Cria Criança
Coluna

Lawrence Borges

Bastidores

Bastidores

BastidoresBastidores por Lawrence Borges

14/09/2019 06h00Atualizado há 4 semanas
Por: Redação

ORGULHO DE SER “MISERÊ”

Alguns promotores do Ministério Público de Minas Gerais começaram uma campanha em suas redes sociais. Na imagem, que está sendo publicada por eles, a bandeira do Brasil e de Minas Gerais estão interligadas junto com a frase: “Sou promotor de justiça e tenho orgulho da minha missão em prol da sociedade”. As publicações vieram logo após o promotor e colega, Leonardo Azeredo dos Santos, reclamar de receber um “miserê” de R$24mil e assim gerar revolta na opinião pública.

 

CONGELAMENTO

A campanha foi iniciada logo após a ameaça de congelamento dos salários dos servidores públicos de Minas Gerais. O projeto traz um reajuste de 5% no vencimento dos promotores e procuradores, que atualmente varia de R$30.404,42 a R$35.462,22. Essa medida é apontada pelo Executivo como a alternativa para sanar as finanças do estado que tem um déficit previsto de R$11,3 bilhões para este ano.

 

IMPOPULAR

O ajuste fiscal é um conjunto de propostas elaboradas pelo governo que são necessárias para que o estado possa aderir ao plano de recuperação da União. A expectativa é de que os textos chegarem na Assembleia Legislativa até o final deste mês, e prevê medidas “impopulares” como a venda da Cemig e Copasa. Além disso, o congelamento no salário dos servidores, redução de vagas e na carga horário de trabalhos.

 

INCLUSÃO

O sarampo se espalha rapidamente pelo Brasil e coloca os moradores em risco. No território mineiro não é diferente. Minas Gerais foi incluído na lista dos estados com surto ativo da doença. Em todo o país, já foram confirmados 3.339 pessoas com a doença, segundo o Ministério da Saúde. Somente em Minas, 18 casos foram confirmados e outros 288 seguem sendo investigados. Quatro pessoas já morreram neste ano no Brasil por causa da enfermidade. A vacina tríplice viral – que protege contra o vírus, a caxumba e a rubéola – segue a disposição da população em todos os postos de saúde.

 

DESATUALIZADO

Os dados da doença foram atualizados nesta sexta-feira (13) pelo Ministério da Saúde. Segundo o órgão, foram notificados 24.011 casos, sendo que 17.713 seguem em investigação.  A maioria dos casos confirmados, 97, 5%, está em São Paulo (3.254), seguido do Rio de Janeiro (18), Pernambuco (13), Minas Gerais (13), Santa Catarina (12), Paraná (7), Rio Grande do Sul (7), Maranhão (3), Goiás (3), Distrito Federal (3), Mato Grosso do Sul (1), Espírito Santo (1), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1), Bahia (1) e Sergipe (1). Entretanto os dados de Minas estão desatualizados, já que o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostra números atualizados de Minas Gerais. O levantamento aponta que já são 18 casos confirmados da doença. Destes, dez são de Uberlândia. Uberaba tem cinco casos suspeitos em investigação. 

 

CANCELADO 

A Defesa Civil de Uberaba informa que o Curso Regionalizado de Gestão em Proteção e Defesa Civil, que seria realizado em Uberaba de 17 a 19 de setembro, foi cancelado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Segundo a nota, o curso deverá ser ofertado em outra ocasião.

 

REPERCURSÃO

O procurador de Justiça Leonardo Azeredo dos Santos – famoso por classificar o salário da categoria de “miserê” – já é alvo de 22 representações na Ouvidoria do Ministério Público. As manifestações serão avaliadas e, caso sejam relacionadas à conduta e trabalho do procurador, serão encaminhadas à Corregedoria Geral do Ministério Público, que é o órgão encarregado de apurar eventuais ou possíveis ilegalidades ou desvios de conduta por parte dos membros do MP. Caso seja aberto algum procedimento, será acompanhado também pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). 

 

ATIVISMO POLÍTICO

Relator da indicação de Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República (PGR), o senador Eduardo Braga (MDB-AM) defendeu o perfil do escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para o cargo e afirmou que os senadores - responsáveis por dar aval ou não ao nome - não querem o que chamam de “ativismo político” no Ministério Público.

 

TRAGÉDIA

A direção do Hospital Badim – atingido por um incêndio na noite de quinta-feira (12) – afirmou ontem que os bombeiros encerraram, no fim da madrugada, as buscas por mortos. Ao menos 11 corpos – todos de pacientes e idosos – foram retirados.

 

ASFIXIA

Segundo exames preliminares, a maioria das vítimas estava no CTI do hospital e morreu asfixiada com a fumaça, sem queimaduras graves. Algumas pereceram com o desligamento dos aparelhos. “A maioria foi por asfixia, alguns casos não, mas coisas correlacionadas ao acidente (...) São descompensações das doenças que as pessoas, relacionadas aos aparelhos que as mantinham vivas e que deixaram de funcionar com o incêndio”, explicou Gabriela Garça, diretora do IML que coordenou a necropsia.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias