afora! Os nossos espumantes então, são excepcionais! Talvez, o único senão ao vinho nacional é o preço, que infelizmente, com a grande carga tributária, acaba ficando um pouco mais caro (só um pouquinho). Mas não tem nada haver com qualidade! Se abra para o vinho nacional e experimentes. Tenho certeza que vai se surpreender!

 

Fonte: Vivino, Manual do Homen Moderno (Leonardo Filomeno),Super Dicas Para Entender de Vinhos (Lis Crejeira), WineFolly

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias