Turismo

Itambé do Mato Dentro: onde a tranquilidade escolheu como refúgio

A bucólica cidade foi fundada pelo bandeirante Romão Gramacho, no fim de 1600 e início de 1700

20/10/2019 06h00
Por: Redação
Cabeça de Boi, distrito de Itambé do Mato Dentro: conexão máxima com a natureza - Foto: Alfredo Durães/EM/D.A Press
Cabeça de Boi, distrito de Itambé do Mato Dentro: conexão máxima com a natureza - Foto: Alfredo Durães/EM/D.A Press

A tranquilidade de uma cidade com menos de 3 mil habitantes parece ser o paraíso para muita gente que vive o agito de metrópoles cada vez mais cheias e vazias de reconexões internas. Imagine um lugar com comida boa, cachoeiras de tirar o fôlego, paisagem sem igual e o som da natureza assobiando na janela. Se não conhece nenhum lugar assim, Itambé do Mato Dentro pode ser um ótimo começo como mostra reportagem de José Alberto Rodrigues do jornal Estado de Minas. O município, situado entre a Serra do Espinhaço, está a 122 quilômetros de Belo Horizonte.

De acordo com arquivos públicos, a bucólica cidade foi fundada pelo bandeirante Romão Gramacho, no fim de 1600 e início de 1700. Reza a lenda itambeense que todas as noites de sextas-feiras de lua cheia, o fundador da cidade galopa no meio das ruas em seu cavalo, fazendo mal a todos que estiverem de bobeira por entre as avenidas.

Mas não é só de lendas que a cidade sobrevive, a arquitetura característica das tradicionais vilas mineiras são ponto forte. Destaque para a Igreja Nossa Senhora do Rosário, localizada na entrada da cidade, antigo caminho da Estrada Real. No entorno da construção religiosa há um velório, cemitério e uma praça denominada Praça do Rosário.

Cartão-postal com 1.642 metros de altitude, o Pico do Itacolomi é o ponto mais alto da cadeia montanhosa da Serra do Espinhaço, segundo informações da Estrada Real. Quem se aventurar para chegar ao cume precisa fazer uma longa caminhada, com aproximadamente três horas, com nível médio de trajeto.

Virlarejo - O povoado de Santana do Rio Preto, conhecida também como Cabeça de Boi, merece visita por sua conexão com a natureza. O vilarejo, datado do século 18, preserva várias nascentes de água e uma fauna variada. É nessa região que estão localizadas algumas das cachoeiras da cidade. A tradicional festa de Itambé do Mato Dentro, o Festival da Banana ocorre anualmente em julho.

Destaque para as pinturas rupestres, a aproximadamente três quilômetros da praça central do vilarejo, abrigadas no sítio arqueológico Serra do Veado. É possível encontrar desenhos de animais como veado, peixe, tatu e boi em diversos tamanhos. Do local também há uma visão panorâmica do vilarejo e da Serra do Lobo e Pico do Itacolomi, além do Rio Preto e Rio Peixe.

 

Preciosidades da região

Cachoeira do Lúcio - Com queda de aproximadamente 4 metros e uma mata ciliar no entorno, há um belo poço propício ao banho e uma pequena prainha. O percurso é simples e é a cachoeira mais próxima do Centro da cidade. Um trajeto de aproximadamente 2 quilômetros.

 

Cachoeira da Vitória - Uma das maiores cachoeiras da região, com aproximadamente 75 metros em queda livre. Fica a 4 quilômetros do município e uma trilha de 30 minutos até o poço.

 

Cachoeira do Funil - Um ótimo lugar para esbanjar selfies nas redes sociais. Apresenta uma pequena queda d’água, com destaque para as piscinas naturais e o córrego do Rio Preto, propícios ao banho.

 

Cânion da Serenata - Desfiladeiro com paredões abruptos circundado por mata de transição e córrego com grande volume, formando cachoeiras com quedas sequenciais de 40m e belos poços propícios ao banho. Localizado a 10 quilômetros da sede, na saída para Morro do Pilar, e 20 minutos de caminhada.

 

Cachoeira da Serenata - São três quedas sequenciais formando duas piscinas naturais. As duas primeiras quedas têm cerca de 20 metros cada. Está a 10 quilômetros da cidade, na saída para Morro do Pilar, na extensão do Cânion da Serenata.

 

Cachoeira das Crioulas - Queda com 30 metros, que esconde uma gruta com 200 metros de extensão. Conta-se que, antigamente, as grutas da cachoeira eram usadas para encontros secretos entre fazendeiros e escravas. A trilha não é sinalizada.

 

Cachoeira do Entacado - Em meio à bela paisagem, essa cachoeira de águas transparentes é um dos bons atrativos que a região oferece. Antes de cair em queda livre, a água passa por um poço que proporciona excelentes banhos.

 

Cachoeira do Lajeado - É formada a partir de pequenas corredeiras em laje de pedras. Suas águas cristalinas são ótimas para banhos.

 

Cachoeira do Chuvisco, em Cabeça de Boi, distrito de Itambé do Mato Dentro - Foto: Divulgação

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias