PMU
1ª suspeita

Uberaba confirma primeira suspeita de sarampo no município

Paciente deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque do Mirante

11/09/2019 06h00
Por: Redação
Primeira suspeita de sarampo em Uberaba é uma moça de 19 anos que deu entrada na UPA do Mirante na tarde de segunda-feira, mas evadiu-se do local - Foto: Arquivo
Primeira suspeita de sarampo em Uberaba é uma moça de 19 anos que deu entrada na UPA do Mirante na tarde de segunda-feira, mas evadiu-se do local - Foto: Arquivo

A Prefeitura de Uberaba confirmou ontem que uma paciente deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque do Mirante, na segunda-feira (09) com sintomas sugestivos a sarampo. A pessoa não quis aguardar a realização dos exames confirmatórios e foi embora, apesar da orientação médica.

A Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba (Funepu), que é responsável pelas UPAs em Uberaba, esclarece que, seguindo o protocolo do Ministério da Saúde para bloqueio de viroses, as duas Unidades de Pronto Atendimento de Uberaba contam com equipe e estrutura preparadas para atendimento em isolamento, tanto de contato quanto respiratório, para pacientes com sintomas de sarampo e, claro, para o tratamento indicado da doença.

“Esclarece ainda, que nos últimos cinco dias recebeu duas pacientes queixando-se de sintomas sugestivos, sendo que uma delas passou por exames e foi diagnosticada com uma arbovirose e não sarampo. Por se tratar de um quadro mais simples, foi medicada e recebeu alta. Já com a segunda paciente, que apresentava sinais mais característicos da doença, foi colocada em isolamento, onde recebeu todas as orientações pertinentes à gravidade do quadro. Entretanto, ela evadiu da unidade pouco tempo depois, antes mesmo da realização dos exames. A Polícia Militar foi acionada, sendo registrada a ocorrência, além de uma comunicação ter sido enviada à Vigilância Epidemiológica do município, para que fosse verificada a necessidade de busca ativa da paciente, considerando o grau de transmissibilidade da doença”, informa a nota.

Segundo informações do secretário de Saúde, Iraci Neto, a suspeita de sarampo foi notificada por volta das 17h30 de segunda-feira. A moça, de 19 anos, evadiu-se do local e ontem a Secretaria de Saúde fez busca ativa e detectou que ela trabalha em um posto de gasolina. A equipe da SMS falou com a moça e explicou a situação e ela disse que iria em uma unidade de saúde para coletar o material e fazer os exames necessários. A tarde a equipe voltou no posto e em sua residência e ela não apareceu em nenhum dos locais. 

“Ela mora em uma casa de fundo e os vizinhos entregaram seus cartões de vacina e quem não estava com o cartão em dia foi atualizado. Voltamos ao posto, realizamos a vacina e fizemos o bloqueio nas pessoas que trabalham no posto. Solicitamos aos outros funcionários do posto que estavam em dúvida quanto à vacinação que tragam os cartões nesta quarta. Amanhã [hoje] retornaremos ao posto para fazer a imunização. Quanto à moça, amanhã ou ela vai trabalhar e vamos localizá-la ou iremos em sua casa novamente para fazer a coleta do exame”, informa, lembrando que o bloqueio é para a interrupção da cadeia de transmissão e não aparecimento de casos secundários.

Ainda não se sabe se a moça de 19 anos foi contaminada em Uberaba, ou seja, caso autóctone, ou se foi importado de outra cidade ou estado. 

Vale lembrar que na região, Uberlândia está com nove casos confirmados, além de dois que são dados como certos da contaminação e estão em investigação outros 58 casos. Também Uberaba tem proximidade com São Paulo, Estado de maior contaminação por sarampo na atualidade. 

 

A doença – O sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância. A doença começa inicialmente com febre, exantema (manchas avermelhadas que se distribuem de forma homogênea pelo corpo), sintomas respiratórios e oculares.

No quadro clínico clássico, as manifestações incluem tosse, coriza, rinorréia (rinite aguda), conjuntivite (olhos avermelhados), fotofobia (aversão à luz) e manchas de koplik (pequenos pontos esbranquiçados presentes na mucosa oral). A evolução da doença pode originar complicações infecciosas com amigdalites (mais comum em adultos), otites (mais comum em crianças), sinusites, encefalites e pneumonia, que podem levar à óbito. As complicações frequentemente acometem crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções (ou aerossóis) presentes na fala, tosse, espirros ou até mesmo respiração. Na presença de pessoas não imunizadas ou que nunca apresentaram sarampo, a doença pode se manter em níveis endêmicos, produzindo epidemias recorrentes.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias