Estado de Minas

UFMG agora é sede da Cátedra Aberta de Direitos Humanos do Grupo Montevidéu

Objetivo principal é fortalecer as redes de cooperação para promover a cultura dos direitos humanos na UFMG e América Latina

08/12/2020 04h00
Por: Redação

A UFMG foi eleita sede da Cátedra Aberta de Direitos Humanos,
instância vinculada à Associação das Universidades do Grupo
Montevidéu (AUGM). [1] Integrante da cátedra desde o lançamento, em
outubro de 2019, a Universidade tem atuado ativamente em ações
instituições nas áreas de ensino, pesquisa e extensão e,
externamente, promovendo reflexões aprofundadas e influenciando as
políticas públicas nos países do grupo.

A nova universidade-sede foi escolhida pelo comitê acadêmico da
Cátedra de Direitos Humanos -- rede que congrega, além da UFMG,
universidades públicas da Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai.

"As universidades públicas da América do Sul têm um papel fundamental
em uma reflexão contundente nesse campo. Nossa proposta é fortalecer o
trabalho em rede e as cooperações entre nossas instituições visando
à promoção da cultura dos direitos humanos, da paz e do bem-estar
entre os povos", destaca a pró-reitora de Extensão da UFMG, Claudia
Mayorga, e atual coordenadora da Cátedra de Direitos Humanos da AUGM.

Para Claudia Mayorga, a cátedra tem uma "perspectiva itinerante", o que
significa que suas atividades não ficam concentradas em uma
universidade. "A ideia é fortalecer a articulação com vistas a
ações ao mesmo tempo em várias instituições, garantindo, assim,
efeito multiplicador", diz a coordenadora, acrescentando que a
iniciativa também não ficará restrita ao universo acadêmico e
buscará se aproximar de organismos externos de defesa dos direitos
humanos, como os que lidam com as questões de refugiados e de mulheres.
"Não podemos perder de vista que a América Latina ainda é uma região
marcada por desigualdades e graves violações de direitos humanos",
afirma.

Atividade inaugural

A primeira atividade da UFMG como sede da Cátedra será na próxima
quarta, dia 9 de dezembro, a partir das 10h. A Universidade estará
presente na abertura do _2º Encontro da Cátedra Aberta de Diretos
Humanos: Direitos humanos em tempos de pandemia_, que será promovido,
de forma virtual, com transmissão, ao vivo, pelo canal do YouTube da
Universidad Nacional del Litoral, [2] da Argentina.

Com tema _Violência Institucional_, a programação contará com duas
mesas de discussão, cujos temas serão a _Violência institucional das
forças de segurança_ e _Aprofundamento da violência institucional
contra grupos em situação de vulnerabilidade._ O evento contará com
participação de especialistas de universidades da Argentina, Brasil,
Chile, Uruguai e Paraguai. Os interessados podem se inscrever
gratuitamente no formulário eletrônico [3].

Programação completa

10h

Abertura

Enrique Mamarella - Presidente AUGM, reitor da Universidad Nacional del
Litoral (UNL/Argentina).

Claudia Mayorga - Coordenadora da Cátedra de Direitos Humanos da AUGM -
Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil).

Roberto Vicente - Diretor do Programa de Direitos Humanos UNL /

Argentina

10h30h - 12h30h

Mesa 1 - Violência institucional das forças de segurança

Máximo Sozzo - Diretor do Programa Delito e Sociedade (Universidad

Nacional del Litoral (ANL/Argentina)

Esteban Rodríguez Alzueta (Universidad Nacional de Quilmes/ Argentina)

Olga Espinoza (Universidad de Chile/ Chile)

Moderadora: Estefanía Barboza - (Universidad Federal de Paraná/
Brasil)

15h - 17h

Mesa 2 - Aprofundamento da violência institucional contra grupos em
situação de vulnerabilidade

Elena Fonseca (ONGs Cotidiano Mujer/Uruguay)

Miguel Vargas (Universidad de Itapua / Paraguay)

Artionka Capiberibe (Universidade Estadual de Campinas/ Brasil)

Moderador: Claudio Nash (Universidad de Chile)

Para mais informações sobre o evento acesse a página da AUGM. [4]

Clique aqui e acesse os demais releases da Assessoria [5]

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários