Saúde

Municipalização do HR não é a solução, diz secretário

Vereador acredita que o município conseguirá arcar com as despesas do Hospital Regional

13/10/2019 06h00
Por: Redação
Vereador Samuel Pereira quer que Hospital Regional seja municipalizado, entretanto definição da estrutura o aponta como regional - Foto: Arquivo
Vereador Samuel Pereira quer que Hospital Regional seja municipalizado, entretanto definição da estrutura o aponta como regional - Foto: Arquivo

 

Maria das Graças Salvador

O vereador Samuel Pereira (PL) tem cobrado do Poder Executivo estudos para analisar a possibilidade de transformar o Hospital Regional Dr. José Alencar em hospital municipal. O vereador acredita que o município conseguirá arcar com as despesas do Hospital Regional, se atendidos somente os pacientes de Uberaba.

“A Administração Municipal é quem sustenta, atualmente, aquela instituição de saúde. Precisamos municipalizá-la e espero, o quanto antes, uma resposta do prefeito Paulo Piau sobre o assunto. É notória a dificuldade que estamos tendo em cobrir as despesas do Hospital Regional, uma vez que a maioria das cidades circunvizinhas não conseguiu cumprir com o acordo de enviarem os recursos conforme o contrato. Como o Estado também não está repassando verba ao HR, a manutenção do local fica comprometida”, disse.  

Segundo o secretário municipal de Saúde, Iraci José de Souza Neto, o vereador Samuel tem buscado, sempre que tem oportunidade, colocar esta demanda na pauta. “Como legislador do município e representante da população, ele tem de tomar partido e defender uma tese que acha interessante. Ele sempre discute isto comigo e entendemos esta tese, até numa linha de fortalecimento do hospital para a população de Uberaba. Porém, há uma definição por parte do Estado e da União de que o hospital é de característica do atendimento regionalizado, conforme as diretrizes do SUS à rede de saúde. O hospital teve investimento do Estado e aquisição de equipamentos pela União e custeio dos municípios, Estado e União visando exatamente atender essa população da região, próxima a 800 mil habitantes. Só em Uberaba são 350 mil habitantes. Mas o hospital, em seu próprio batismo, diz Hospital Regional de Uberaba José Alencar. Seu nome já diz que ele é de Uberaba, 70% das estruturas é para atendimento à população uberabense. Os outros 30% da capacidade são reservados para a população da região. O que o Samuel quer é que o hospital seja municipalizado, que ele atenda especificamente a população de Uberaba”, observa Iraci Neto.

O secretário diz ver “certa razão de ele defender isso por canta do não financiamento dos municípios da região. Estamos arcando com a despesa que seria do Estado e que seriam de todos os municípios. Por isso ele acha que Uberaba está bancando tudo. Hoje, 73% do recurso vem da União, 25% do município e 2% de alguns municípios que estão financiando este custeio na primeira etapa”. 

 

Custeio – Sobre a participação dos municípios no custeio, Iraci afirma que é uma busca constante do prefeito Paulo Piau. “Ela faz uma articulação com os prefeitos da região, dentro das oportunidades que ele tem nas reuniões com associação, nos encontros estaduais em Belo Horizonte, em Brasília. Sempre que ele tem oportunidade de estar com o grupo de prefeitos tem este debate e é uma agenda prioritária para o prefeito na área da saúde, a de manter o Hospital Regional com atendimento aberto à região. As prefeituras precisam colaborar com o custeio, porque Uberaba não vai conseguir de forma alguma manter o custeio sozinha, junto com a União, dependemos de colaboração. Até porque o hospital é muito grande e mesmo que seja municipalizado, na visão do vereador Samuel, a de se entender que o custo para Uberaba fica muito alto. Nós temos esta dificuldade e no Estado vou sempre na defesa de que os municípios participem, mostrando dados”, revela o secretário.

Iraci Neto destacou que mostrou ao secretário de Estado, Carlos Eduardo Amaral, e sua equipe técnica, quando da visita ao Hospital Regional, dados da instituição, “absolutamente de muito impacto de atendimento na região”. Lembra que tem municípios que não colaboram de forma alguma e que tem atendimento volumoso no HR, seja no ambulatório, para consultas de pré e pós cirúrgica, seja no para os exames e nas internações, principalmente nas UTIs e cirúrgicas.

“Muitos municípios estão usando muito o hospital e o prefeito está fazendo uma linha mais política com o prefeitos, e estado para que possa fortalecer essa junção de todos os prefeitos, enquanto a Secretaria de Uberaba faz com os secretários mais em uma linha técnica, mostrando que o hospital é importante para os municípios da região e vai ser muito importante dentro da política hospitalar de 2020, porque o HR é um local com capacidade de 151 leitos, sendo 30 de UTI, e é um  hospital de referência macrorregional.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias