Saúde

Calvície masculina: sem cura, tratamento deve começar cedo

Até o momento não existe cura para a calvície, mas tem tratamento

10/12/2020 04h00
Por: Redação

Cristo nem tinha nascido e o poeta romano Ovídio já se lamentava em versos sobre a forma impiedosa como os homens eram privados de seus encantos: "os cabelos caem como as folhas que o vento agita". Milênios depois, a calvície continua incomodando, mas agora se sabe que ela decorre de uma alteração do ciclo do crescimento do cabelo que é geneticamente determinada. A alopecia androgenética é considerada a forma mais comum de perda de cabelos entre os homens, ocorre de forma progressiva e afeta mais de 50% da população masculina acima dos 50 anos.

Estima-se que, nos Estados Unidos, esses percentuais representem 50 milhões de pessoas. Os especialistas no assunto afirmam que algum grau dessa queda, logo após a puberdade, é até considerado normal, mas a sua prevalência e gravidade podem aumentar com o passar dos anos.

Até o momento não existe cura para essa enfermidade, mas quanto mais cedo for iniciado o tratamento, maiores são as chances de retardar o seu avanço.

 

Quando é a hora de procurar ajuda? - Segundo o angiologista, cirurgião vascular e especialista no combate à queda, Dr. Álvaro Pereira, quem tem histórico de calvície na família, independente do grau de parentesco e do lado familiar (pai ou mãe), é preciso buscar ajuda no final da puberdade. A literatura médica registra que entre 15 e 18 anos já é possível identificar o início do processo.

 

LEDterapia como tratamento inovador - Para brecar o avanço do quadro um dos tratamentos mais inovadores é a LEDterapia capilar; procedimento utilizado em quase todas as clínicas especializadas, bem como na sua versão domiciliar, que estimula as células capilares a trabalharem mais e com melhores resultados

Investir neste tipo de terapia é muito indicado no mundo inteiro para o combate da queda de cabelo e crescimento acelerado dos fios. Essa tecnologia de luz não invasiva estimula os folículos capilares e induz cientificamente o crescimento de cabelos mais grossos, cheios e vistosos. Segundo Pereira, idealizador da técnica, o tratamento vem no formato de capacetes e bonés de LED Capellux certificados pela ANVISA e com ótimos resultados aos pacientes. Na prática, com apenas 12 minutos diários de uso do boné, ou 7 minutos diários de uso do capacete, o folículo piloso converte a luz vermelha em energia que estimula a circulação sanguínea do couro cabeludo, aumenta a ingestão e otimização de nutrientes no cabelo, resultando no crescimento rápido de fios mais bonitos, vistosos, encorpados, além de reparar danos, combatendo o ressecamento e a queda capilar. 

"Os raios provenientes do LED promovem a dilatação dos vasos sanguíneos no couro cabeludo, o que aumenta a entrada de nutrientes e oxigênio nas células capilares. Com isso, também cresce a produção de energia celular e, consequentemente, a capacidade de produzir mais fios de cabelo de melhor qualidade", finaliza o especialista.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários