Coluna

Setembro - mês do médico veterinário!

As dores e as delícias da profissão

Marcos Moreno

Marcos MorenoSou Marcos Moreno, comunicador com vários anos dedicados ao trabalho de colunista e assessor de imprensa. Há alguns anos com trabalho na mídia impressa e eletrônica voltado para os animais, notadamente pets.

06/09/2019 06h00
Por: Redação

Ser veterinário é muito mais do que amar os animais, requer responsabilidade e agilidade nas decisões, paciência e resiliência, além de muito estudo e dedicação para se destacar diante da concorrência cada vez mais acirrada no país.

O Brasil é um dos países com o maior número de veterinários no mundo, sendo que as mulheres representam mais da metade de profissionais registrados. São Paulo lidera a lista de profissionais em exercício com 33,6 mil médicos. Minas Gerais e Rio Grande do Sul também estão no topo com, respectivamente, 13,8 mil e 11 mil.

A carreira é promissora, visto que já são mais de 132,4 milhões de pets no Brasil, sendo a segunda maior população de aves, cães e gatos do mundo. No entanto, conforme explica Luana Sartori, médica veterinária de indústria de alimentos de alta performance para cães e gatos, os desafios que acompanham a carreira também crescem a todo momento.

Para adquirir experiência, a especialista indica que o estudante faça o máximo de estágios que puder. “Isso é fundamental para que ele se forme com alguma noção do que vai enfrentar, independente do setor que escolher trabalhar. Profissionais sem experiência são muito facilmente devorados pelo mercado”, alerta.

 

Cuidar da mente

Outro ponto fundamental para esses profissionais é investir no cuidado com o psicológico, visto que o suicídio entre veterinários é três vezes mais do que em qualquer outra profissão. Luana alerta para um estudo da American Veterinary Medical Association (JAVMA), que revelou os dados. A revista científica Journal of the, que publicou o resultado de 30 anos de pesquisa, destaca que a ansiedade e a depressão são frequentes na vida dos médicos veterinários. 

 

O mercado de trabalho

O veterinário pode atuar em diversas áreas, passando por clínicas de pequenos e grandes animais até na pesquisa e produção de vacinas e medicamentos. “O mercado oferece uma ampla gama de setores onde o profissional pode exercer a medicina veterinária. É possível trabalhar na inspeção de produtos, em laboratórios de controle microbiológico de alimentos, em centros de zoonoses, em indústrias como gestor técnico, em órgãos fiscalizadores, em zoológicos, além de atuar como consultores, peritos criminais, pesquisadores genéticos e por aí vai”, diz.

 

  • Setembro - mês do médico veterinário!
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias