Cria Criança
Artigo

Guido Bilharinho

Advogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema,estudos brasileiros, História do Brasil e regional

Reflexões

ReflexõesArtigos diários

10/10/2019 06h00
Por: Redação

ENSAIOS DE CRÍTICA CINEMATOGRÁFICA (I)

A circulação do livro de papel caiu sensivelmente nos últimos vinte anos.  Precisamente em 1999 foi iniciada em Uberaba a publicação da coleção Ensaios de Crítica Cinematográfica com a edição de um livro por ano, iniciando-se com O Cinema de Bergman, Fellini e Hitchcock.

Conquanto não contando com nenhum apoio midiático no eixo Rio-São Paulo ou no triângulo constituído pelo eixo e Belo Horizonte, a coleção foi comercializada nessas cidades por distribuidoras nelas radicadas e que por sua iniciativa contataram o autor para essa finalidade.

Além disso, em São Paulo, mesmo não tendo nenhuma cobertura da mídia impressa, televisiva e radiofônica, foi acoleção comercializada pela dinâmica e versátil 2001 Vídeo, que chegou a ponto de adquirir de 30 a 40 exemplares por mês de seus diversos títulos.

A livraria Cultura promoveu os livros da coleção em seu site, adquirindo-os à medida das solicitações dos interessados.

Tudo isso, porém, esvaiu-se. Uma ou duas das citadas distribuidoras fecharam. A portentosa 2001 Vídeo, com seis ou sete grandes lojas nos principais shoppings de São Paulo, vendendo e alugando DVDs e CDs de filmes e músicas e livros sobre cinema, encerrou as portas. A Cultura está em recuperação judicial, como também a Saraiva.

Com a mais recente edição da coleção, em 2017, do livro físico O Cinema de Hitchcock e Woody Allen, que comercializou poucos exemplares, encerrou-se também a edição de livros em papel da mencionada coleção, por sinal, a primeira, única e possivelmente em papel a última a existir e atuar no país.

Observou-se nesse período de 20 anos (1999-2019) descenso espantoso do interesse pelo conhecimento, fruição e estudo do cinema como forma de arte e cultura e, acredita-se, de todas as demais formas de arte e de conhecimento.

Até mesmo o acesso a filmes antigos e lançamentos de filmes de valor vem paulatinamente sendo dificultado pela crescente marginalização provocada pelas atuais gigantes de projeção de filmes, como a Netflix e o Youtube, este ainda apresentando filmes antigos, porém, raríssimos clássicos no estrito sentido cultural da arte.

Os estabelecimentos de ensino ignoram completamente a existência da arte cinematográfica e quando neles algum grupo promove projeções de filmes, são elas presididas quase inteiramente pelo interesse temático e não cultural e artístico.

Em consequência, tem restado para as edições de novos títulos da coleção Ensaios de Crítica Cinematográfica o amplo espaço eletrônico, no qual, no blog: https://guidobilharinho.blogspot.com/, existente desde setembro de 2017, juntamente com livros de outros gêneros, já foram editadas nada menos de dez obras sobre cinema, a exemplo de Obras-Primas do Cinema Brasileiro, Obras-Primas do Cinema Europeu, Filmes de Ficção Científica e O Cinema de Godard. 

Dois aspectos salientam-se nessa nova prática editorial: ausência de custos e planetária difusão, já tendo o citado blog, até 30 de setembro último, mais de 950 (novecentos e cinquenta) acessos nos EE.UU. e mais de 200 (duzentos) na Rússia, além de dezenas de acessos em mais de 20 países, notadamente europeus, mesmo estando os livros vazados em português.

 

Guido Bilharinho - Advogado em Uberaba e autor de livros de literatura, cinema,estudos brasileiros, História do Brasil e regional editados em papel e, desde setembro/2017, um livro por mês no blog https://guidobilharinho.blogspot.com.br/

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias