Pet News

Estudo inédito aponta que 42% dos tutores de gato adiam visita ao veterinário

Marcos Moreno

Marcos Moreno

Marcos MorenoSou Marcos Moreno, comunicador com vários anos dedicados ao trabalho de colunista e assessor de imprensa. Há alguns anos com trabalho na mídia impressa e eletrônica voltado para os animais, notadamente pets.

13/09/2019 06h00
Por: Redação

O dia do Veterinário foi comemorado no último dia 9 de setembro. Essa é uma profissão em que o Brasil se destaca mundialmente: são 360 universidades de medicina-veterinária e 110 mil profissionais atuantes. Apesar dos números, 42% dos tutores de gatos no país adiam a consulta. Por isso uma grande empresa, referência em nutrição para gatos e cães, quer conscientizar sobre a importância da saúde preventiva para felinos por meio de sua campanha “Saúde é única para cada gato – Meu Gato no Vet”.

Segundo estudo inédito feito pela marca sobre o relacionamento dos tutores de felinos com os médicos-veterinários ao adiarem a visita ao consultório, os tutores procuram por informações na internet, o que pode ser prejudicial ao animal, pois as doenças podem demorar muito para ter sintomas mais aparentes. O medo do estresse gerado pela visita é um dos fatores indicados para o adiamento - 35% dos gatos ficam tensos durante a consulta e quanto mais velho o gato mais estressado ele ficará por causa de experiências anteriores negativas. Entre os tutores, o principal motivo pela tensão foi a falta de uma sala de espera apropriada/reservada para gatos. 

Outro hábito prejudicial do tutor é a rotina alimentar dos felinos. De acordo com o estudo, 72% dos gatos brasileiros recebem alimento seco mais de uma vez ao dia, além da alimentação úmida (sachês) e dos petiscos, pois os tutores tem a sensação que os animais estão com fome ou utilizam a alimentação como uma forma de demonstrar carinho, quando a quantidade e o tipo ideal de alimentação devem ser indicados pelo médico-veterinário de acordo com a necessidade específica de cada pet.

Após a consulta, 82% dos tutores afirmam seguir as dietas prescritas e 92% os tratamentos médicos, além disso 49% dos tutores discutem a alimentação em todas as consultas e 61% consideram o veterinário a fonte mais confiável de informação para o tema.

  

Como levar os gatos ao veterinário

Para ajudar os tutores e gatos a terem uma melhor experiência na próxima consulta ao médico-veterinário a empresa sugere que os tutores se atentem aos pontos abaixo:

- Acostume seu gato a ser tocado – os gatos não estão acostumados ao toque humano, especialmente aquele feito pelo veterinário, e podem ficar estressados com a nova sensação. Para reduzir a ansiedade, comece gradativamente a manipular mais o animal. 

 

- Ajude seu gato a se sentir mais confortável na caixa de transporte –  escolha uma caixa de transporte que a parte superior possa ser removida e coloque a em um ambiente da casa em que o gato passe a maior parte do tempo para que ele possa se acostumar a ela e deixa ali . Arrume-a com uma manta que o animal já conheça e alguns de seus brinquedos. Isso funciona como enriquecimento ambiental e se torna um lugar conhecido e seguro quando vai ao consultório.

 

- Fique calmo – visitas ao veterinário podem ser estressantes tanto para o tutor quanto para o gato. Ao permanecer calmo, seu gato se sentirá mais seguro e confortável com a situação. 

 

- A clínica é um ambiente diferente para o gato, com iluminação e sons que ele pode estranhar. Ao chegar, cubra a caixa de transporte com uma toalha para aliviar a tensão.

 Ainda tem receio?  Procure uma clínica “cat-friendly” – os consultórios especializados têm adaptações para diminuir o stress da espécie. 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias