Quarta, 12 de Maio de 2021
(34) 99869-4433
Política Política

Servidores da Saúde fazem manifesto de repúdio contra a flexibilização

Servidores da Saúde

20/04/2021 03h00
Por: Euripedes Antonio Campos
Médicos e enfermeiros lembram que a flexibilização pode piorar o já colapsado sistema de saúde; somente nos últimos 3 dias Uberaba registrou 30 mortes e 343 novos casos - Foto: Divulgação
Médicos e enfermeiros lembram que a flexibilização pode piorar o já colapsado sistema de saúde; somente nos últimos 3 dias Uberaba registrou 30 mortes e 343 novos casos - Foto: Divulgação

Manifesto de repúdio assinado por “Profissionais de Saúde – Servidores Municipais Médicos e Enfermeiros – Movimento #NãoSomosApenasMaisUmNúmero, mostra a “nossa insatisfação perante tantas questões que envolvem a gestão municipal atual”, coloca, lembrando que com a “Onda Roxa” houve flexibilização, com a “Onda Vermelha” a administração municipal abriu ainda mais exceções. O grupo lembra do aumento dos casos. Para se ter ideia, nas últimas 72 horas fora 30 óbitos e 343 novos casos. Uberaba já tem 662 óbitos pela covid.

“Nós, enquanto representantes da SAÚDE, que vem lutando arduamente pela VIDA contra esse vírus desde o início da pandemia, gostaríamos de deixar o nosso descontentamento com tudo isso e fazer um alerta a toda a sociedade de que os números ainda não estão em uma perspectiva estável, muito menos em nível decrescente, e que o índice de contaminação e o número de mortos ainda continua alto para permitir o retorno de aulas presenciais e essa maior flexibilização. Além disso, pedimos encarecidamente que algumas posições sejam revistas, por que nosso Comitê Técnico Científico de Enfrentamento à Covid diante dessas questões parece inoperante e precisamos de gestores que entendam e se posicionem a favor do nosso trabalho e não tenham a capacidade de fazer uma “infeliz” divulgação sobre o funcionamento da Unidade de Referência e de como se percebe o tempo de atendimento médico, mesmo que sobre Síndromes Gripais, absolutamente fora da realidade, falando que podemos atender de 25 a 30 pacientes em um período, sinalizando um total desconhecimento sobre nosso sistema. Nossos profissionais estão exaustos! Há um excesso de deslocamentos de equipes para atendimento à covid, muitos funcionários em desvio de função e atuando com extrema sobrecarga. E falta-se tudo! Falta diálogo, faltam estrutura nas Unidades de saúde, faltam protocolos claros de atendimentos e exames, faltam kits de intubação, falta conhecimento por parte dos gestores sobre a nossa função, falta comunicação interna, principalmente a que fale sobre as estratégias de enfrentamento, e ainda há grande necessidade de melhoria dos nossos fluxos de atendimento. E antes de haver a flexibilização tudo isso deveria ser pensado e considerado, o que mais uma vez não ocorreu... A saúde pede e precisa de atenção!”, coloca o manifesto.

 

Sindicato – O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uberaba (SSPMU), através de seu presidente, Martinho Pereira, apoia o “Manifesto de Repúdio” e reconhece o movimento como legítimo e, está ao lado dos trabalhadores de saúde, que vem buscando de forma democrática, mais diálogo e valorização profissional junto a Administração Profissional.

“Uma classe que está sobrecarregada de trabalho e, que manifesta de forma coerente sua indignação quanto à flexibilização recém anunciada pela Prefeitura de Uberaba, em um momento que o número de contaminação continua alto e, os óbitos não diminuem. Além disso, o SSPMU concorda com os signatários do documento que, lamentam - com razão -, o posicionamento do secretário de Saúde, através da imprensa, de que são capazes de atender entre 25 e 30 pacientes por dia – uma declaração que mostra total desconhecimento da rotina de trabalho desta categoria, grandes combatentes da pandemia”, coloca o Sindicato.

O SSPMU lembra, em nota, que vem reivindicando todos os direitos para os servidores que atuam na linha de frente e vai continuar trabalhando incondicionalmente, neste sentido. Já solicitamos o aumento no percentual de insalubridade, passando de 20% para 40%. “Também requeremos a vacinação e EPIs para todos os servidores. O Sindicato realiza fiscalização constante nas repartições públicas municipais, “in loco”, para averiguar se está sendo cumprido o distanciamento e ainda solicitou o mapeamento de servidores afastados por covid-19 – com objetivo de direcionar o ente municipal na tomada de decisões para implementação de medidas de biossegurança e sanitização nas repartições públicas mais afetadas, haja vista a circulação de novas variantes e da recente perda de servidores”, finaliza a nota.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias