Turismo

Região italiana oferece cerca de R$ 3.100 por mês para quem se mudar para lá

Mais de nove mil pessoas deixaram Molise

13/10/2019 06h00
Por: Redação
Mais de 9.000 pessoas deixaram Molise, uma pequena região predominantemente montanhosa - Foto: Aude Andre Saturnio/Unsplash
Mais de 9.000 pessoas deixaram Molise, uma pequena região predominantemente montanhosa - Foto: Aude Andre Saturnio/Unsplash

Uma região no sul da Itália que perdeu mais habitantes do país nos últimos cinco anos está oferecendo às pessoas aproximadamente 700 euros (R$ 3.100) por mês durante três anos para se mudar para lá.

Mais de nove mil pessoas deixaram Molise, uma pequena região predominantemente montanhosa, desde 2014, deixando a população em torno de 305.000. Nem um único nascimento foi registrado em nove de suas cidades no ano passado.

Os requisitos para aceitar o dinheiro incluem a mudança para uma vila na região com menos de dois mil habitantes e a promessa de abrir um negócio – qualquer tipo de negócio, desde que o investimento retorne à vila.

“Se tivéssemos oferecido financiamento, teria sido mais um gesto de caridade”, disse Donato Toma, presidente da região Molise, ao jornal britânico The Guardian. Ele acrescentou: “É uma maneira de dar vida às nossas cidades e, ao mesmo tempo, aumentar a população”.

O benefício do dinheiro não será limitado apenas aos que se mudam para lá. Donato Toma disse que essas cidades também receberão mais de 11 mil euros por mês para ajudar a construir infraestrutura e promover atividades culturais. Ele disse que isso ajudará as pessoas a ter um motivo para ficar.

Esta não é a primeira vez que uma região ou cidade na Itália oferece uma compensação para se mudar e se estabelecer lá.

 

Oferta tentadora no passado - Em 2017, a cidade italiana de Bormida, no Noroeste da Itália, ofereceu mais de dois mil euros a pessoas dispostas a se mudar para lá e se estabelecer. Na época, a vila tinha 394 pessoas chamando de lar.

 

Casas por menos de 2 euros - Enquanto isso, no início deste ano, a cidade de Mussomeli, no Sul da Sicília, se ofereceu para vender propriedades abandonadas por um preço simbólico de pouco menos de 2 euros, desde que o comprador concordasse em renová-lo dentro de um ano.

A população da Itália caiu para cerca de 55 milhões, segundo o The Guardian. Os fatores incluem uma diminuição de nascimentos e um aumento da migração de jovens para outros países europeus em busca de novas oportunidades de emprego. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística da Itália, quase 157 mil pessoas deixaram o país em 2019.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias