Quarta, 21 de Abril de 2021
(34) 99869-4433
Anúncio
Polícia Política

Prefeita participa de reunião com governador Romeu Zema

Governador Romeu Zema anunciou onda roxa em todo o estado, em reunião on-line com prefeitos

17/03/2021 04h00
Por: Redação
Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG
Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, participou de reunião on-line com o governador Romeu Zema e mais de 90 prefeitos do estado de Minas Gerais. O encontro foi para anunciar a inclusão de todo o estado na Onda Roxa, do "Minas Consciente". O objetivo da medida é restabelecer a capacidade de atendimento hospitalar e preservar a rede de Saúde dos 853 municípios das 14 regiões do Estado. A Onda Roxa será para todos os municípios mineiros, com medidas mais rígidas de isolamento social, inclusive toque de recolher, a adesão é compulsória e passa a valer a partir desta quarta-feira (17) e segue até 31 de março. É a classificação mais dura imposta pelo governo desde o início da pandemia.

"Se nós não fizermos isso, amanhã mais pessoas vão perder a vida. Isso é para manter o sistema de saúde com as mínimas condições que ele já não tem mais", afirmou o governador Romeu Zema.

No dia 6 de março, o governador, junto ao Comitê Extraordinário Covid-19, anunciou aos prefeitos, por meio de reunião virtual, a inserção das 27 cidades que integram a macrorregião do Triângulo Sul, na Onda Roxa, incluindo Uberaba. Desde então, a cidade cumpre medidas restritivas de circulação.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, a desassistência e taxa de ocupação de leitos; taxa de incidência e surtos; taxa de óbitos e taxa de distanciamento social são critérios importantes para a inserção das cidades na Onda Roxa. 

Durante a reunião, o governador abriu a palavra para que a prefeita Elisa falasse aos prefeitos sobre a situação de Uberaba na Onda Roxa. "Uberaba, há uma semana, já enfrenta a Onda Roxa. São dias muito difíceis para nós gestores. Como eu comentei com o senhor, governador, quando eu estive aí, a gente que está na ponta, realmente, sofre a aplicação de qualquer medida. É importante a gente aproveitar e contribuir com os outros municípios", explicou a prefeita.

Elisa compartilhou com os prefeitos a medida da abertura das Unidades Básicas de Saúde aos finais de semana para conter a circulação de pessoas contaminadas. Ponto que considera fundamental no enfrentamento. "Nós temos duas Unidades de Pronto Atendimento e quando a gente abre as Unidades Básicas de Saúde, a gente evita que as pessoas contaminadas andem pela cidade. No último fim de semana, no sábado e domingo, com a abertura das unidades de saúde, evitamos que 70 pessoas com síndrome gripal, sendo 14 positivadas com a covid, circulassem na cidade" enfatizou.

A líder do Executivo aproveitou a ocasião para questionar sobre a indicação do Estado em relação ao funcionamento das atividades religiosas e sobre as barreiras sanitárias, uma vez que Uberaba possui 80 tipos de acessos à cidade. Atualmente, duas barreiras sanitárias estão em funcionamento sendo no aeroporto e na rodoviária.

"Sobre as barreiras, vamos divulgar as orientações nos próximos dias. Sobre as questões religiosas, não podemos legislar sobre elas, estão protegidas pela Constituição Federal. Assim, vai continuar, mas é importante seguir os protocolos e o distanciamento. Então, se vai ter reunião nas igrejas, que sigam todos os protocolos de distanciamento, de quantidade de pessoas por metro quadrado. Nós vamos disponibilizar os protocolos da Onda Roxa, mas essa é a orientação que temos por agora", informou o chefe de Governo, João Pinho.

Além dos mais de 90 prefeitos do Estado, do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e do chefe de Gabinete de Saúde, João Pinho, participaram ainda o secretário de Saúde, Fábio Baccheretti e o secretário de Estado de Governo, Igor Eto.

 

Decreto – Muito se tem criticado as regras do decreto nº 378, editado pela Prefeitura de Uberaba e dando uma certa flexibilização nas regras. A prefeita Elisa Araújo nega e afirma que na verdade é “regulamentação” em relação ao determinado pela Onda Roxa. Vale lembrar que o decreto da Onda Roxa, que irá valer para os 853 municípios mineiros será publicado nesta quarta-feira (17), mas já se sabe que as normas são muito mais rígidas.

A reportagem do JORNAL DE UBERABA questionou a Prefeitura de Uberaba, através da Secretaria Especial de Comunicação, se a população tem de seguir o decreto, mais aberto, ou as regras do governo estadual.

“As regras previstas no decreto 378 estão adequadas ao que prevê a Onda Roxa imposta pelo Estado, por isso o Governo Municipal entende que não há necessidade de mudanças.  Caso o Estado venha a apresentar novas medidas dentro da Onda Roxa, o município irá se adequar. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o município está buscando incansavelmente a diminuição do número de contaminações, através de diversas ações que estão sendo adotadas, como a abertura das Unidades de Saúde também nos finais de semana. Entendemos que o melhor procedimento a ser adotado é a diminuição de pessoas contaminadas circulando e disseminando o vírus”, informa a Secom.

 

Oxigênio – Baccheretti afirmou que diante do aumento da necessidade de oxigênio para atender ao número crescente de pacientes internados por covid-19 em Minas, já pediu apoio ao Ministério da Saúde para que não haja falta do insumo. Além disso, as empresas fornecedoras de oxigênio ao estado estão fazendo uma reestruturação logística para atender a alta demanda.
"O oxigênio é insumo essencial complexo em relação à logística. A maioria dos hospitais grandes com leitos de CTI utilizam grandes reservatórios de oxigênio. Mas para os leitos que estão sendo criados não dá tempo dessa estrutura, e são leitos com cilindro de oxigênio. A logística desse insumo é complexa, tem que se trocar várias vezes por leito e o paciente covid exige muito oxigênio. Temos pedido apoio ao Ministério da Saúde em relação a isso já prevendo esse aumento de consumo para que não haja nenhum tipo de falta de suprimento", afirmou o secretário em coletiva à imprensa.

Vacinas – O Governo de Minas negocia a compra de 20 milhões de doses de vacinas com cinco diferentes laboratórios para imunização da população mineira contra a covid-19, informa Zema. Segundo o governador, a negociação em curso é para assegurar o recebimento das doses também pelo Estado, em complemento às enviadas pelo Ministério da Saúde para imunização nos 853 municípios mineiros desde fevereiro. Tratativas estão em andamento com Pfizer, AstraZeneca, CoronaVac, Johnson e Sputnik e compra será suficiente para imunizar toda a população mineira nesta que é a maior operação de vacinação da história de Minas Gerais
A aquisição dos imunizantes pelos governos estaduais foi permitida após a publicação da Lei Federal 14.124, no último dia 10/3. A partir dessa data, o Governo de Minas começou as tratativas com as empresas. No caso do laboratório em que a vacina é feita a partir de uma única aplicação, como a da Johnson e Johnson, a negociação é para a compra de 10,3 milhões de doses. Já nos demais laboratórios em que os imunizantes necessitam de duas aplicações, o objetivo é adquirir 20,7 milhões delas. Zema também assegurou que a entrega das vacinas pelos laboratórios ocorrerá de forma simultânea. Até esta terça-feira (16/3), segundo o Boletim Epidemiológico Covid, 2,1 milhões de doses foram recebidas em Minas via Ministério da Saúde.

Vale lembrar que a Prefeitura de Uberaba está no consórcio dos municípios para a compra de vacinas. Ontem, foi aprovado pela Câmara de Uberaba, por unanimidade, o projeto de lei do Executivo que ratifica protocolo de intenções firmado pelo município para adquirir vacinas contra a covid-19, nas hipóteses possíveis, por meio de consórcio público a ser instituído.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias