Terça, 25 de Janeiro de 2022
30°

Trovoada

Uberaba - MG

Polícia Polícia

PF lança delegado brasileiro a vice-presidente de comitê da Interpol

PF lança delegado brasileiro

23/11/2021 às 04h00
Por: Redação
Compartilhe:
Valdecy Urquiza Júnior disputa a vaga com candidatos da Colômbia e de Trinidade e Tobago, na eleição do Comitê Executivo na próxima quarta-feira – F0to: Jean-Philippe Ksiazek
Valdecy Urquiza Júnior disputa a vaga com candidatos da Colômbia e de Trinidade e Tobago, na eleição do Comitê Executivo na próxima quarta-feira – F0to: Jean-Philippe Ksiazek

Quase um século após sua criação, a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) pode ter pela primeira vez um representante brasileiro na vice-presidência do Comitê Executivo. O delegado de Polícia Federal Valdecy Urquiza Júnior disputa a vaga com candidatos da Colômbia e de Trinidade e Tobago.

A eleição está marcada para a próxima quarta-feira, 25, quando representantes dos países-membro vão se reunir pela primeira vez desde o início da pandemia em Istambul, na Turquia, para participar de uma versão encurtada da Assembleia Geral - que, em condições normais, é convocada anualmente.

Ao todo, 194 nações integram hoje a Interpol em um esforço coletivo para oferecer resistência a crimes transnacionais. Sem uma perspectiva concreta para o fim da crise sanitária, alguns países decidiram não enviar delegações ao evento, o que deve reduzir o universo de participantes a 160 nações, aumentando o peso de cada voto.

O Comitê Executivo da Interpol é responsável por indicar, a cada cinco anos, o secretário-geral da organização. Há também outras atribuições estratégicas, como a definição do orçamento, das metas a serem priorizadas a cada gestão e das diretrizes de fiscalização das atividades. A perspectiva de participar das tomadas de decisão faz com que, tradicionalmente, as vagas sejam disputadas até a véspera da votação. As eleições deste ano acontecem em meio a uma demanda crescente por maior diversidade geográfica nos cargos de tomada de decisão.

"De fato, o poder da organização vem desse conselho. Isso porque todos os países participam da organização em um espírito de cooperação multilateral, mas evidentemente que cada um tem sua agenda prioritária", explica o delegado Valdecy Urquiza Júnior em entrevista ao Estadão. "Hoje ainda há uma concentração, nos cargos de direção da organização, de países da Europa. O Comitê Executivo traz a possibilidade de o Brasil influenciar mais nas decisões pensando em seus interesses nacionais e regionais", acrescenta o candidato brasileiro.

Urquiza disputa a vaga de vice-presidente das Américas para um mandato de três anos. O Comitê tem ainda vice-presidentes oriundos da Ásia, África e Europa, além de delegados para cada região do globo e de um presidente que comanda o colegiado.

Embora a articulação para angariar apoio em torno da candidatura do delegado tenha sido iniciada com antecedência, há pouca margem para prever o resultado da votação. Isso porque, até o dia que antecede a eleição, os países ainda podem colocar novos nomes na disputa. Fora o fator surpresa, outro aspecto que dificulta prognósticos é a definição de alianças estratégicas pessoalmente, nos primeiros dias da Assembleia Geral, quando representantes dos países sentam à mesa em sucessivas reuniões bilaterais.

"Nesse termômetro das bilaterais é que a gente consegue de fato sentir o volume de apoio. A impressão que nós temos até agora é que a candidatura é robusta e viável, mas pela experiência de eleições anteriores, a gente só consegue saber no curso da Assembleia. É um ambiente muito volátil", avalia Urquiza.

Entre os pares, o delegado é visto como alguém que tem uma visão global do trabalho das polícias. Além de ter comandado o escritório central da Interpol no Brasil, entre 2015 e 2018, também liderou uma equipe de 60 policiais, de diferentes nacionalidades e espalhados em seis países, enquanto chefiou a Diretoria de Crime Organizado na Interpol em Lyon, na França, até dois meses atrás.

"Esses trabalhos deram uma projeção não só ao Brasil, mas também a mim enquanto delegado de Polícia Federal. A experiência em Lyon fez com que eu mantivesse, ao longo desse período todo, uma articulação muito forte com os diversos países que são membros da organização", afirma.

Desde 2018, o Brasil é representado no Comitê Executivo pelo delegado de Polícia Federal Rogério Galloro no posto de delegado para as Américas. O fim mandato, no entanto, coincide com as eleições na próxima Assembleia Geral. A PF apostou na candidatura de Urquiza como uma estratégica para manter a participação do País no conselho.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberaba - MG Atualizado às 17h06 - Fonte: ClimaTempo
30°
Trovoada

Mín. 18° Máx. 30°

Qua 31°C 18°C
Qui 30°C 18°C
Sex 31°C 19°C
Sáb 30°C 20°C
Dom 29°C 19°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Anúncio
Enquete
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias