Coluna

Lawrence Borges

Bastidores

12/01/2021 04h00
Por: Redação

CAMINHÃO LOTADO

Leitores da COLUNA BASTIDORES entraram em contato para denunciar que o caminhão da prefeita Elisa Araújo (SD) não estava vazio, como foi anunciado durante a campanha eleitoral. O Porta-Voz do dia 09/01 trouxe a nomeação de diversos cargos comissionados, e na sua maioria políticos e não técnicos. Lembram que é apenas uma sequência, já que nas edições deste ano, nos dias 4, 6, 7 e até mesmo no dia 1º esse fato se repete.

 

PRESTIGIOU TODOS

As denúncias realizadas à COLUNA BASTIDORES sustentam nomeações de candidatos a vereador que teve votação irrisória para receber salários altíssimos.

 

SEM RETORNO

A Secretaria Especial de Comunicação da Prefeitura de Uberaba continua parada. Após uma semana, não houve resposta aos questionamentos realizados pela COLUNA BASTIDORES e continuamos esperando. Informações dão conta que a maioria dos nomeados foi apadrinhamento político na Secretaria de Comunicação.

 

QUEM ENTENDE

O ex-prefeito Paulo Piau (MDB) e o ex-secretário de Saúde Iraci Neto controlaram a pandemia em Uberaba com linha dura, enquanto todas as cidades flexibilizavam. Agora, todos estão sendo linha dura para conter o avanço da covid-19 e a prefeita Elisa Araújo está sendo branda.

 

ZONA DE GUERRA

As ruas da cidade estão completamente esburacadas. Existem avenidas onde o tamanho do buraco impede a circulação no local. Enquanto isso, nenhuma operação tapa buraco foi anunciada.

 

BALCÃO DE APOSTAS

Articuladores políticos estão apostando (em tom de brincadeira) quais serão os secretários a jogar a toalha primeiro no governo Elisa Araújo. Quais serão os nomes?

 

PANO PRA MANGA

Loteamento aprovado no governo Paulo Piau no prazo de três meses vai dar o que falar. Segundo o apurado pela redação do JORNAL DE UBERABA, o presidente do Codau é um dos sócios. Até agora o JORNAL DE UBERABA espera retorno da prefeita Elisa Araújo (SD) sobre os atos a serem tomados.

 

SERINGA SEM VACINA

Na cidade de Varginha, no Sul de Minas, o governador Romeu Zema (Novo) anunciou a distribuição de 300 mil seringas agulhadas para a vacinação da covid-19 para 50 municípios da macrorregião, no Sul de Minas. Os insumos começaram a ser distribuídos nos municípios daquela região nesta segunda-feira (11). Os insumos chegaram à regional de saúde de Varginha na última semana, contudo, não existe previsão para a chegada da vacina contra a covid, já que a data exata da vacinação ainda não foi disponibilizada pelo Ministério da Saúde.

 

MAIS APOIO

A bancada do PT no Senado decidiu nesta segunda-feira (11) apoiar Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para a presidência da Casa, na eleição que será disputada em fevereiro. Pacheco é o candidato do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), também explicitou seu apoio ao senador mineiro na última sexta-feira.

 

PEDIDO DE CASSAÇÃO

Em mais uma investigação, o Ministério Público de Minas (MPMG), por meio da Promotoria Eleitoral de Araguari, no Triângulo Mineiro, solicitou a cassação e a inelegibilidade do atual prefeito da cidade, Major Renato (Republicanos), e de sua vice, Maria Cecília (Solidariedade), por abuso de poder econômico. No mês passado, a promotora eleitoral Cristina Fagundes, da Promotoria Eleitoral de Araguari, abriu mais uma ação de investigação eleitoral apontando uma série de supostas irregularidades cometidas pela campanha da chapa vencedora, que incluiria a compra de votos e de apoio político para a atração de adversários.

 

JUSTIFICATIVA DE VOTO

O eleitor que não compareceu às urnas no primeiro turno das eleições municipais de novembro tem até esta semana para justificar a ausência. Caso o procedimento não seja realizado, será preciso pagar uma multa. Quem não regularizar a situação pode ficar sujeito a restrições. O prazo vence na quinta-feira (14) para quem faltou ao primeiro turno das eleições municipais 2020. Para o segundo turno, o limite é 28 de janeiro.

 

GERAÇÃO DE EMPREGOS

A proposta da Carteira Verde Amarela, um modelo de contratação com menos encargos e benefícios, voltou ao radar da equipe econômica para ser apresentada após a eleição para as presidências da Câmara e do Senado. O tema está em discussão pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para atender os informais, um contingente de trabalhadores vulneráveis que passaram a ser notados com a crise econômica provocada pela covid-19.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários