Coluna

Nacional

Cláudio Humberto

Cláudio Humberto

Cláudio HumbertoCláudio Humberto Rosa e Silva é um jornalista brasileiro, colunista e editor-chefe do Diário do Poder, responsável pela ascensão de Fernando Collor de Mello no cenário político nacional. Sua coluna é reproduzida em jornais de todo o Brasil.

22/12/2020 04h00
Por: Redação
A beira de um ataque
A beira de um ataque

Brasília, segunda-feira, 21 de dezembro de 2020.

 

 

Cláudio Humberto

 

 

 

Que venham as vacinas com urgência!”

Senador Alvaro Dias, ao registrar a marca de 185 mil mortes no Brasil pela Covid-19

 

‘Bloco’ de Maia é factoide: na eleição, voto é secreto

Ao anunciar a formação de um “bloco de oposição”, para fazer frente à candidatura governista do deputado Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara, o ainda ocupante do cargo produziu um apenas factoide. Afinal, dezenas de deputados de partidos do “bloco” anunciaram apoio a Lira, e muitos se rebelam ao serem tratados como “votos de cabresto” das cúpulas partidárias. Mas importante mesmo é que o voto é secreto, em 1º de fevereiro, tornando a disputa praticamente imprevisível para todos.

 

Fabinho na luta

Há outros pretendentes relevantes na disputa para presidir Câmara, como Fabio Ramalho (MDB-MG), muito querido entre colegas.

 

Incógnita

O experiente Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania, que está no bloco de Maia, concorda: voto secreto torna a disputa uma incógnita.

 

O jogo é bruto

A disputa aceita candidaturas avulsas, e várias servem ao propósito de tirar votos dos nomes apoiados pela cúpula dos respectivos partidos.

 

Solidão traiçoeira

Tancredo Neves, o sábio, não gostava de votação secreta no parlamento: “Na solidão da cabine indevassável”, dizia, “o homem trai”.

 

Embaixador virou alvo por informar o presidente

Jornalões atribuíram ao embaixador do Brasil nos EUA, Nestor Forster, o suposto “atraso de 38 dias” no reconhecimento da vitória de Joe Biden. Tentaram “crucificar” Foster por haver endereçado a Brasília, como é rotineiro em todas as embaixadas, “telegramas” sobre fatos relevantes, como ações judiciais de Donald Trump e notícias ignoradas na imprensa de lá e de cá sobre supostas irregularidades na eleição. Embaixadores não interferem na decisão presidencial de reconhecer vitórias eleitorais.

 

Anúncio não é resultado

Apesar de anunciar vitória de Joe Biden em 7 de novembro, a imprensa não decreta vitória. O Colégio Eleitoral dos EUA dá o resultado oficial.

 

Não adianta chamar de ‘fake’

Em 7 de novembro, Forster escreveu: “estreitas margens tornam quase certos processos de recontagem e ações judiciais”. Acertou em cheio.

 

Mais que notícias

Telegramas diplomáticos servem para informar ao governo de fatos que vão além do noticiário de veículos de comunicação. Todo fato é válido.

 

Médico x magistrado

João Gabbardo, infectologista, coordenador de combate à covid em São Paulo, acha que as eleições municipais foram responsáveis pela segunda onda no Brasil. Já o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, jurista, acha que “não guarda qualquer relação com o processo eleitoral”.

 

Privilégio recusado

O governador João Dória, que teve covid, quer se vacinar antes da população de risco de São Paulo junto com vários políticos, incluindo ex-presidentes. O senador Fernando Collor recusou o privilégio.

 

Bate onde dói

Em seus estertores, Rodrigo Maia fez aprovar projeto proibindo o governo de bloquear o Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Na prática, tira R$5 bilhões da conta primária do governo.

 

Posto de observação

O deputado Fábio Faria é ministro das Comunicações, mas continua com um pé na Câmara. Tem sido muito demandado nas tratativas para eleição de presidente da Casa, mas avisa: o Planalto não vai interferir. “O governo vai observar a eleição na Câmara, mas sem entrar”, disse ele.

 

Superávit mantido

O Brasil exportou US$15 bilhões para o Mercosul e importou US$13 bilhões. O superávit de US$2 bilhões foi mantido de janeiro a novembro deste ano, quando nossas exportações ultrapassaram US$ 11 bilhões.

 

Bandidos protegidos

Autor da ação que impede a polícia de incomodar a bandidagem que domina 1.500 favelas do Rio, o PSB também recorreu ao STF para dificultar o direito dos cidadãos à arma pessoal, garantido em plebiscito.

 

Além das aéreas

Associações do transporte público rodoviário e sobre trilhos criticam o veto ao projeto que destina R$4 bilhões para recuperar o setor que, gravemente atingido, transporta 52 milhões de passageiros diariamente.

 

República de bananas

Só no Brasil, sem reação dos representantes políticos, a instância máxima da Justiça decide obrigar as pessoas a tomarem uma vacina que nem sequer foi registrada, nem tem resultados comprovados de eficácia.

 

Pensando bem...

...com tanto réveillon cancelado, é bem capaz que 2021 não comece.

 

PODER SEM PUDOR

À beira de um ataque

Uma jornalista aguardava o então presidente da Câmara, João Paulo Cunha, à saída do gabinete, quando dele surgiu o presidente do PT, José Genoíno. “O presidente vai sair?” perguntou ela. “Eu já disse mil vezes” – reagiu Genoíno, quase colérico – “que o presidente vai sair e vai ficar tudo bem! Não tem problema, ele vai sair, vai sair!...” Genoino se referia à saída de Cunha do cargo, enquanto a queria apenas saber se João Paulo sairia do gabinete logo em seguida. Sem querer, ganhou a manchete da renúncia iminente do presidente da Câmara.

___

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

                        www.diariodopoder.com.br

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários