Coluna

Loureiro

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto Pereira

Carlos Alberto PereiraEnófilo, Jornalista, Tecnólogo em Turismo e Hotelaria. Contato: [email protected] / 98412-6446

27/09/2019 06h00Atualizado há 1 mês
Por: Redação

 

Enfim, a chuva chegou e fez cair bem o termômetro: bom para beber vinhos brancos, tintos, rosés, espumantes, fortificados e até bagaceira ou cachaça viníca , se assim preferir chamar! Aliás, qualquer dia destes vou falar desta iguaria que é resultante do bagaço da uva. Além de ela ser um aperitivo interessante, ela muito importante para a potência alcoólica e conservação do famoso e tradicional vinho do Porto. Outro dia falo por aqui! Mas hoje vou falar de mais uma casta branca portuguesa, que reina na região do Vinho Verde e que está paulatinamente, conquistando o seu espaço no concorrido mundo do vinho, especialmente em Portugal, (que como já disse por aqui,centenas de vezes), é o país que mais entrega ao mundo, vinhos de qualidade, diferentes e extremamente agradáveis ao paladar!

A uva em destaque é a Loureiro, uma casta branca, que os espanhóis conhecem muito bem e até reivindicam a sua paternidade. 

E a exemplo de outras uvas brancas, que já falei por aqui da região do Vinho Verde, esta faz vinhos bem refrescantes, de muita personalidade e bem gastronômicos.

Então vamos às informações gerais sobre ela e já convido o caro leitor(a) a abrir um exemplar neste final de semana!

Um grande abraço e boa leitura a todos!

 

Origem

A Loureiro é uma variedade de uva branca, cultivada na região norte de Portugal. Ela é bem conhecida e tem um status diferenciado na região do Vinho Verde, ao lado de outra casta muito famosa que é a Alvarinho. Apesar de estar bem disseminada por esta região, estudos indicam que ela é originária do vale do rio Lima, cujo rio nasce em terras espanholas passa por Portugal e desagua no Atlântico. Ela é também cultivada em pequenas quantidades na Galícia, comunidade autônoma espanhola, ao noroeste da península ibérica. E o nome Loureiro, que vem de “louros” do dialeto espanhol, é uma referência às folhas da vinha, que tem um perfume muito característico. Na Espanha ela é conhecida por “ Loureira” e é utilizada em cortes com a famosa casta Albarinõ. 

 

Características

A Loureiro é uma variedade muito fértil, com bons rendimentos. Suas vinhas   possuem cachos compridos e compactados, com bagos de tamanho médio e coloração amarelo esverdeada. A sua pele é relativamente grossa.

 

Outros nomes

Na Espanha, a Loureiro é chamada de Loureira, no feminino. Outros sinônimos para a Loureiro, são: Branco Redondo, Dourado ou Dourada, e Marquês.

 

DOC VINHOS VERDES

Originariamente demarcada em 18 de setembro de 1908, a Região Demarcada dos Vinhos Verdes estende-se por todo o noroeste de Portugal, na zona tradicionalmente conhecida como Entre-Douro-e-Minho. Tem como limites a Norte o rio Minho, que estabelece parte da fronteira com a Espanha, a Sul o rio Douro e as serras da Freita, Arada e Montemuro, a Este as serras da Peneda, Gerês, Cabreira e Marão e a Oeste o Oceano Atlântico. Em termos de área geográfica é a maior Região Demarcada Portuguesa, e uma das maiores da Europa. A casta Loureiro tem como berço e maior área de produção a sub-região de lima. Esta região se caracteriza pela amplitude térmicas e está numa posição intermédia relativamente às restantes sub-regiões. No entanto, é onde a precipitação atinge valores mais altos. A altitude a que a vinha se encontra plantada é variável e aumenta do litoral para o interior, onde o relevo também é mais irregular, originando alguns microclimas no interior do vale do Lima, existindo por vezes referências a baixo Lima e alto Lima. Tal como na sub-região do Cávado, além dos solos graníticos, existe uma faixa de solos de origem xistosa, não sendo no entanto a sua abrangência significativa. Os vinhos brancos mais afamados desta sub-região são produzidos a partir da casta Loureiro. 

 

Seus Vinhos

Os vinhos produzidos a partir da uva Loureiro apresentam excelentes aromas, notável acidez e baixos índices alcoólicos. Com ênfase na flor de laranjeira, acácia e tília, os vinhos com Loureiro podem apresentar também notas de maçã e pêssego, principalmente os varietais. São vinhos brancos de excelência, frescos e minerais carregados de personalidade e vibrantes! Embora não seja conhecida pela longevidade de seus vinhos, a Loureiro em seus exemplares varietais podem, com qualidade, serem guardados por até 10 anos ou mais. Ela é uma casta versátil, pois se adapta a diferentes tipos de vinificação, como os vinhos de sobremesa, seja pelo método passito ou por colheita tardia. Em cortes e blends, os parceiros mais frequentes, são as castas Trajadura, Alvarinho e Arinto.

 

Harmonização

A Loureiro, a exemplo das castas brancas da região do Vinho Verde, tem uma grande aptidão gastronômica onde combinam com maestria, com frutos do mar, como mariscos e camarões feitos bem picantes no estilo oriental. Mas vai bem com frango ao Curry, bem no estilo da culinária indiana. Risotos com frutos do mar e limão. E com queijos duros também!

 

Dica de Vinho

 

Vinho: Quinta do Ameal Loureiro Orgânico

Produtor: Pedro Araújo/ Quinta do Ameal

Casta: Loureiro

Pais: Portugal

Região: Vinho Verde

Ano: 2015

Alcoól: 11,0%

Tempo de Barrica: 4 meses

Temperatura de Serviço: 10°

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias