Cria Criança
Dengue

Uberaba registra aumento nos casos de dengue pela segunda semana

Minas Gerais viveu três grandes epidemias, em 2010, 2013 e 2016

09/10/2019 06h00
Por: Redação

 

Maria das Graças Salvador

Em 2019, até nesta segunda-feira (7) foram registrados 481.294 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue em Minas Gerais, e 144 óbitos em 45 municípios. O número pode aumentar já que outros 110 óbitos permanecem em investigação para este agravo. As informações constam no boletim epidemiológico de monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika, divulgado segunda (7) pela Secretaria de Estado de Saúde.

Para se ter ideia da gravidade da doença neste ano, em 2018, foram confirmados 12 óbitos por dengue residentes nos municípios: Araújos, Arcos (dois), Conceição do Pará, Contagem, Ituiutaba (dois), Lagoa da Prata, Moema, Montes Claros, Passos e Uberaba; e ainda são aguardados investigações para outros 10 óbitos.

Neste ano de 2019, dos 144 óbitos confirmados, 86 (59,72%) eram do sexo feminino e 58 (40,28%) do sexo masculino. A media de idade é de 61 anos, variando entre 5 e 101 anos; e 83 (57,64%) indivíduos apresentavam alguma comorbidade. 

Minas Gerais viveu três grandes epidemias em 2010, 2013 e 2016. O número de casos em 2019 ultrapassou o número de casos registrados em anos não epidêmicos e de dois epidêmicos. Na primeira epidemia foram registrados 212.539 casos; na segunda, 414.748, e na última epidemia, em 2016, foram 517.830 casos prováveis, portanto especialistas afirmam que neste ano não deve ultrapassar apenas os números de 2016, já que os outros dois anos epidêmicos – 2010 e 2013 – já ultrapassou. 

Técnicos da SES, após análise dos casos entre os anos de 2010 e 2019, percebe-se que a dengue acomete de forma semelhante os grupos etários, apresentando o mesmo comportamento ao longo dos anos avaliados. Há uma predominância de casos prováveis na faixa etária de 20 a 34 anos, seguida do grupo de 35 a 49 anos de idade.

O boletim aponta que nas quatro últimas semanas epidemiológicas – de 1º a 28 de setembro – cinco municípios mineiros estão com média incidência de casos prováveis de dengue, 227 municípios estão com baixa incidência e 621 municípios estão sem registro de casos prováveis.

O estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes (dengue, chikungunya e zika) e pede que a população fique atenta com a entrada do período chuvoso.

 

Município – Em Uberaba foram registrados dois casos suspeitos nas duas últimas semanas, estando com baixa incidência de 0,61 e 1.190 casos suspeitos no acumulado do ano. Já a incidência em 2019 é alta, de 360,21. Pela segunda semana consecutiva o número de casos prováveis também aumentou. No documento da semana passada eram 1.178 casos contra os 1.190 nesta segunda (7).

 

Outros agravos – Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 2.748 casos prováveis da doença em 2019, desse total, 58 gestantes, sendo dez com confirmação laboratorial até o momento. Em 2019, até o momento foi confirmado um óbito por chikungunya do município de Patos de Minas, e existe um óbito em investigação. 

Nas últimas quatro semanas, 34 municípios mineiros estão em baixa incidência de casos prováveis de chikungunya e 819 sem registro de casos prováveis, caso de Uberaba.

Em 2019, até o momento, foram processadas 7.111 amostras para chikungunya pelo Lacen de Minas Gerais. Deste total, 982 (16,7%) amostras apresentaram resultado positivo para chikungunya em 127 municípios, destaca-se: Muriaé, Pirapetinga, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Leopoldina, Caxambu, Contagem, Ipatinga, Recreio, Ubá, Além Paraíba, Pirapora, Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Cataguases, Santa Barbara, Tombos, Betim, Itamarati de Minas, Barroso, Prados, Caratinga, Uberlândia, Ponte Nova, Santana do Deserto, Barbacena, Uberaba, Nova Lima, Dores de Campos, Poços de Caldas, Pouso Alegre e Volta Grande.

Já em relação à Zika Vírus, foram registrados 758 casos prováveis até o dia 7, em 139 municípios. Destes 758 casos, 179 foram em gestantes. Casos prováveis de zika em gestantes foram registrados em 55 municípios, destaca-se: Uberaba (20), Belo Horizonte (18), Ribeirão das Neves (15), Contagem (13); São Francisco (12), Montes Claros (10), Martinho Campos (sete), Araguari e Janaúba (seis cada) e Passos (quatro), os demais 45 municípios registraram 68 casos.

Nas últimas quatro semanas, Minas Gerais apresentou 13 municípios em baixa incidência de casos prováveis de zika e 840 sem registro de casos prováveis de zika, caso de Uberaba que está silencioso para o agravo.

Vale destacar que neste ano foram processadas para zika 4.624 amostras de 341 municípios de Minas Gerais. As metodologias utilizadas são biologia molecular para identificação do vírus e sorologia IgM e IgG para pesquisa de anticorpos. Até o momento, 53 amostras foram positivas na sorologia para zika nos municípios de Uberlândia (onze), Belo Horizonte (dez), Santa Luzia (quatro), Betim e Montes Claros (três cada), Aimorés, Conquista, Frutal e Ituiutaba (duas cada), Bocaiuva, Caratinga, Eugenópolis, Gameleiras, Governador Valadares, Januária, Matias Cardoso, Passos, Pirapora, Ribeirão das Neves, São Joaquim de Bicas, Turmalina, Ubá e Uberaba.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias