Mosaic
Eventos

Coluna social

Fabiana Silbor

Fabiana Silbor

Fabiana SilborFabiana Silbor é Professora Universitária, radialista, apresentadora de televisão, jornalista, palestrante, gestora empresarial, articulista e pesquisadora nas áreas de ciências sociais e empresariais. Referência midiática, ela está no Jornal de Uberaba há nove anos, com uma página que promove conteúdo exclusivo, reflexões modernas, complexas e com doses cítricas. Fabiana Silbor foi repórter e apresentadora das Redes Integração, afiliada Globo, e Bandeirantes de Televisão.

08/09/2019 06h00Atualizado há 3 meses
Por: Redação

Essas pessoas incríveis merecem aplausos de pé. Faltam muitos nessa imagem de competência e dedicação. Uma homenagem aos profissionais do Jornal de Uberaba nesse fantástico mês de aniversário. Desejar grandes realizações e sucesso a todos. Na foto eles recebem o cuidado de especialistas do “Viver Bem” da Unimed Uberaba, com promoção da saúde. Dia sete de setembro é a data oficial, mas todos os dias são para celebrar a determinação de quem trabalha pela informação no Jornal de Uberaba. 

 

Bem-vindo.

Bem-vinda.

Setembro prossegue rumo a primavera. No tempo de espera para florir podemos compreender oportunidades de desabrochar para dias mais felizes. Hoje quero homenagear a fantástica equipe do Jornal de Uberaba. Profissionais excelentes, que buscam realizar o melhor em cada momento. Parabéns a cada um pela construção de dias feitos de dedicação. Em todas as áreas, da redação ao administrativo, passando pelos outros setores recebam nossa gratidão e o reconhecimento nesse mês de aniversário.

 

Honestidade

Há três meses de terminar o ano muitas oportunidades devem ser respeitadas. É um ótimo momento para se recolher e compreender quais as melhorias você deve fazer para progredir. É importante compreender, que a mudança mais viável é a que você faz em si mesmo. Apesar do nosso treino para olhar, quase sempre, a vida dos outros, chega a hora de cuidar da própria vida.

 

Semeador

A verdadeira lealdade deve ser alicerçada em princípios e valores sinceros. O que vai pelo coração é semeador e, daí advém a colheita. Habitualmente, perdemos tempo inquirindo o alheio e medindo, com as nossas balanças pessoais, o que o outro ergueu. Todavia, isso é inútil. Ditado antigo, mas muito atual: “por fora bela viola, por dentro pão bolorento”, mostra como estamos longe de compreender porque alguns se dão tão bem e outros tão mal, e onde reside a verdade diante de tantas ilusões que a aparência constrói.

 

Tino

A maldade sempre existiu. A bondade, também. Qual é vitoriosa? A que você mais alimenta. Preste atenção nas suas escolhas e nos seus posicionamentos. Nas conversas que tem, nas atitudes que assume. Você pode se equivocar achando que está certou ou que merece determinadas coisas. A ignorância tem sido baluarte daqueles que seguem sem freio, atropelando e passando por cima. O inquestionável é que a vida, ainda, segue sem interesse em corrupções e essa ‘lei universal’ é implacável.

 

Nobreza

Ficou mais fácil confundir sentimentos e valores nessa “Era Descartável”. Como somos movidos por afetos e motivações, nem sempre acertamos a diferença entre o que merecemos, recebemos e temos a oferecer. Esse conflito tem misturado emoções e isso somado a nossa falta de autoanálise, contribuído para entornar o caldo dos sentimentos nobres. Perder essa essência é um risco muito alto para uma vida, que passa tão rápido.

 

Aplaudir

O amigo que aparece, apenas, quando precisa de algo, não é amigo. Pode ser um colega para relações rasas ou comerciais. Mas, para chamar alguém de amigo, essa pessoa precisa participar da sua vida. Estar ao seu lado se ficar difícil ou maravilhoso. Comemorar suas prosperidades com orgulho e felicidade. Lutar suas batalhas com você, e diante da vitória ser o primeiro a aplaudir. Se houver derrota... o primeiro a segurar sua mão, e te ajudar a levantar. 

 

Descartável

O ‘eu te amo’ sem atitudes não é amor. Declarações são potentes se acompanhadas de respeito, consideração, parceria, afetos resilientes e carinhos.  Ciúmes e brigas, que fazem dias perder a cor... gritarias e justificativas por inseguranças não são sintomas de amor. Escolher sempre as guerras quando poderia celebrar a harmonia está longe desse sentir. Fazer amor é como escolhemos agir. Essa é uma decisão cirúrgica para ser tomada com lucidez, diariamente. Os embargos da paixão podem ser caros demais...

 

Solidão

A vida real é muito diferente da ostentação planejada. Uma sociedade viciada em se relacionar, socialmente, por meio de redes, que incentivam mentiras repetidas, constrói um alicerce podre. Esse desmoronar está visível, mas tem sido evitado em prol das aparências. As pessoas estão fazendo roteiros inventados para o existir, numa competição torpe com estranhos. Enquanto isso, o número de depressões, suicídios e outras tragédias só aumentam. Aquele que ri na foto, mas está sozinho na multidão, lotado de vazios no coração, é só mais um na manada dos falsos de plantão, cada dia mais adoecidos. 

Imposição

Sem sabedoria, sem discernimento, viciados em jogos de poder, perde-se o melhor. Gratidão, alegria, veracidades, sobrevivem pouco nesse ambiente. A verdade está escrita no íntimo de cada pessoa e ninguém tem o direito de impor as próprias percepções. A pergunta, que não se cala é: de que lado você está? Se você tem sido para valer ou só uma cópia de si mesmo, inventada para encaixar na multidão, anestesiada por vaidades e contaminada por egos.

 

Palpitar

Dois minutos face a face consigo mesmo de ser de uma utilidade salvadora. Um minuto para sintonizar com o agora e reconhecer quem você é nessa vida e se está alinhado com o seu propósito. O outro para decidir de que lado vai ficar. Sim! Porque o pior lugar é em lugar nenhum. O palpite do outro só é relevante se você considerar. Mas pode apostar que levar em consideração a sua própria opinião, madura e consciente, muda tudo.

 

Transformação

Você tem sido um bom amigo? Uma boa filha? Uma pessoa do bem? Você se parece com as pessoas que você admira? E essas pessoas que você idolatra são ícones do bem? Essa vida revelada por elas é a real? Será que as suas atitudes estão conduzindo você corretamente? O jeito que você aprendeu a fazer é o melhor? Tem tido muita ignorância na sua atitude? Isso é bom para você se transformar no que nasceu para ser? E a sua missão aqui? Está em dia?

 

Empatia

Essa reflexão vai lhe mostrar se você está perdendo pessoas importantes por motivos inúteis. Vai renovar sua capacidade empática por si mesmo e pelo próximo, seja ele quem for. Há muita força no silêncio quando se quer ter autoridade e calar a si próprio é um bom começo para zerar as birras, que insistimos em manter depois de adultos. Inclusive, porque se tornar uma pessoa melhor vai, também, atrair outros seres evoluídos para a sua vida.

 

Responsabilidade 

Esse cansaço, que tanto reclama, é fruto dessa simulação, desse ensaio, dessa encenação. Você precisa de vida de verdade. Aventuras com pessoas de verdade. Natureza para ampliar suas energias compartilhando liberdade em histórias de verdade. Dormir para fugir, trabalhar para fugir, viciar para fugir, fingir para fugir são contos da carochinha. Está na hora de você acordar, para uma vida de verdade. Na qual você assume sua responsabilidade e aprende a lidar com frustrações com maturidade, de verdade!

 

Crescimento

O mundo é o que é. Mas, ele pode se transformar no modelo sonhado quando colocamos força na vontade, e fazemos a nossa parte. Lidar com isso de forma honesta é um presente, que a gente deixa de herança para a humanidade. Lembre-se: a lealdade compensa inúmeras fraquezas e esse pacto começa de dentro para fora. Quando a gente cresce se sente, mesmo, um pouco sozinho. Todavia, nesse estágio estamos mais prontos para compartilhar. 

 

Egoísmo

Cuidado com quem pensa, só, em si mesmo. Os narcisistas sonham com poder ilimitado e precisam ser admirados o tempo todo. Tem muita gente desinteressada pelos sentimentos alheios comprando seguidores nas redes, na vida. Fique atento com quem usa de chantagens, manipula... a confiança não floresce nesses ambientes torpes. Gente cínica, que defende os próprios interesses está sempre justificando. Quem quer ser para sempre, entrega soluções. Está na hora de afastar os bajuladores. Mantenha por perto quem lhe avisa que você erra e lhe apoia para progredir.

 

Atitude

Decida. Comece substituindo o “porque isso está acontecendo comigo” pelo “o que essa experiência está me ensinando?”. Sinta-se cobrado pela sua própria consciência e não por quem é incapaz de fazer. Reconheça os esforços de quem está com você, por você. Nosso caráter é o resultado da nossa conduta. E, viver sem data de validade, requer lembrar que a mudança está na decisão que você toma, e no como você vai colocar isso em prática, todos os dias. Acredite: a lei do retorno nunca falha.

 

Fabiana Silbor é especialista em ciências sociais e empresarias. Professora Universitária, palestrante, jornalista e escritora.

 

  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
  • Coluna social
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias