Coluna

Política

Cláudio Humberto

Cláudio Humberto

Cláudio HumbertoCláudio Humberto Rosa e Silva é um jornalista brasileiro, colunista e editor-chefe do Diário do Poder, responsável pela ascensão de Fernando Collor de Mello no cenário político nacional. Sua coluna é reproduzida em jornais de todo o Brasil.

15/10/2019 06h00
Por: Redação

“Os filhos de Bolsonaro fazem mal ao governo”

Senador Major Olímpio (PSL-SP), já sem paciência com a ‘família real’

 

Maia sempre apoiou o fim da Justiça do Trabalho

A proposta de extinção da Justiça do Trabalho (JT), é considerada uma espécie de resgate da promessa do presidente na Câmara, Rodrigo Maia. Ele jamais escondeu sua ideia. “A Justiça do Trabalho não deveria nem existir”, chegou a afirmar em maio de 2017. A ideia é, com a extinção, incorporar seus magistrados à Justiça Federal, o que pode acabar o antigo problema de insuficiência de pessoal. Hoje, a Justiça do Trabalho tem o dobro de magistrados da Justiça Federal.

 

Avanço inexorável

A queda vertiginosa de ações e o triunfo do contrato, após a reforma, fazem prever que logo não haverá o que fazer na justiça trabalhista.

 

Futuro chega a galope

A Justiça do Trabalho tem o dobro de juízes da Justiça Federal e cinco vezes mais tribunais de segundo grau. Todos cada vez menos úteis.

 

Não pode continuar

Antes da reforma, em 2017, juiz do Trabalho de primeiro grau julgou 3.240 processos, 41,6% menos que os 7.783 processos de juiz federal.

 

Transferência de renda 

A Justiça do Trabalho custará aos pagadores de impostos, este ano, R$18,2 bilhões. Desse total, 90,3% vão para o bolso dos funcionários.

 

Palocci detalha venda de MP com ajuda no TCU

O ex-ministro petista Antonio Palocci revelou em delação à Polícia Federal que em 2011 foi procurado e recebeu instruções do ministro Raimundo Carreiro, do Tribunal de Contas da União (TCU), sobre como retirar de pauta um julgamento que seria desfavorável às pretensões da Odebrecht no setor portuário. Palocci seguiu a dica e conseguiu engavetar o julgamento por um ano, até que a então presidente Dilma editou uma medida provisória beneficiando de vez a empreiteira.

 

Maracutaia petista

Após o ano de julgamento suspenso, Dilma editou a MP 595 ajustando a legislação portuária aos interesses da Odebrecht. Que vergonha.

 

Sob medida

A MP da Odebrecht excluiu, segundo Palocci, a necessidade de carga própria em terminais privados para liberar prestação serviço a terceiros.

 

Expediente antigo

A edição de MPs para beneficiar “amigos” não era novidade e Lula também é investigado por editar textos sob medida para o cliente. 

 

O xis da questão

O controle de R$359 milhões que o PSL vai receber em 2020 de fundos públicos está na origem da tentativa de desmoralizar a atual direção da sigla. O PSL terá R$113 milhões só de Fundo Partidário.

 

Eles não temem a ira divina

Um bando de parlamentares pecadores foi a Roma fingir que são tementes a Deus, na canonização. Se o fossem, não usariam o nome de Irmã Dulce e de Deus em vão para depois atravessar o Atlântico.

 

PODER SEM PUDOR

Um mar de leite

A base eleitoral do senador potiguar Agenor Maria era o sertão, município de Currais Novos, onde tinha uma fazenda de gado leiteiro. Certa vez, alugou uma casa de praia, em Natal, e levou com ele um velho empregado de sua fazenda, seu Chico, que nunca tinha visto o mar. “Chico, veja só que imensidão. Imagine tudo isso sendo nosso e, em vez de água, leite!” – disse Agenor, puxando conversa na varanda da casa. A resposta do velho vaqueiro foi carregada de significado: “Prestava não, dr. Agenor. E aonde a gente ia achar tanta água pra misturar nesse leite?”

 

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias